Jornalista segue encarcerado injustamente em BH.

Sobre a prisão do Jornalista Márcio Fagundes na última terça feira dia 18 de abril, que entra no seu 6º dia, seguimos sem compreender que justiça é essa que encarcera um inocente, e deixa solto um criminoso reconhecido em 46 processos no prontuário. O jornalista continua preso no CERESP, enquanto o ex-presidente da CMBH, WM, segue foragido, após possivelmente ter sido alertado de sua prisão.

Poucas vezes na história de Belo Horizonte, viu-se uma pessoa receber tantas manifestações de solidariedade como está acontecendo com o Jornalista Márcio Fagundes. Manifestações que vem não só de colegas, mas de várias áreas, inclusive do próprio judiciário, todos chocados com a forma que está sendo conduzida a investigação de desvio na CMBH. Se fosse bandido, de certo ninguém estaria se manifestando.

Márcio tem uma história de 40 anos no jornalismo e 64 de vida, sem arranhões. É um indivíduo simples, de poucas posses e querido por todos que o conhecem. O único erro que cometeu foi ter aceitado um convite para ser Superintendente de Comunicação da Câmara Municipal de BH. Aceitou, mas pouco tempo depois pediu exoneração. Atendendo aos pedidos da ala boa da CMBH, que ainda existe, voltou atrás e permaneceu.

Não seria por muito tempo, ele tinha pavor do novo chefe, não escondia isso dos mais próximo. WM é homem do mal, não precisa ter muita sensibilidade para perceber. Basta ter olhos atentos, isso é unanimidade. A relação sempre foi estritamente reduzida ao necessário.
O jornalista devolveu ao parlamento municipal, enquanto esteve lá, alguma credibilidade, ainda que não tivesse qualquer poder de mando, era um funcionário de terceiro escalão, obediente às normas da casa. Márcio carrega uma historia de vida ilibada, sucesso profissional e admiração de todos.

Reconhecimento que, diga-se de passagem, foi chutado pela Polícia Civil, pelo Ministério Público e pela Justiça, ao ter armas de grosso calibre apontadas para sua cabeça, e truculência poucas vezes vista, dentro do seu modesto apartamento no bairro Sion, em BH na manhã de terça feira 18/4, na frente de seus filhos e de vizinhos atônitos. Gesto truculento, desnecessário e abominável. Marcio não furtaria a comparecer quantas vezes fosse necessário à justiça, como fez sempre que foi chamado.

Todo mundo sabe que licitações na Câmara Municipal têm ritos e que elas passam por comissões, pareceres de procuradores, cuja tarefa é não permitir desvios. Estes funcionários são de carreira, concursados e não estão sujeitos aos desmandos ou AMEAÇAS VELADAS de presidentes que mudam a cada 2 anos. Ou seja, se houveram erros, eles não foram do jornalista, mas de quem é responsável pela fiscalização e ritos dos processos licitatórios da casa legislativa.

A peça jurídica que levou Márcio ao cárcere é frágil e remete a reflexões sobre os limites do MP e da justiça. Bastaria, mas o espetáculo pirotécnico agravou ainda mais o ato de injustiça, a soberba do MP e da Polícia Civil. E isso será provado, ainda que o estrago tenha sido feito e que reparações sejam impossíveis. Amigo leitor, 6 dias de CERESP destroem a vida de qualquer indivíduo ainda mais quando ele é inocente e preso injustamente por “não colaborar com a justiça”. Inacreditável, é palavra mais apropriado para tamanho absurdo.

A ação que levou Márcio a prisão é fruto de uma denuncia anônima, segundo o próprio MP. O ato foi por ordem da Chefa de Polícia, que neste caso torna-se testemunha principal. Ou seja, sem consistência. Marcio assinou documentos como qualquer servidor que obedece a ordens de superiores. Não entende nada de administração publica. Repito, é homem de vida simples e poucas posses, sua felicidade está nos livros, e livros não tem valor financeiro significativo que justifiquem mal feitos. Quem o conhece sabe que ele é incapaz de fazer mal feitos.

A simples assinatura de um documento não configura crime doloso e nem culposo. Choca a todos e isso coloca o MP mineiro sob suspeição, pois pediu o encarceramento de um inocente ao passo que deixa solto um criminoso que, ao contrario do jornalista, recebe repudio até de colegas. A propósito WM segue foragido depois de ter sido alertado da sua prisão na manhã de terça 18/4. Outro “enigma” que todos nós esperamos ser explicado pela justiça, pelo MP e pela Polícia Civil é a Rede Globo ter chegado antes da própria polícia na casa do Jornalista…

José Aparecido Ribeiro
Jornalista e blogueiro no portal uai.com.br – portal: osnovosinconfidentes.com.br – DRT-17.076
Colunista nas revistas: Minas em Cena, Mercado Comum e Exclusive
jaribeirobh@gmail.com – 31-99953-7945

12 thoughts on “Jornalista segue encarcerado injustamente em BH.

