Em BH portas fechadas para comerciantes locais e abertas para os Xing Lings. Por quê?

Diante de revelação da Organização Mundial da Saúde – OMS, feita na segunda feira (8) pela diretora do programa de emergência sanitária Maria Van Kerkhove sobre equivoco no modelo de isolamento, o prefeito de Belo Horizonte não terá mais argumentos para manter parte do comércio fechado. Kalil usa as orientações da “ciência” como se ela não pudesse agir a serviço da política e de interesses antirrepublicanos.

Sei que tentarão reposicionar a fala da diretora da OMS de acordo com a conveniência da mídia conspiradora fake news (Globo, Band, CNN, portais e jornais conhecidos), todos a serviço de quem paga mais. A própria diretora será enquadrada devendo negar o que disse ontem. Porém o que ela afirma e centenas de médicos renomados de várias partes do mundo já haviam anunciando, inclusive o ex-ministro da cidadania Osmar Terra, também médico e ex-secretário de saúde do RS, confirmam que o modelo de isolamento mais eficaz é o vertical. Ainda que tarde, os que se dizem contra acabarão reconhecendo.

O que justifica uma cidade de 2,7 milhões de habitantes e 50 óbitos, permanecer fechada?

Com efeito, independente do que diz a OMS, nada justifica o fato de shoppings populares ocupados predominantemente por imigrantes chineses estarem abertos, enquanto os tradicionais explorados por empresários belo-horizontinos permanecem fechados. Com ou sem acordos espúrios, as atividades econômicas em BH precisam ser retomadas imediatamente.

Especula-se que o movimento orquestrado visa empurrar a quarentena até 31.12.2020, mantendo as licitações suspensas na PBH. Comenta-se também que o objetivo secundário é provocar quebradeira de comerciantes belo-horizontinos para que os chineses apresentem-se como salvadores da pátria, comprando pontos e estoques a preço de banana. Será que os orientais fazem parte do embuste de conveniência e viabilidade econômica dos mentores envolvidos na trama sórdida?

Circulam na internet questionamentos razoáveis, alguns deles viralizaram e sugerem atenção: “A quem interessa que lojistas da Galeria do Ouvidor e do hiper-centro venham a falência? Existe uma raça que sonha em comprar pontos no tradicional comércio do centro. Quem será? E o pior, tudo com a conivência de quem diz nos defender enquanto comete genocídio empresarial?”, conclui o autor.

Outro comentário que ganhou as redes sociais está fundamentado na lógica e diz: “Pense na inteligência de um político que manda fechar a orla da lagoa da Pampulha, as praças, mas permite a abertura dos shoppings populares?” O comentário encerra com um desafio: “Diariamente um milhão de pessoas usam o precário transporte coletivo de BH, e nele a cada metro quadrado seis pessoas estão praticamente grudadas umas nas outras”, e conclui, “se o vírus fosse o que dizem, metade da população de BH já teria virado estatística”.

Por que os chineses estão sendo privilegiados com a reabertura de suas lojas?

Fontes dentro da prefeitura informaram que empresários conhecidos estão envolvidos no prolongamento da quarentena. Por trás também agem secretárias de governo responsáveis pela retirada de camelôs do centro, cuja atuação permitiu que a ocupação de shoppings fossem tratadas fora da lei de ocupação na proporção de 1 para 1,9 M2 o potencial construtivo, liberando geral na ocasião. A operação urbana é embasada na Lei 11.074 de 05/10/2017 – Art14, que trata das contrapartidas.

As mesmas fontes revelaram que o espaço negociado e o valor em troca de potencial construtivo teriam rendido alguns R$ milhões… Dinheiro este que está sendo utilizado na construção de shopping nas cercanias de BH rumo a “BR 3”.  A fonte confidenciou ainda que tal empresário teria como parceiros grandes distribuidores chineses de SP, empreendedores de shoppings populares naquela capital. Será este o motivo da proteção aos empresários que passaram por operação urbana, leia-se, Casa dos Chineses?

