Ciclovias pra que e para quem?

É moderno defender a idéia de ciclovias em todas as cidades do mundo. São as tendências. Será? Prefiro acreditar, analisando fatos de que trata-se de coisa de brasileiro que viaja para a Europa e não exercita a lógica, antes do bom senso. Gostaria de estar errado, mas a realidade me diz o contrario. 

Ninguém é contra ciclovias onde elas são possíveis e factíveis. O que não é o caso da maioria das ciclovias implantadas em BH, que estão sempre as moscas. Sou ciclista, pedestre, motorista, mas antes sou cidadão e ando pela cidade a pé, de ônibus no precário transporte coletivo que a cidade oferece e de carro. 
Faço isso com olhar atento, o que parece não ocorrer com os nossos políticos e alguns ciclistas radicais que querem exorcizar o carro como se ele fosse o vilão da mobilidade. Não é o carro o vilão da mobilidade, mas a incompetência de quem nos governa. 
Aos mais afoitos, sugiro que deixem seus consultórios ou escritórios em horário comercial para constatarem que nossas ciclovias fracassaram, servem apenas para complicar ainda mais o já intricado transito de uma cidade que possui um passivo de obras de mais de 30 anos e que não vai parar de receber carros novos, cada vez mais largos, robustos e potentes. 
Isso por que brasileiro, antes de gostar de bikes, e de discursos moderninhos de sociólogos e agentes públicos que vivem longe da realidade, encastelados fazendo discurso politicamente corretos, é apaixonado por carro.
Acredite, amo minha bike e adoro levá-la para a cidade de Campinas, quando vou visitar parentes. Lá, as bikes reinam absolutas nos finais de semana, em vias devidamente sinalizadas. 
Lá, ao contrario daqui, todos a respeitam como um meio de transporte e de lazer em horário e locais próprios, sem competir e medir força com veículos em uma guerra insana, desnecessária e que revela o quanto precisamos amadurecer como sociedade civilizada. 
Lá não tem tem vaidades, tem bom senso e uso da lógica como método para decisões importantes que afetam a vida do coletivo.  Convido os radicais para uma visita à progressista cidade de Campinas- SP, onde ciclovias funcionam e atendem a todos.
José Aparecido Ribeiro
Consultor em Assuntos Urbanos
Presidente do Conselho de Política Urbana da ACMinas
CRA MG 08.00094/D
31 9953 7945

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.