Corea do Sul protesta; Brasil pula.

Não é de hoje que o carnaval tem o poder de “abduzir” o povo brasileiro tirando ele da realidade. Seria mais do que natural e aceitável, não fosse o momento dramático que o Brasil vive, em uma crise sem precedentes. O país está derretendo, mas em um passe de mágica, tudo fica secundário, ja a folia vira prioridade, com direito a um mundo perfeito de colombinas, pierrouts, e fantasias. É comum ouvir na tv, pelos principais beneficiários da insensatez que trata-se do maior espetaculo da terra. Será?

A “felicidade” mesmo que artificial e temporária, toma conta do país de norte a sul, meio que “cancelando”, sublimando o sofrimento que é a marca do cotidiano do povo, fazendo ele esquecer dos escândalos envolvendo politicos, varrendo para debaixo do tapete a crise na saúde, na educação, na segurança e em especial no desemprego que bate recordes com quase 25 milhões de trabalhadores fora do mercado.

Do outro lado do mundo, uma das nações mais prósperas da Asia, onde não há pobreza, rebelioes, cadeias medievais, favelas, tráfico, arrastões, gangues, violência, e que é exemplo de democracia, mais de meio milhão de pessoas protestam contra a presidente que está sendo impeachemada. Acredite, estamos falando da Corea do Sul, um dos Tigres Asiáticos, exemplo de ética e zelo com a coisa pública.

Lá, manifestantes, predominantemente estudantes, prometem ficar nas ruas até a renúncia de Park Geun-hye. A presidente é acusada de corrupção e tráfico de influência. Ela teria tramado, com uma amiga íntima, o repasse ilegal de dinheiro público para fundações sem fins lucrativos. Note a diferença do crime cometido lá, (em nome de instituições filantrópicas) e que motiva os protestos, com os crimes que acontecem aqui e que já não tocam mais o coletivo.

No Brasil, repare, os próprios políticos, seus grupos e parentes costumam ser os beneficiários da corrupcāo. Contudo, embora seja de conhecimento de toda a nação, ainda assim nada é suficiente para fazer o povo esquecer da folia cobrando ética dos políticos como acontece na Corea do Sul. Dar um basta na corrupção e na promiscuidade que tomou conta da coisa pública, incluindo empresas estatais depende da reação do povo, e essa reação parece adormecida, não vem. Com isso, o dinheiro roubado que deveria ser aplicado na saúde, na educação vai para o ralo da corrupção alimentando quadrilhas do colarinho branco.

Mesmo tendo consciência de que está sendo enganado o povo veste a fantasia llúdica infanto juvenil e alimenta uma falsa ilusão de que a felicidade advinda do carnaval, seja suficientemente e capaz de livra-lo do buraco que o país está mergulhado. Nesta omissão ele alimenta seu próprio vaticínio. Com efeito, a nação mais alienada do mundo tem mais motivos para protestar do que para comemorar, mas segue mantendo a tradição de que futebol e carnaval é o que importa, e que tudo mais volta a ter importância só na quarta feira de cinzas, depois do meio dia.

José Aparecido Ribeiro
Consultor em Assuntos Urbanos
Autor do Blog SOS Mobilidade Urbana – Portal UAI

10 thoughts on “Corea do Sul protesta; Brasil pula.

  1. Você quer que o povo reaja?????? como cara pálida, se o crime no nosso País compensa e muito, veja um exemplo recente, o ex goleiro bruno, acusado de assassinato, condenado o mixurucas 26 ou 22 anos de cadeia, por matar a amante e quase o filho também, já está nas ruas, feliz, saltitante, cercado de fans, mulheres o que é pior, politicos com envolvimento na lava jato até as orelhas, juram que nunca viram nem falaram com os denunciadores, como???????, o jeito então é engolir a raiva a decepção, a vontade de sair atirando em todo mundo, e cair no Carnaval, não por burrice ou falta de interesse pelo País, é desgosto mesmo.

