Jornalismo da TV Record rotula de fake news parecer de médico pós-doutor em virologia pela Universidade de Gottingen na Alemanha

Diferente da sua concorrente direta, a Rede Globo de televisão, emissora que mandou as favas à ética jornalística e virou partido de esquerda, determinado a derrubar o presidente da republica, a TV Record vinha prezando pela ética em sua cobertura jornalística da pandemia e sobre a política no Brasil.

Na noite desta quinta feira (26), contudo, no Jornal da Record, a emissora chamou de fake news a instrução sobre uso de máscaras dada pelo médico Dr. João Vaz, de 75 anos, do Rio de Janeiro, que é virologista com pós-doutorado na Universidade de Gottingen na Alemanha. No vídeo, que viralizou nas redes sociais, o experiente médico explica os malefícios à saúde decorrentes do uso incorreto de máscaras em ambientes com ventilação, onde não existem riscos de contaminação.

O especialista – é importante observar – não condena o uso de máscaras, apenas sugere que elas sejam usadas de forma racional e adequada, e não como vem sendo imposto à população na maioria das cidades brasileiras – sobretudo naquelas que aderiram ao protocolo de governadores que são contrários ao presidente Jair Bolsonaro. Ou seja, a saúde e a política se misturaram no Brasil não para preservar vidas, mas para aumentar estatísticas de mortes.

O tropeço não é do time de jornalistas, mas de algum estagiário mal influenciado.

Conheço pessoalmente o time de jornalistas da TV Record e, embora não tenha procuração para defendê-los, sei que são adeptos da verdade e das boas práticas profissionais.  De certo o escorregão é um caso isolado promovido por algum produtor inexperiente, ainda sob a influência do espírito universitário de faculdades de jornalismo, onde predomina a ideologia da esquerda. Comportamento comum em redações de jornais, televisões e rádios por todo o país. Não é essa – ou não vinha sendo essa – adianto, a prática do Grupo Record de televisão.

O bom jornalista não age por impulso: mantém distanciamento, respeita opiniões divergentes e dá espaço igual às partes, quando se trata de tema controverso. Mas isso não ocorreu na matéria intitulada “Receitas Milagrosas”, exibida no Jornal da Record desta quinta feira (25), em que o Dr. João Vaz não foi ouvido, embora seja um profissional reverenciado pela ética e boa conduta médica. Ele é, por exemplo, dos poucos que, em ato heroico, cuida das pessoas pelo que elas são e não pelo que elas têm no bolso: suas consultas são gratuitas.

O médico deixou as convenções de lado, sem perder a ética tão logo percebeu a politização da doença. Ele também não se presta a repetir discursos ensaiados por emissoras de TV como a Globo, e inclusive faz críticas severas ao desserviço que esta emissora presta à população. Faz com fundamentação acusando ela de assassina, ao disseminar o terror, devendo ser processada.

Veja live gravada pelo experiente jornalista Ricardo Carlini (TV Alterosa – filiada do SBT em Minas Gerais) na noite de quarta feira (24/06), em que entrevistou o Dr. João Vaz.

 https://www.instagram.com/tv/CB1rB0RpvM3/?igshid=zwyf0ti6jkkd

Dr. João Vaz merece reverência, e não criticas!

Dr. João grava vídeos que são verdadeiras palestras, didáticas, mostrando que a Covid-19 tem cura e ela está ao alcance de todos. Elogia a postura do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro por não interferir na autonomia do médico, sobretudo aqueles que têm formação e história de sucesso em suas condutas. Nos vídeos que viralizaram na internet, o médico carioca informa corajosamente seu telefone celular e endereço, além de esbanjar boa vontade para os pacientes que não podem pagar consultas caras na rede particular ou em consultórios estrelados.

Não por acaso angariou legiões de pacientes que atestam a eficácia das suas receitas à base de ivermectina, anticoagulantes, mais a polêmica Hidroxicloquina associada a antibióticos e corticoides. Ele é apenas mais um entre centenas de médicos a atestar que, se a doença for detectada e tratada nos primeiros dias, antes do sistema imunológico explodir, a solução é relativamente simples e ao mesmo tempo capaz de evitar as entubações, tão destrutivas para o organismo.

Tenho certeza que se o produtor da matéria tivesse pesquisado sobre a reputação e a história do Dr. João Vaz, o resultado teria sido de exaltação e não de crítica. Na oportunidade peço aos colegas da TV Record que levem em conta o currículo do Dr. João Vaz, comparando ele aos dois médicos ouvidos, Dr. José Rodrigues, pneumologista e João Prats, infectologista. Ambos muito mais para alunos do que para críticos das práticas médicas defendidas pelo Dr. João Vaz, que é pós-doutor em virologia por respeitadíssima Universidade Alemã.

