Críticas de Gilmar Mendes ao exército é cortina de fumaça, tem outro propósito

O ministro Gilmar Mendes não está nem um pouco preocupado com a repercussão da bizarrice protagonizada por ele em evento que acusou o exército brasileiro de genocida. Será que ele esqueceu o significado de genocídio? O despropósito foi oportunidade de criar fato para desviar o foco para si, tirando dos colegas Alexandre de Moraes e Dias Toffoli os holofotes da opinião pública, cada vez mais estarrecida com os desatinos e vaidade do mascote, além do envolvimento do presidente da corte nos escândalos de propinas da Odebrecht. O corporativismo no STF tem caráter preservacionista neste momento de descrédito recorde.

Vamos nos concentrar no primeiro, Alexandre de Moraes, pois os atos chocam pelo inusitado enquanto o comportamento do segundo – Dias Toffoli – já não surpreende a mais ninguém. Moraes ultrapassou todos os limites da razoabilidade nos dois inquéritos que ele próprio instaurou, se diz “vítima”, apurou e julgou, (4781) sendo delegado, promotor e juiz ao mesmo tempo. Decisão arbitrária com vieses políticos explícitos e intenções veladas de amordaçar quem é contrário às suas opiniões.

O ministro mandou prender cidadãos de bem que não representam ameaça alguma à democracia brasileira. Alexandre que não é o grande, mas tem pretensões, agiu como um déspota, um rei sem investidura, mandou as favas a Constituição e as leis do país.  Ele alega tratar-se de “notícias fraudulentas usadas com o propósito de auferir vantagem indevida, seja ela de natureza política ou econômica ou cultural”, um deboche com o Direito brasileiro e com quem tem discernimento mínimo.

Atos de Alexandre de Moraes são ilegais, aberrações jurídicas

O fato é que Alexandre de Moraes pisou feio na bola e as consequências estão levando a imagem do STF para as profundezas de um pântano turvo, acético. Não se priva de liberdade jornalistas no exercício de suas funções e nem se prende ativistas inofensivas por ideologia política e chiliques na internet. Magistrados não devem expressar suas ideologias e nem opiniões, elas podem virar decisão judicial. Não é o que se vê na suprema corte brasileira apaixonada pela política.

Alexandre age com o apoio de uma imprensa que há muito tempo deixou de reportar fatos e passou a vender opiniões, omissa quando lhe convém e ativista no mais das vezes. Gilmar Mendes sabe disso, é um exímio estrategista, tem couraça dupla, é preparado para apanhar da opinião pública, desdenha, debocha de quem o critica, não se deixa intimidar e nem esboça preocupação com a imagem, posiciona-se acima das leis, se acha semideus. Ao longo de três décadas no posto de ministro do supremo já deu mostras do que de fato é, o protótipo de um gangster onipotente.

Se o país tivesse institutos de pesquisa independentes, autônomos e profissionais de imprensa dispostos a mostrar a verdade, o grupo dos 11 ministros que ocupam o STF seria desmontado com apenas uma pesquisa, a de percepção de desempenho da corte perante a opinião pública.

Em um plebiscito estariam todos reprovados, aposentados e bem longe do serviço público. A moral da suprema corte do Brasil assemelha-se a um poleiro de galinha, só não vê quem não quer. E claro, a OAB, que segue no mesmo compasso quando o assunto é ética ou moral de quem a preside.

Não é por acaso também que os ministros perderam a liberdade de ir e vir, não podem mais circular livremente em locais públicos, sob pena de linchamento. Gilmar que há tempos vive em Portugal, vez ou outra é constrangido em público no país que escolheu para se refugiar e tocar seus bem sucedidos negócios. Curioso é que as viagens semanais são divididas com os afazeres de ministro em solo brasileiro. A distância entre o STF e o escritório de Gilmar Mendes em Lisboa é de 7.280 km.

Sempre ouço dizer que a justiça é lenta em virtude da quantidade de processos. O que Gilmar faz para manter-se em dia com suas obrigações de funcionário público, ministro da suprema corte, se passa a maior parte do tempo do outro lado do Oceano Atlântico? Será que tem sono pesado e consegue descansar nas cabines da primeira classe dos A-330-900 da TAP, ou vem aqui apenas para assinar papéis e fazer política?