  2. “Acredite, estamos falando da Corea do Sul, um dos Tigres Asiáticos, exemplo de ética e zelo com a coisa pública.”……”Lá, manifestantes, predominantemente estudantes, prometem ficar nas ruas até a renúncia de Park Geun-hye. A presidente é acusada de corrupção e tráfico de influência’
    nesse caso os protestantes de lá estão desinformados…”pois nao sabem que seu país é um exemplo de zelo com a coisa publica”..eles não devem ler o preclaro cronista mineiro…

  3. Texto cirúrgico, sem delongas, direto ao ponto. Como explicar tamanha alienação em um momento como esse de crise generalizada. Será culpa da imprensa em busca de ibope? Ou a culpa é da ignorância? Seja lá o que for, o autor do artigo soube traduzir com sensibilidade a realidade.

  4. Um país que seria destruído por SAÚVAS … ledo engano, há muito é atacado mortalmente por CIGARRAS …

  5. … BH se torna alvo da máfia do carnaval … os prejuízos financeiros e morais ficam … as hienas, carniceiras … se riem e pulam nas ruas … RJ, Salvador, Recife e SP … já não bastam para exemplos …
    Vi que um imenso escorregador do “monopolizador de carnavais” foi colocado próximo a Praça da Liberdade … com sua logomarca … atraindo a atenção da garotada … e famílias inteiras sorridentes, já vinculando a logomarca ao prazer, desde cedo … para deleite de pai, mãe e os filhos (futuros consumidores).
    Aliás, algum vereador que tenha realmente compromisso com educação poderia por favor, ao invés de propor aumento dos níveis de decibéis para barulho de Igrejas e bares, poderia propor “proibição” para propagandas, em via pública, que vinculem “brinquedos” ou coisas lúdicas com “cerveja”, aliás, considerar cerveja como bebida, seja qual for o tema, já seria relevante, coisa que nem mais as famílias se prestam a fazer.
    Vida que segue, em um lixo de sociedade que há pouco, já me atrevo a comparar e referir-me a ela com uma “sociedade autista” … tal a semelhança das atitudes e reações ao caos em que vivemos.
    Repetindo … não podemos deixar a cidade ser controlada por minorias permissivas, estéticas, improdutivas e sem compromisso com o bem comum.

  6. Espontaneamente o carnaval se fez presente em Belô nos últimos anos e a tendência é que este movimento só cresça nos anos futuros, são momentos de êxtase para uma parcela da população que vai as ruas se divertir, também a muitos diria milhares que se recolhem com os familiares e viram verdadeiros comensais neste generoso quatro dias de folia.
    Problemas todo o pais tem e como se fosse por encanto eles são relegados a segundo plano, mas as complicações existem e se fazem presente nestes dias, desvios de transito, demora fora do comum nos transportes públicos o que gera transtornos, principalmente para aqueles que têm de trabalhar.
    A PBH se fez precaver de várias formas para minimizar ao máximos transtornos ,gerados por esta folia, porém esqueceu do primordial, declarar feriado em Belo Horizonte no dia de hoje, que com toda certeza irá aumentar o número de foliões e diminuiria em muito os transtornos daqueles que tem de trabalhar e o serviço não é tão essencial assim para a rotina da cidade, seria mera formalidade para uma condição já aplicada que faz muita diferença.
    A quanto a Coreia do Sul e os outros tigres asiáticos, devemos promover o nosso carnaval por lá e trazê-los a BH, onde iram a amar a hospitalidade mineira e deixar um pouco da sua consciência política para o nosso povo, que por vontade de um grupo político oculto no terno Sociedade Civil Organizada e amparados por um programa maciço de Mídia, validou a deposição de um governo e empossou outro, composto pela mesma base aliada do governo deposto.
    Resultado estamos vendo os políticos deste novo governo promoverem mudança que afetam diretamente o trabalhador Brasileiro e não vejo uma única panela bater contra o que acontece, as panelas que batem hoje compõem as baterias dos vários blocos que ainda se mostram livres para o cidadão comum brincar e se divertir sem pagar!
    O momento de alegria e felicidade vivido pelo cidadão de Belo Horizonte, nas ruas hoje é bem real e não tem nada de artificial, artificial é quem enxerga este momento como indevido e improprio .
    Vida que segue!

