Deadlock no transito da Região Oeste de BH nesta manhã de quarta feira e nenhum agente da BH Trans para desatar o nó.

Quem passou pela Região Oeste de Belo Horizonte nesta manhã de quarta feira 5/10, não teve dúvida de que o colapso do transito é uma realidade em BH. Explicita também é a incapacidade da BH Trans de dar respostas rápidas a episódios corriqueiros como uma falha de semáforos. A interrupção de funcionamento de 2 semáforos no cruzamento da Av. Coração Eucarístico com a Via Expressa, desde a tarde de terça feira, até a manhã de quarta feira foi o suficiente para transformar o dia de milhares de pessoas em um verdadeiro martírio, durante praticamente duas horas nada andou na Via Expressa e em todas as vias que cortam esse importante corredor da Capital. O “DEADLOOCK” ficou evidente.

 

Eu mesmo fique parado, sem movimentar entre 6:30hs até à 7:50hs. Travou o transito e não havia como avançar para nenhum lado. Os Agentes da BH Trans só chegaram no local por volta de 8:15hs em número insuficiente (3 Agentes apenas) depois que o colapso já estava instalado com repercussões até o bairro Água Branca em Contagem, além de toda extensão da Via Expressa e Av. Amazonas até a Cidade Industrial. A situação normalizou só depois de 9H, ao custo de prejuízos incalculáveis e estresse de milhares de Cidadãos impacientes presos dentro de carros e ônibus insalubres. Uma prova inequívoca da incapacidade de respostas às situações de emergência do órgão gestor do transito da terceira cidade mais importante do País.

 

O local precisa URGENTEMENTE de obras (3 viadutos e 2 elevados) mas até que elas vençam as resistências internas da PBH e da burocracia, a presença física de agentes trabalhando em sincronia e eficiência é indispensável durante pelo menos 16 horas por dia. Eu perdi compromissos importantes e tenho certeza que milhares de pessoas também perderam. Fica o meu protesto e a minha indignação e como cidadão alerto o Prefeito de que a BH Trans e as Secretarias que planejam a Cidade precisam de mudanças urgentes e RADICAIS. São 150 obras no mínimo que a cidade precisa e não pode mais esperar, querendo ou não os urbanistas e Secretários de plantão que são contra elas.

 

José Aparecido Ribeiro

Consultor em Assuntos Urbanos e Transito

Movimento SOS Mobilidade Urbana

CRA MG 0094 94

31 9953 7945

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.