  1. Excelente texto que, mesmo sem conhecer o jornalista, mas conhecendo os envolvidos, me faz tomar partido do Márcio Fagundes. As pessoas ambiciosas e sem freio moral procuram os locais onde circula mais dinheiro para dar o seu golpe. No caso da nossa frágil democracia, os governantes apossam do Estado e os mais truculentos destroem a boa governança. Essa denúncia de excessos tem que ser investigada, mas não pode ser generalizada. Grandes crimes no Brasil ainda são lícitos.

  2. “Se fosse bandido, de certo ninguém estaria se manifestando.”
    Não entendi… Como assim? O Lula, conforme diversas publicações suas, é bandido e multidões se manifestam… Aplicando a regra acima, não seria o caso de ninguém se manifestar? Ou quando é amigo a regra muda?
    Fora isso seu texto reflete o que temos hoje: a ditadura da toga, que decide como bem entende e interfere onde bem deseja, sem nenhuma obrigação com imparcialidade, assertividade e tão pouco qualquer consequência a não ser a aposentadoria obrigatória, mantendo seus vários privilégios, salários e ocupando vaga vitalícia que poderia ser ocupada por outro servidor.

  3. Ele tinha capacidade de exercer o cargo que exercia, e assinar os documentos que assinou? Se a resposta for sim, e realmente for comprovada a conduta parabéns a PC, MP, TJMG.
    Se ele não tinha capacidade de fato de exercer a função na CMBH para assinar os documentos de sua responsabilidade, como a reportagem insinua, o que ele estava fazendo lá?
    Fato é, que quando ocorre prejuízo ao erário sempre acham que não vai dar nada… Mas o prejuízo é visto nos hospitais, escolas e saneamento básico.

  4. Amigo, não é só o Jornalista.

    Concordo com o seu texto mas infelizmente só se fala da prisão do Jornalista como injusta, quando existem outras pessoas que estão também desamparadas e injustiçadas na mesma situação.
    Falo pois conheço pessoalmente um dos presos na operação.

    A imprensa deveria investigar e questionar oque foi realizado não somente contra o Jornalista, que é colega de vocês, mas também dos outros presos. Gente que pode, inclusive, se vítima, e estar encarcerado, mas por não estar vinculado a nenhuma associação, nenhum órgão sindical e não ter dinheiro, está desamparado na cadeia, sendo tratado pela mídia e pela “justiça” como bandido.

    Parabens pela luta a favor do jornalista, mas peço que se possível, divulgue a situação dos demais presos.

  5. O que fizeram com Lula vai acontecer com qualquer um. Vocês aplaudiram a prisão sem provas, agora aguentem as consequências. Quem vai segurar as feras do Judiciário e do Ministério Público?

  6. No Brasil esta virando moda, bandidos soltos, “inocentes presos” e uma população que se manifesta contrária a todos os atos da Polícia, como se a esta fosse a responsável pelos atos inescrupulosos de políticos e seus cúmplices, ao prender criminosos a polícia esta cumprindo o seu papel existencial, cabe ao “preso inocente” provar sua inocência e não promover atos de desordem.
    A Gleice senadora do PT, apela para nações árabes para comunicar que lula é inocente e está preso, coitadinho né, agora uma matéria no jornal que leio porque acredito na sua verdadeira intenção de noticiar a verdade, culpando a justiça e defendendo alguém que deve responder por seus atos.

  7. Mais uma injustiça da Justiça brasileira, que mostra a triste realidade do sistema judiciário. Sabemos que muitos são os casos, onde pessoas são presas injustamente, depois inocentados e liberadas por falta de provas. Um fracasso do ponto de vista humano. Neste caso em especifico, um circo foi armado, uma covardia ainda mais cruel.
    Não consigo projetar o impacto na vida da vítima, familiares e amigos, diante de uma situação gravíssima como esta.
    Fica agora a expectativa de que o erro seja reparado o mais rápido possível. Embora concorde com você, José Aparecido, de que o “estrago” já foi feito,-: precisamos acreditar que não só o jornalista Márcio Fagundes, mas outras vítimas de erros do judiciário, conseguirão voltar a levar uma vida normal, sem grandes prejuízos de ordem emocional e psíquica. Este é o meu desejo!
    Assim como espero que os responsáveis por este nfortúnio, sejam punidos.

  8. Que é WM? seria um vereador de Belo Horizonte? Por que não coloca o nome do foragido?
    O próprio texto do site UAI deixa dúvidas de sua imparcialidade e nem vem com esse papo que não pode colocar o nome do foragido, pois todo mundo já sabe quem ele.

  9. Curioso como a “justissa” brasileira se comporta…
    A prisão injusta do melhor presidente que este país já teve, favorece os interesses de quem controla o judiciário.
    E não é de nosso país.

  10. Texto perfeito. O arcabouço Juridico utilizado para justificar o cárcere de um figurante não pode ser medido com a régua da hombridade e sim com a sórdida letra da covardia e pequenes. Enquanto promotores e juízes não responderem por seus atos de desvaneio, ficaremos assim, assistindo a injustiças justificadas ao final com tapinhas nas costas e “sinceras” desculpas.
    Fernando Magalhães

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.