José Aparecido Ribeiro é jornalista em Belo Horizonte – MG

e-mail: jaribeirobh@gmail.com – WhatsApp: 31-99953-7945

7 thoughts on “Jornalismo da TV Record rotula de fake news parecer de médico pós-doutor em virologia pela Universidade de Gottingen na Alemanha

  1. Gente, vamos assumir nossa realidade.a
    Somos TODOS parte do povo brasileiro. Vivo me policiando, mesmo assim às vezes me irrito e me porto como se fosse dinamarquês ou Norueguês. Não adianta ficarmos maldizendo nosso povo pelas posturas que tem ou pelas besteiras que diz. Precisamos ajudar as pessoas simplórias a melhorar para entender o que está acontecendo, para que decidam quem são os verdadeiros “inimigos”. Também para que percebam o mal que causam aos filhos e netos deles e a eles mesmos, por fazerem ECO às mentiras de esquerdopatas que os usam como MULAS (parecido com o que fazem os traficantes, ao se aproveitarem das vulnerabilidades de infelizes que nem sabem o risco que correm.
    Se queremos mudar o Brasil – sem pegar em armas – o único jeito é elevar o padrão dos eleitores. É absurdo esperar que as escolas façam isso, quando sabemos que a EDUCAÇÃO está toda contaminada pela esquerdalha. Saibam e passem para frente a realidade dos números. O MEC tem mais de 300 mil funcionários (100 mil colocados para dentro apenas no período da Dilma), uma legião de ativistas/militantes. Enquanto o MINISTÉRIO DA SAÚDE tem 104 mil. O Orçamento da Educação (R$ 12 bilhões) está entre os 15 maiores do Brasil, aí incluídos os Orçamentos de todos os Estados.e entre os maiores investimentos do mundo (em relação PIB), incluídos todos os países do primeiro mundo Ao mesmo tempo, o resultado apresentado, desde FHC, está entre os cinco piores do mundo. Interessa aos dirigentes esquerdopatas que as pessoas, sequer, entendam o que leem.
    Para cada avanço dos nossos inimigos – pouco importa quem sejam – temos que reagir e forçá-los a retroceder. Se a Record agiu como agiu, pouco importa a motivação deles. Não devemos ficar decepcionados ou espantados, precisamos de foco, capacidade de reação instantânea. Tipo, se bate, leva. Vamos, em massa, entupir as caixas de e.mail da Record e exigir retratação ao Dr. Vaz, dando a ele a oportunidade de debater com qualquer especialista que a Record escolha. Provem – cientificamente para ele que está errado – descubram algum paciente, tratado por ele, que não tenha sido curado. Vamos exigir da Record que provem ser CRISTÃOS, ABERTOS A ADMITIREM O ERRO E SE DESCULPAREM. Não faz sentido, deixá-lo levar “porrada” sozinho. por ter ficado do lado do povo. Todos os médicos chamados à Televisão – no momento – já passaram por uma triagem prévia. Alguém acha que a Globolixo daria microfone aberto ao Dr. Vaz ? OU MESMO O COLOCARIA NUM DEBATE COM ALGUÉM DELA ? Não dá para ser combatente APENAS sentado num poltrona em casa e reclamando de tudo, SEM FAZER NADA. A inércia condena todos à paralisia eterna e garante a remoção para a cova, quando começar a feder. Fora da luta, o que existe é a DERROTA CERTA. Já perdeu quem – antes – já decidiu não lutar.

  2. Tem hora que acho que o Brasil não tem jeito nem futuro.
    Ah povinho sem eira nem beira.
    Tô decepcionado com esta gentalha que habita nossa mãe gentil.

  3. É lamentável a atitude da TV Record. O mínimo que deveria fazer era pedir desculpas publicamente ao médico, que em atitude humanitária, disponibiliza seu conhecimento sobre o assunto, aqueles que lhe pedem ajuda. Que desserviço fez a TV Record

  4. Total inversão de valores. Em tempos onde é tão difícil encontrar pessoas que ajudam por pura generosidade, Dr João só deve receber mesmo agradecimentos pelos preciosos esclarecimentos.

  5. Excelente texto, de profissional comprometido com a verdade e não contaminado com ideologias ou grupos. Conheço os vídeos do Dr. João Vaz e, a despeito de seu currículo de excelência, é um ser humano de 1ª grandeza preocupado com o seu semelhante. Como médico, humilde e solícito (até o nº de celular disponibilizou), coloca-se acessível a todos, por saber que pode ajudá-los na preservação de suas saúdes e vidas. A Record deve-lhe desculpas e retratação. Lamentável!

  6. Boa tarde, vi o depoimento do médico e gostei muito.
    Ivermectina usar como profilaxia fase zero, mata o vírus.
    Corticoide é usado para diminuir a resistência do organismo ou seja a imunidade, porque o coronavirus qdo ataca provoca um descontrole da defesa do organismo.
    Nesse momento a defesa provoca coágulos e é necessário anticoagulante.
    Dentro do composto vem a hidroxicloroquina e azitomicina etc.
    Se vc tomar 1 cp de Ivermectina para cada 30 kg de uma só vez, e repetir a cada 10 dias por 6 vezes, vc ficara praticamente imune do coronavirus.
    Depois se precisar repete novamente apos 60 dias.
    Isso foi a colocação do médico.
    O que nos afeta é a reação da defesa do organismo e pra quem tem comorbidade pra diminuir a imunidade pode as outras doenças aproveitarem esse momento e matar o paciente.
    Jornalista inexperiente fala e escreve bobagem.
    Aprender com o tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.