Kalil quer municipalizar o Anel Rodoviário para BHTRANS enchê-lo de sinais.

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, segue tentando municipalizar a gestão do Anel Rodoviário. Se a intenção dele é não deixar o assunto sair da pauta, parabéns, ele está no caminho certo fazendo o que sabe com maestria, deve inclusive ser incentivado.

Se contudo o desejo do prefeito é de fato assumir o Anel, através da BHTRANS, ele precisa ser alertado dos riscos que a cidade corre, pois muito provavelmente ele será decepcionado. Sob as rédeas da empresa de trânsito da capital não demoraria para que o local virasse uma avenida cheia de quebra molas e sinais. Já pensou o caos que seria?

ANEL RODOVIÁRIO NÃO É E NUNCA SERÁ AVENIDA, É DE FATO VIA EXPRESSA.

Se existe algo que a BHTRANS sabe fazer como ninguém é instalar sinais e estreitar vias, faz isso com os “pés nas costas” e um interesse “inexplicável”… Com efeito, o gestor do trânsito da capital não consegue administrar a própria porta, quiçá uma via complexa como o Anel Rodoviário que é de direito, responsabilidade do DNIT.

BH vive balburdia no trânsito, incluindo o bairro que sedia a empresa responsável pela mobilidade. Vale lembrar que o Anel Rodoviário é de fato um misto de rodovia federal e via expressa, servindo a população como única alternativa sem interrupção de tráfego, ligando o sul ao norte da cidade e vice versa, em 26 km de extensão.

A CIDADE PODE TER VIAS EXPRESSAS, SE OS PARADIGMAS FOREM QUEBRADOS.

Fosse a BHTRANS comprometida com resultados no trânsito, criaria corredores capazes de permitir fluidez permitindo ao motorista atravessar a cidade com o mínimo possível de cruzamentos e sinais, e isso é possível, sem grande esforço. Porém, a ordem é o contrário, não deixar o trânsito fluir. Via expressa só nos EUA e na Europa.

Ao tentar ganhar tempo utilizando o Anel, ou pisando no acelerador quando há folga em vias com sinais sem sincronia, o que se vê são sucessivos acidentes. Pelo único corredor de trânsito livre que a cidade possui circulam hoje mais de 180 mil veículos dia. Isso explica a saturação da via.

A SOLUÇÃO DEFINITIVA PARA O ANEL É O RODOANEL

A solução definitiva para o Anel de Belo Horizonte é o Rodoanel, ligando Betim à cidade de Ravena no contorno norte, com 67 km de extensão. E ao sul, ligando Nova Lima à Betim em um contorno de 37 km, projetos que dependem de investimentos federais e, sobretudo, da capacidade de mobilização da bancada Mineira em Brasilia, especialista em “Leitão a Pururuca”.

José Aparecido Ribeiro
Jornalista – Blogueiro no portal uai.com.br
Articulista e Colunista nas Revistas: Exclusive, Minas em Cena e Mercado Comum.
31-99953-7945 – jaribeirobh@gmail.com

24 thoughts on “Kalil quer municipalizar o Anel Rodoviário para BHTRANS enchê-lo de sinais.

  1. Bom dia Evaldo, concordo com você, o assunto “BHTRANS” irealmente dá ibope.
    E por que será? Os comentários tecidos, falam por si só.
    Mas eu complemento, a população de BH, já não suporta mais a inércia, e muito menos as ações absurdas tomadas pela BHTRANS! Queremos e necessitamos urgentemente de mudanças. Que pessoas competentes, focadas e dispostas a trabalhar em prol de uma BH, com uma mobilibilidade de melhor qualidade, assumam a responsabilidade!

  2. Vou me abster de comentar a respeito do assunto em voga, José Aparecido, por achar que o seu artigo é pleno. Como todos os outros destinados ao mesmo tema.
    Mas deixo aqui registrada a minha indignação!

  3. Finalmente um texto sensato.
    Belo Horizonte é uma metropole em atraso de no mínimo 40 anos com relação ás metrópoles do primeiro mundo.
    O engano é cotidiano e parte da terminologia em uso. Chama-se de Anel Rodoviário algo que de anel não tem nada, justiça seria se fosse chamado Arco Rodoviário, mas isso levaria á realidade cruél do nosso cotidiano. Outro exemplo? O metrô, que nada mais é que um trem de superficie.
    A revolução deve começar nas cabeças enxergando nossas triste e deprimente realidade urbana.

