Fica mais barato ir para o Rio de avião do que de taxi para Confins

No Brasil as noticias ruins costumam ganhar mais destaque do que as boas. Acostumados com elas, muitas já nem causam espanto. Especialmente as que são geradas pelo universo da política. Sem a pretensão de fazer propaganda para Companhia A, B ou C, apesar do instrumentalismo e da empáfia das duas maiores, percebe-se claramente o efeito benéfico da concorrência para quem usa avião e também para quem ainda não usa. Explico: Convocado no sábado à noite para uma reunião no Rio de Janeiro no domingo, entrei na internet para emitir uma passagem esperando ser escalpelado pelos preços exorbitantes que estou acostumado a pagar em viagens encima da hora quando acesso o site das duas maiores cias. aéreas do Brasil (TAM e GOL), acabei tendo uma surpresa agradável. Ao navegar pelos sites da Azul, Avianca, Oceanair e Web Jet encontrei passagens BH Rio por menos de 50 reais, ou seja, mais barato do que ônibus ou até mesmo do que o combustível gasto de carro entre as duas capitais.

Mas nem tudo são flores. Na manhã de domingo chamei um taxi para me levar a Confins e a conta desse deslocamento acabou ficando mais cara do que a passagem para a capital Fluminense que fica a 430 km: 100 reais. O motorista explicou que o motivo disso é o fato de voltarem vazios de Confins para BH. Na verdade quem paga o retorno é o passageiro e não quem delimita as áreas de atuação dos taxis. Ora, se lá em Confins estão os passageiros que desembarcam em BH, e em BH estão os que precisam chegar em Confins para suas viagens, por que não autorizar a livre circulação de taxi entre as três cidades? A resposta veio na ponta da língua. As leis não permitem. Mas quem faz as Leis, perguntei ao motoristas que não titubeou? Esse bando de Cidadãos que não servem de exemplo e que estão todos os dias nos jornais sendo acusados de falcatruas e legislar em causa próprio…

Se BH está precisando de taxi, por que não liberar o transito livre dos taxis de Lagoa Santa e Confins em BH e vise versa? Vale lembrar que políticos que fazem Leis não pagam taxi, nós pagamos para eles. Contudo eles não conseguiram perceber que a livre circulação de taxis destas 3 cidades resolveria a falta de taxi em BH e de quebra reduziria pela metade o valor exorbitante da corrida entre BH e o Aeroporto Internacional. Corrida cujo valor costuma ser maior do que aquele pago por uma passagem ida e volta para vários destinos. Fica a sugestão para debate nos fóruns adequados.

 

José Aparecido Ribeiro

Consultor em Assuntos Urbanos

Belo Horizonte – MG

31 9953 7945

CRA MG 0094 94

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.