Anel Rodoviário – Vitimas e Algozes na mesma vala.

Passava das 9H, desta terça feira dia 5/4, quando ouvi em uma rádio da capital que o Anel Rodoviário estava parado desde as 8H por causa de mais um acidente provocado pela “imprudência de motoristas irresponsáveis que não tem amor pela vida”.
A maneira veemente que o locutor usou para dar a notícia me deixou surpreso. Cheguei a pensar que ele estivesse presente no local e poderia ser testemunha de mais uma tragédia no Anel da Morte.

Preso no trânsito, o que não é novidade e na leitura deste mesmo radialista, culpa do “excesso” de veiculos, e não da incompetência de quem nos governa para prover infra estrutura capaz de receber os carros produzidos e consumidos aqui mesmo, segui ouvindo os desdobramentos da notícia. Na medida que os fatos iam sendo esclarecidos, e com a participação de ouvintes, o discurso, discretamente começou a mudar.

De repente a ficha do radialista que há alguns minutos acusava as vítimas de serem os “irresponsáveis” ainda presos nas ferragens, mas com vida, começou a mudar de categoria. De algozes para vitimas em menos de meia hora. Menos importante do que a causa deste em específico, é a análise do fenômeno.

Me deu vontade de participar ao vivo e perguntar ao jornalista portador da “verdade” e da noticia o que faz ele pensar que todo acidente tem um culpado e nunca é a falta de estrutura da via. Será o mesmo discurso oficial que tenta nos imputar a culpa de todas as mazelas o fato de termos nascido no Brasil? Ou a tese da PRF e dos órgãos de defesa de que todo acidente tem uma falha humana?

Este episódio revela entre outras coisas o tamanho dos políticos que nos representam. Ou seja, eles não existem se considerarmos o tempo que esperamos providências para este imbróglio, a sua gravidade e emergência. É sempre a mesma ladainha em véspera de eleição. Todo mundo pega uma boquinha, mas ninguém abraça a prostituta e leva ela para casa. O Anel Rodoviário é o filho feio sem pai. Filho da prostituta. Até que ele vire doutor ou político.

Revela também a falta de profundidade que a imprensa belo-horizontina, com raras e honrosas exceções vem tratando há algumas décadas o tema. Milhares de pessoas perderam a vida ali, e não se mexe uma virgula para dar nomes aos bois. Ouço sempre a mesma coisa: a culpa é do poder público federal e do motorista imprudente. O imprudente, eventualmente nós já conhecemos, como hoje. Sempre existirão. Cabe ao poder público nos proteger deles, usando para isso todos os recursos, inclusive os de engenharia.

Mas quem é o poder público federal, esse ente abstrato? Ele é composto por ET’s? Existe alguém com nome e endereço esperando pelo MP e pela justiça, agentes públicos omissos, imprudentes, negligentes ou cometedores de prevaricação. Contudo, o que vi até hoje por parte do MP foi acusar vitimas, com o apoio de parte da imprensa, indevidamente. Algumas inclusive sendo presas e levadas a tribunais para alimentar vaidades de promotores, delegados e policiais.

Nao se tem notícias no entanto de alguem preso por incompetência ou falta de compromisso com a coisa Publica. Até quando vitimas e algozes serão tratados como semelhantes no Anel da Vergonha?

José Aparecido Ribeiro
Consultor em Assuntos Urbanos
Fundador da ONG SOS Rodovias Federais
Autor do Blog SOS mobilidade Urbana
31-99953-7945

8 thoughts on “Anel Rodoviário – Vitimas e Algozes na mesma vala.

  1. Poder público federal? Ué, nosso prefeito falastrão e populista disse na campanha eleitora (lógico) que acidente no anel é problema da prefeitura sim. Cadê ele agora?

  2. Parabéns mais uma vez por conseguir enxergar ,na minha opinião , a incompetência deste governo!
    Fábrica de doentes mentais!
    Fábrica de Vítimas deprimidas e governantes Psicopatas!

  3. Passo todos os dias no anel rodoviario, de manhã e a tarde. Ja vi inúmeros acidentes e mortes. Eu mesmo ja passei muito sufoco. Mas o que quero chamar a atenção é o seguinte: Parece que o radar que existe no Anel, em frente ao Aeroporto Carlos Prates só serve para causar acidentes. É muito difícil um dia sequer que nao ocorre colisões no local. Já é ponto dos guinchos. É só passar e observar.

    1. Cara, este blog está incrível! Só leio verdades aqui. Também utilizo o anel diariamente. Isso é uma VERGONHA, é a representação do descaso completo dos governantes com o povo! Motoqueiros caídos, entre vivos e mortos, TODO dia eu vejo! Afunilamentos de faixas bizarros nos viadutos que causam contenção e acidentes! Pneus estourados e cachorros mortos… daria uma caçamba cheia por dia! Caminhões na faixa do meio e esquerda então… INCONTÁVEIS! E se você estiver no anel e ver um Up buzinando, gesticulando e xingando os caminhoneiros para irem para a direita, esse sou eu! Isso tudo em um trecho pequeno que pego do anel de cerca de 6 ou 7 km.

  4. Esse Anel Rodoviário é uma vergonha! Ali trafega de tudo… caminhão caindo aos pedaços, motoqueiros vida loka, sonsos, mal educados, arrogantes, imprudentes, carroças (sim, carroças!), cachorro de rua, pedestre com medo ou preguiça da passarela, urubus comendo carcaça de animais atrolepados… um caos!

    Se observar bem você verá também… Veículos pequenos disputando espaço com veículos pesados, caminhões na faixa da esquerda, caminhões e carretas com carga desprotegida (e em excesso) estreitamento maluco de pista, pista sem faixas, placas escondidas atrás do mato, pneus estourados pela pista, parachoques quebrados, calotas quebradas pelo caminho, óleo na pista, veículos estragados fora do acostamento (nem tem acostamento!), saídas mal sinalizadas, margeamento de pista coberto pelo mato, casas na beirada da rodovia (um perigo!), caminhoneiros virados na noite piscando farol na traseira de veículos menores que respeitam o limite de velocidade… enfim…

    Uma bagunça vergonhosa! E faz tempo que é assim. E a cada ano PIORA! Como o poder público é omisso e ineficiente, o melhor que eu faço é evitar passar por lá. Sorte a minha que não dependo dessa rodovia porca e absurda. Mas, lamentavelmente tem muita gente que depende de passar por ali todo dia…

    Muda Brasil!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.