Fake news não é assunto para o STF

Com efeito, a natureza dos inquéritos instaurados por Moraes sobre fake news deixou exposta não só a própria credibilidade, mas a dos seus pares. Ações descabidas que não deixam dúvidas sobre a natureza dos inquéritos meramente políticos, e nulos. Aberrações com propósito de apurar crimes que não existem, verdadeiro disparate.

Fake news não é tipificado como crime em nenhum lugar do mundo, nem tampouco na Constituição Brasileira. Não é calunia, não é difamação, não é injuria e nem discriminação, ou seja, não é nada.

Falar a verdade sobre ministros ou mal do STF também não é crime, hoje virou desabafo, válvula de escape para milhões de cidadãos enojados, intoxicados pelo sentimentos provocados pelas ações do grupo que ocupa aquela casa de horrores. O STF é motivo de adoecimento da população esclarecida.

Gilmar Mendes sabe disso, e não por acaso tenta salvar a reputação dos colegas e a moral da casa que ele domina com desenvoltura de um mafioso experiente. Destarte, qualquer verossimilhança não é mera coincidência.

José Aparecido Ribeiro é jornalista em Belo Horizonte

E-mail: jaribeirobh@gmail.com – WhatsApp: 31-99953-7945

21 thoughts on “Críticas de Gilmar Mendes ao exército é cortina de fumaça, tem outro propósito

  1. A pergunta que fica é, qual a saída jurídica e constitucional para desmantelar esse quadro de horror que vivemos? Os advogados não conseguem nem destituir esse Santa Cruz da OAB? Porque? Me parece que o Direito das trevas são mais organizados que o Direito da luz? O que os mantém reféns, a preguiça ou a conivência? Perdão mas não consigo entender.

  2. Seus comentários, sempre merece aplausos.
    Tudo aquilo que gostaríamos de falar.
    O que está acontecendo neste nosso BRASIL, é lastimável.
    Parabéns pela sua competência, fazendo das suas palavras as nossas. Obrigada por manifestar com tanta clareza o que está acontecendo neste país.

  3. Excelente trabalho Jornalista Zé Aparecido. Hoje fazer jornalismo é ato de coragem e bravura, de modo especial aos que pensam diferente do Establishment. Afinal de contas a orgem é prender quem ameça a “segurança nacional” leia-se o STF.

    Detalhe: Tudo isso só é possível graças à elegante omissão do SENADO FEDERAL, Alcolumbre não tem ideia o que isso irá repercutir em sua carreira política.

    Recife-PE-Brasil

  4. Parabéns Zé Aparecido, sem medo de dizer a verdade nesse Brasil repleto de bundas mole no jornalismo

  5. Engraçada essa falta de menção, quem sabe esse sim um acobertamento, da responsabilidade do Senado com a investigação de ministros do STF. Até parece que quem deve julgar os ministros é a mídia. Tá na hora de acabar com o cinismo e enfrentar as causas corretas, a menos que seja tudo um grande teatro, do qual o STF e os militares são apenas dois personagens da trama.

  6. Parabéns jornalista Zé Aparecido ..é exatamente isso ,o Gilmar Mendes quer desviar o foco,que é esse inquérito do fim do mundo ,conduzido por vossa excelência o semi deus ,Alexandre de Moraes ..esse em especial será desmascarado e ficará exposto a vergonha nacional….aquí na cidade de São Paulo ,ele atrapalhou nossa vida no transporte de passageiros e como secretário da justiça do estado ,quase acabou com nossa polícia ..esperar o que de quem sempre advogou para facção criminosa ?

  7. MENCIONOU TUDO QUE O POVO PENSA (POREM O QUE FAZER ) SE ESTAMOS SUJEITOS A PENALIDADES DE EXTERNAR NOSSA OPINIAO QUE SOMOS SIMPLES MORTAIS , JA QUE POLITICOS QUE TEM IMUNIDADE ESTAO SENDO CERCEADOS DOS SEUS DIREITOS.

