Acidente no viaduto da Mutuca para BH, mais uma vez.

No último sábado, 21 de dezembro, fui ao Condomínio Retiro das Pedras visitar um amigo e no caminho me deparei com um acidente encima do Viaduto “Paulo Luterback Abreu”, mais conhecido como Viaduto da Mutuca, na BR 040, saída para o Rio. O acidente por volta de 15:30hs e o motorista do caminhão veio a falecer, lamentavelmente. Na volta, quando já passavam das 21H, encontrei o caminhão no mesmo lugar e um engarrafamento gigante que se estendia até a curva do ponteio, com retenções também pelo Anel Rodoviário e pelas Avenidas Raja Gabaglia e Nossa Senhora do Carmo, parando a Zona Sul da cidade.

 

No dia 23 de maio de 2012, um acidente parecido com uma carreta no Anel Rodoviário, parou Belo Horizonte e fez o trânsito entrar em colapso por mais de 8 horas naquela via, algo corriqueiro hoje e que a população já está se acostumando, passivamente. Naquela ocasião, após protestos de quem esteve preso nos engarrafamentos que se estenderam como ondas pelos 4 cantos da Capital, as  autoridades resolveram criar o “Comitê de Crises”, coordenado pelo presidente da BH Trans e com a presença dos vários órgãos responsáveis pela defesa, segurança, saúde, equipes de resgate e principalmente guindastes, prontos pata entrar em ação, afim de evitar episódios como aquele em que milhões de pessoas ficaram presas dentro de carros e ônibus por mais de 4 horas.

 

Diante do ocorrido neste sábado, pergunta-se: Onde está o Comitê de Crises? Será que não funciona em finais de semana e feriados? Sé é para agir em situações de crise, precisa estar pronto para respostas rápidas, seja qual for a razão. Sobretudo se considerarmos que acidentes no Anel e nas Rodovias que circundam BH são quase que diários. É inadmissível que um acidente com um caminhão possa causar o colapso do trânsito de uma Capital onde vivem 2,5 milhões de pessoas. Entre 15:30hs e 21:30hs foram 6 horas de trânsito praticamente parado. Se a cidade não tiver capacidade para deslocar um reboque que permita a desobstrução da via permitindo que o trânsito, mesmo que lentamente, possa fluir, sinceramente, e que me perdoem as Entourages, quem a governa não tem competência para tal.

 

Isso vale para as autoridades Municipais, Estaduais e Federais, incluindo PRF, DNIT, BH Trans, Corpo de Bombeiros, MP e o tal Comitê de Crises, que parece existir apenas para “inglês ver”. Fica o protesto e a indignação de um cidadão preocupado com o que pode acontecer com a terceira Capital do País, as vésperas de uma Copa do Mundo, se alguma catástrofe vier a ocorrer em BH. Pergunto ainda: Onde andam os políticos nesta hora?

 

José Aparecido Ribeiro

Consultor em Mobilidade e Assuntos Urbanos

Presidente da ONG SOS Mobilidade Urbana

CRA MG 08.0094/D

31-9953-7945

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.