    Espontaneamente o carnaval se fez presente em Belô nos últimos anos e a tendência é que este movimento só cresça nos anos futuros, são momentos de êxtase para uma parcela da população que vai as ruas se divertir, também a muitos diria milhares que se recolhem com os familiares e viram verdadeiros comensais neste generoso quatro dias de folia.
    Problemas todo o pais tem e como se fosse por encanto eles são relegados a segundo plano, mas as complicações existem e se fazem presente nestes dias, desvios de transito, demora fora do comum nos transportes públicos o que gera transtornos, principalmente para aqueles que têm de trabalhar.
    A PBH se fez precaver de várias formas para minimizar ao máximos transtornos ,gerados por esta folia, porém esqueceu do primordial, declarar feriado em Belo Horizonte no dia de hoje, que com toda certeza irá aumentar o número de foliões e diminuiria em muito os transtornos daqueles que tem de trabalhar e o serviço não é tão essencial assim para a rotina da cidade, seria mera formalidade para uma condição já aplicada que faz muita diferença.
    A quanto a Coreia do Sul e os outros tigres asiáticos, devemos promover o nosso carnaval por lá e trazê-los a BH, onde iram a amar a hospitalidade mineira e deixar um pouco da sua consciência política para o nosso povo, que por vontade de um grupo político oculto no terno Sociedade Civil Organizada e amparados por um programa maciço de Mídia, validou a deposição de um governo e empossou outro, composto pela mesma base aliada do governo deposto.
    Resultado estamos vendo os políticos deste novo governo promoverem mudança que afetam diretamente o trabalhador Brasileiro e não vejo uma única panela bater contra o que acontece, as panelas que batem hoje compõem as baterias dos vários blocos que ainda se mostram livres para o cidadão comum brincar e se divertir sem pagar!
    O momento de alegria e felicidade vivido pelo cidadão de Belo Horizonte, nas ruas hoje é bem real e não tem nada de artificial, artificial é quem enxerga este momento como indevido e improprio .
    Vida que segue!

  7. Das Ruas, antes de se divertir, pelo smart fone!!!

    Espontaneamente o carnaval se fez presente em Belô nos últimos anos e a tendência é que este movimento só cresça nos anos futuros, são momentos de êxtase para uma parcela da população que vai as ruas se divertir, também a muitos diria milhares que se recolhem com os familiares e viram verdadeiros comensais neste generoso quatro dias de folia.
    Problemas todo o pais tem e como se fosse por encanto eles são relegados a segundo plano, mas as complicações existem e se fazem presente nestes dias, desvios de transito, demora fora do comum nos transportes públicos o que gera transtornos, principalmente para aqueles que têm de trabalhar.
    A PBH se fez precaver de várias formas para minimizar ao máximos transtornos ,gerados por esta folia, porém esqueceu do primordial, declarar feriado em Belo Horizonte no dia de hoje, que com toda certeza irá aumentar o número de foliões e diminuiria em muito os transtornos daqueles que tem de trabalhar e o serviço não é tão essencial assim para a rotina da cidade, seria mera formalidade para uma condição já aplicada que faz muita diferença.
    A quanto a Coreia do Sul e os outros tigres asiáticos, devemos promover o nosso carnaval por lá e trazê-los a BH, onde iram a amar a hospitalidade mineira e deixar um pouco da sua consciência política para o nosso povo, que por vontade de um grupo político oculto no terno Sociedade Civil Organizada e amparados por um programa maciço de Mídia, validou a deposição de um governo e empossou outro, composto pela mesma base aliada do governo deposto.
    Resultado estamos vendo os políticos deste novo governo promoverem mudança que afetam diretamente o trabalhador Brasileiro e não vejo uma única panela bater contra o que acontece, as panelas que batem hoje compõem as baterias dos vários blocos que ainda se mostram livres para o cidadão comum brincar e se divertir sem pagar!
    O momento de alegria e felicidade vivido pelo cidadão de Belo Horizonte, nas ruas hoje é bem real e não tem nada de artificial, artificial é quem enxerga este momento como indevido e improprio .
    Vida que segue!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.