  8. Você simplesmente contextualizou tudo que pensamos sobre estes 11 gangsters, temos que ser fortes, para enfrentar a sensação de impotência que sentimos diante de inescrupulosos togados que se acham verdadeiros
    semideuses. Avante Aparecido!

  9. Brilhante artigo,abrangente é que desnuda a verdadeira posição do STF!
    Parabéns mais uma vez por mais este texto de excelente qualidade

  10. Parabéns… Rio Grande do Sul precisa de mais jornalistas como você. Siga sempre firme em suas opiniões e tenha certeza que o povo brasileiro o apoia …

  11. Parabéns grande jornalista José Aparecido! Gosto de ler textos que expressam e pontuam muito bem e com muita inteligência críticas em relação a política de nosso país! Mas quero dizer que o senhor foi muito feliz em suas colocações e realmente tem toda razão em fazer essa leitura do STF e desses três intragáveis ministros: Gilmar Mendes, Toffoli e Alexandre de Moraes.

  12. Análise perfeita, retrata de forma definitiva o que se passa em nosso país. Esse senhor não tem moral para nenhum tipo de crítica ao Exército. Aliás, não devia criticar nada, não é sua competência. Ele se incomoda com os doze militares em cargos do Governo. No entanto, quando Lula e Dilma nomeavam guerrilheiros (sim, isso mesmo) não havia crítica.
    Parabéns pelo brilhante artigo!

  13. Tivessemos hoje Generais da estirpe de Médici , Geisel, Newton Cruz, Figueiredo , o meliante.gilmar Mendes seria preso ao desembarcar de Portugal. Porque para acionar a Interpol , seria necessário outro colega de militância emitir mandato de prisão e a corporação não faria isso. Lamentavelmente os Generais de hoje são mais ligados as letras e preferem notas oficiais melancólicas e covardes , mesmo debaixo de vara, se for caso. E dizem que para agir em defesa da Pátria precisam do povo . O povo já fez dezenas de manifestações de apoio.Mas agora temos uma questão que leva a apreensão de todos : se o povo for e os generais e as forças armadas decidirem por.uma nota oficial ? Como é que fica ?

  14. Excelente texto, diferente de todo tipo de alucinações que conferimos por aí.
    Infelizmente pobres mortais e nem poderosos podem julgar homens do mau como este juíz que com certeza se pudesse expor seu trabalho já estaria demitido por todos os brasileiros que pagam por seus luxos descabidos e que deixa nossa nação indigna.
    Sentimos vergonha desses homens que têm poder porém o usam apenas em benefício da própria vida e de seus comparsas, se negando a trabalhar pelo pais, pensam que vão viver para sempre…
    Vergonha

  15. Excelente artigo. Provavelmente o mais abrangente lido por mim sobre esse abominável ministro do STF.
    Obrigado e boa tarde.

  16. Primeiramente, parabéns a esse nobre jornalista. Sobre o STF, em especial, os Srs. Gilmar Mendes, gangster e mafioso, e esse incompetente advogado petista e de sindicato Dias Toffoli, reprovados em exames para Juizes devido a tamanha incompetência e falta de capacidade como juristas, e que são a vergonha do Poder Judiciário, especial do STF, Poder este que é a causa das impunidades, injustiça, crimes de divs naturezas, corrupções praticadas por políticos safados, enfim, aumento da criminalidade de todas as espécies por este Brasil, e, que devido a grande paciência do nosso Presidente Bolsonaro e do Exército Brasileiro ainda espalham suas falsidades, incompetencia e autoritarismo, que rasgaram a Constituição Federal e a jogaram no lixo, ainda esbanjam e ignoram o povo, os Poderes Executivo e Legislativo sem qualquer preocupação ou pelo simples ar de superioridade ou intocáveis como se acham, ainda não foram exonerados e ou presos por conspiração contra a Nação. Até quando teremos que assistir esse filme de horror protagonizados por esse STF, enfim, de todo o Poder Judiciário ?? Deus, salve o Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.