Perceba que a narrativa do prefeito Kalil sempre foi: “As vidas valem mais do que os empregos”, porém a única exceção que quebra sua cantilena é a abertura dos shoppings OI, UAI e as lojas de chineses por toda cidade mantendo, “inexplicavelmente”, o fechamento dos demais shoppings e do comércio da capital hoje praticamente falido.  

Interesses políticos, econômicos e escusos por trás da abertura seletiva.

Não resta dúvida para quem conhece os movimentos obscuros nos bastidores do poder que a quarentena prolongada tem sim interesses políticos, econômicos e espúrios, capitaneados por oportunistas que militam em causa própria às véspera de mais um pleito municipal. Tudo na calada da noite e no silêncio dos gabinetes da PBH.

A propósito, por onde anda o MP, Receita Federal e Sec. Da Fazenda, a justiça, as associações e os homens de bem desta cidade? A CMBH que deveria agir, todo mundo sabe, está afinada com o prefeito em seu projeto de reeleição, é mera espectadora e extensão do gabinete do mandatário, com exceções raríssimas e honrosas, que não passam de cinco, dos 41 vereadores. Haja sangue frio para tanta picaretagem. Mas será que existe crime perfeito?

e-mail: jaribeirobh@gmail.com – WhatsApp: 31-99953-7945

6 thoughts on “Em BH portas fechadas para comerciantes locais e abertas para os Xing Lings. Por quê?

  1. Discurso muito interessante, mas o inicio com uma infelicidade sem precedentes, ao afirmar um erro da OMS em um assunto ainda sem muitos dados comprobatórios e também ao tentar desqualificar os jornalista e seus canais. Tenho certeza que muita gente parou de ler. Mas no final você se redimiu ao colocar com categoria a questão: à quem interessa liberar os “muvucados”shopping’s populares e deixar fechado o comércio do centro e as galerias, com suas tradições de décadas na cidade de BH.

  2. Se o povo de BH for esperto já sabe quem são os vereadores comprados pelo Kalil
    Espero q não sejam reeleitos juntamente com ele

  3. Vai o meu grito de alerta! Como podemos ser tão mansos, acovardados contra os políticos deste país. Como uma mídia medíocre colaborou para a mortes de milhões de irmãos
    brasileiros que mandando 24 horas obedecer “o fica em casa”. A covardia com os idosos. O desrespeito com o patrimônio público e privado. Como aceitamos fecharem nossos negócios que mantemos com tanto sacrifício para entregar de bandeja pra pessoas que aderem ao regime comunista. A frieza destas pessoas matando cristãos está rodando nas mídias sociais. Estão vindo para o país onde existem o maior número de católico do mundo.Imaginem o que farão conosco. Tudo isto me lembra a segunda guerra mundial o que os nazistas fizeram com os judeus. Como os governadores e prefeitos trocaram o patriotismo pelo poder. Varreram para debaixo do tapete qualquer chance de nos defender. Nos colocaram na frente, como escudos, para sermos metralhados. Fiquei indignada com o crápula da câmara desfazendo da bandeira nacional. Com as atitudes de ministros recebem pedido de partido para suspender remédio que poderia salvar vidas. Muito sério, muito desesperador tudo isto. A classe média que sustentava este país e o salários altíssimos do executivo, legislativo e judiciário foi massacrada.

  4. Os chineses já estão vacinados, é a resposta.
    Graças a Deus poderia estar pior se fosse o Pilantrel.
    Esse kalil acha que os lojistas são cruzeirenses.
    Esse cidadão é a pirraça em pessoa.
    Tipico dos petistas, o dinheiro chinês tá voando pra baixo e pra cima.
    Tinha um fazendeiro muito trabalhador em Patrocínio mg, ele tinha muita indignação porque ele fazia até mais que os japoneses, gaúchos descendentes de holandeses e o governo brasileiro tinha acordos agrícolas com esses paises.
    Sempre com muito dinheiro e benesses.
    Esses chineses aí, vc entendeu?
    Estão no Brasil intéiro quem está por trás desses cnpj?
    Cabe uma boa pesquisa.
    Um abraço

    1. Me lembro muito bem dos ex empregados dele reclamando de maus tratos durante a campanha eleitoral. Ñ votei e jamais votarei nesse Sr.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.