  4. Conheço pessoas que trabalham na tal BHtrans! Pelo que me fala a ordem la de dentro é :
    – Fechar e estrangular ruas e acessos
    – Colocar sinais com radares e muitos se pssivel em cada esquina
    – Fazer o tráfego embolar para que a indústria de multas favoreça a prefeitura.
    – Atrapalhar o máximo a vida do Belo Horizontino.
    – Nunca fazer um projeto de melhorias no tráfego pq os engenheiros que trabalham lá são todos engenheiros agrônomos, isso quando não são indicações políticas e mal sabem escrever o nome do pai e mãe.
    – Depender desse prefeito preocupado com futebol vai dar no que esta o time dele.
    E tem gente que acha que esta bom… assim a vida segue na famosa roça iluminada

    1. O prefeito anterior não tinha nada a ver com futebol. Nem por isso foi melhor. Veja que um viaduto caiu e vários outros tiveram que passar por manutenção. Em frente ao H. Odilon Behrens tem um nessa situação nesse momento.
      Sinceramente, não sei o que a BHTRANS ganharia atrapalhando a vida de alguém. Pelo contrário, se ela tivesse a solução para o trânsito, aliás complexo em qualquer lugar do mundo, acha que ela não colocaria em prática logo? Quem souber como resolver os problemas de trânsito numa grande cidade está perdendo a oportunidade de ser eternamente prefeito da cidade! Acha mesmo que um político perderia essa oportunidade?

  5. As vezes tenho a sensação que a equipe da BH-trans não tem engenheiros. Ou se tem, eles não devem viajar. A falta de atitude e de criatividade dos responsáveis pelo transito é algo estarrecedor. Tudo que eles fazem se não é medíocre, é incompatível com a demanda da cidade. Viajo e quando retorno para Belo Horizonte tenho a sensação que estou em uma cidade parada no tempo. Nunca vi tantos sinais de transito desnecessários, tantos cruzamentos. A cidade precisa de gente pensando ela para o futuro. Aqui pensamos no que deixou de ser feito. Ouço nas rádios um monte gente que se diz especialista falando bobagens, e novamente tenho a sensação que estao falando de outra cidade. Uma prosopopeia inútil, enquanto isso as obras que a cidade precisa para receber carros cada vez mais largos, não acontecem. Afinal, o que está acontecendo com a população que não reclama? Anel Rodoviário é assunto do governo federal, é rodovia e como disse o autor do texto: se deixar por conta dos incompetentes da BH-Trans, vai virar avenida, cheia de radar e de sinais de transito. Alguém já parou para pensar na quantidade de sinais tem essa nossa cidade?

    1. Convenhamos, Jaime, o Anel Rodoviário sem quebra-molas ou radares já fica a maior parte do tempo parado, né? E olha que parte dela já está por conta da Via 040. Afinal, você paga pedágio pra quê?

      1. 98% dos usuários do Anel Rodoviário não pagam pedágio, mas são beneficiados pelos serviços de socorro médico e mecânico.

  6. ATÉ QUANDO A BHTRANS CONTINUARÁ INERTE EM RELAÇÃO AO TRANSITO DA CIDADE? TUDO QUE ELES FAZEM É NA BASE DO MEIA BOCA. MORO NO BURITIS E SOU TESTEMUNHA DO CAOS QUE O AUTOR DO TEXTO MENCIONA. QUEM QUISER CONHECER A INOPERANCIA NA BHTRANSTORNADA É SO VIR NO BURITIS. O CRUZAMENTO DE AV RAJA COM BARÃO É O EXEMPLO DA INCAPACIDADE DOS ENGENHEIROS DA BHTRANS. QUEM DISSER O CONTRARIO NÃO DEVE SER DE BH. TÁ NA HORA DO PREFEITO TOMAR PROVIDENCIAS E FAZER UMA FAXINA.

    1. Beatriz, vamos por uns pingos nos “is”! Quem constrói ruas, avenidas, viadutos, pontes, etc,. é a SUDECAP! Corrijam-me se estou enganado! Pelo que entendo, a BHTRANS “recebe” um sistema viário e tem que se virar com ele. Detalhe: sem empreiteira, sem contrato de obra e sem dinheiro!
      No mais, bairros como Buritis e Castelo (novos redutos da classe média emergente?) são resultado de um plano diretor equivocado. Pergunta lá na PREFEITURA se tem alguém interessado em mudá-lo.
      Triste, né, mas agora tem que aguentar!

  7. A BHTrans perdeu o rumo, só não vê quem é muito desligado ou não quer. Entregar o Anel Rodoviário para eles seria loucura. Alem de sinais e quebra molas eles transformarão aquela via nos 26 km com o maior numero de radares do mundo. Parabéns ao autor no texto pela lucidez, frente a insensatez de tantos agentes publicos. Bando de gente desqualificada ocupando lugar que elas nunca deveriam passar perto.

