16 mortes em Rodovias Federais. Apenas uma não foi por colisão frontal.

Das 16 mortes registradas nas rodovias federais que atravessam MG apenas uma não foi por colisão frontal.

Em apenas uma havia presença de álcool. A idade média dos que morreram e eram motoristas, é de 50 anos, portanto, motoristas responsáveis ao volante.

Os dados revelam que se as rodovias fossem devidamente duplicadas, com pistas independentes, com barreiras fisicas de concreto ou aço, nem o motorista da carreta que tombou na BR 381 em Ravena, teria morrido.

Não há o que discutir, em rodovia segura as possibilidades de mortes caem significativamente. Basta avaliar as estatísticas das rodovias de São Paulo que tem uma frota de 21 milhões de veículos e comparar com as de Minas que tem uma frota de 8 milhoes de veículos. Morrem 8 vezes menos motoristas em SP do que em Minas proporcionalmente.

Em rodovia segura não tem mortes, o resto é conversa fiada e estatística furadas para tapar o sol com a peneira e transferir para quem é vítima, as causas de acidentes.

O maior culpado por essa calamidade que não tem fim chama-se: GOVERNO FEDERAL – Ministério dos Transportes e dos políticos que não se mexem.

José Aparecido Ribeiro

Consultor em Trânsito e Mobilidade

ONG SOS Rodovias Federais

CRA MG 0094 94

31 9953 7945

Enviado pelo meu aparelho BlackBerry® da Vivo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.