  8. Bom dia, JA. Não aguentou, né? A BHTRANS tinha que voltar, senão não dá ibope. O último post, por exemplo, só eu comentei. E olha que fiz elogios…mas, durou pouco!
    Começando pelo final, numa coisa você tem razão: a solução do Anel Rodoviário é o…não Anel Rodoviário. Ou seja, um outro Anel Rodoviário bem longe desse.
    Quanto ao prefeito, é só política! Político gosta de falar o que a galera gosta de ouvir (alguma semelhança com torcida de futebol não é coincidência!). Ele sabia o tempo todo que a justiça não concederia o que pretendia simplesmente porque há o que o Código de Trânsito Brasileiro chama de circunscrição sobre a via. A do Anel é do DNIT e não tem como escapar! Aliás, quem deu conta de ficar livre do anel foi a PRF (Polícia Rodoviária Federal) que conseguiu enganar a PRE (Polícia Militar Rodoviária Estadual) e passou o abacaxi pra frente.
    Voltando ao caso, o prefeito, assim como outros que o antecedeu, está fazendo firula! Não concedeu o aumento das tarifas de ônibus e os empresários já reagiram retirando os cobradores. Estes vão pagar o pato com os empregos!
    E para finalizar, não poderíamos deixar de falar da BHTRANS: não se esqueça que esta é uma empresa (em breve será convertida para autarquia, anote aí!) da PREFEITURA. Nada do que ela faz é sem o consentimento ou conhecimento do Kalil. Lembre-se que no período de transição de governo, a equipe dele ficou “aquartelada” no COP, localizado você sabe onde, né? Isso mesmo, na BHTRANS. Ele sabe de tudo que se passa lá. Fique tranquilo!

  9. Alguém poderia me explicar qual a lógica do semáforo de pedestre que foi instalado abaixo de uma passarela, na Avenida Cristiano Machado, entre o Hotel Ouro Minas e Extra / Minas Shopping???,… E o pior, totalmente fora de sincronização! Será que a BH Trans não consegue sequer configurar e controlar a sincronização de sinais?

    1. Essa é fácil, Natan. Nem tudo que é preciso fazer a comunidade local concorda ou aprova. Provavelmente, a BHTRANS sabe ou entende que não é necessário, mas a comunidade se revolta porque em BH é comum o cidadão querer todas as oportunidades possíveis sem abrir mão de nada.
      Mineiro (e belo horizonte ainda mais) quer que tudo melhore sem alterar nada! Difícil, né?!

      1. Esse sinal me irrita demais, não faz o menor sentido e ainda piora para quem vem da Bernardo Vasconcelos pois o sinal, 3 ou 4 metros após o encontro, interrompe a vazão da avenida, causando mais transtorno em uma área que já é complicada.

    2. Fácil essa questão e tem vários fatores envolvidos:
      1. A passarela citada é terrivelmente projetada
      2. A entrada da estação do MOVE (Ouro Minas) foi colocada do lado errado, era para ser pela Jacuí e não pelo lado da Bernardo Vasconcelos
      3. Os hóspedes do hotel ao lado tem mais conforto para irem ao shopping pelo sinal de pedestre relatado
      4. Mais uma obra com o padrão de qualidade BHTRANS, onde os impactos não são estudados
      5. Não há acessibilidade para PNE’s (Pessoas com Necessidades Especiais) em nenhuma das passarelas próximas ao shopping ou ao hotel
      6. Vou parar por aqui, pois são inúmeras as variáveis para a inserção (acertada dados os erros anteriores) desse sinal de pedestres

  10. “A SOLUÇÃO DEFINITIVA PARA O ANEL É O RODOANEL”.
    Sério blogueiro!? Descobriu isso sozinho? Agora está fácil, hein? Você, que tanto questiona o Prefeito, deveria está no lugar dele, já que suas soluções são tão boas. Só tenho que te lembrar que, além da solução técnica para o problema, tem outro recurso importante para viabilizar obra de tão grande porte – recurso este escasso nesses momentos de crise econômica/social – chamado de dinaro na Roma antiga, dinheiro no bom português, do inglês money e capilé para os íntimos.
    Lendo seus posts me dá a impressão que estou lendo um texto elaborado por um adolescente. Um texto reducionista, simplista e superficial.

    1. Caro João de Barros,
      Eu não acredito que o problema seja exclusivamente de dinheiro como você quer fazer crer.É muito fácil querer menosprezar a inteligencia das pessoas,haja visto a quantidade de obras de mobilidade que estão sendo desenvolvidas em outras cidades do Brasil neste momento, inclusive no exterior.É só observar o que nosso suado “dinaro” está fazendo em Caracas e em outras republicas de bananas
      pelo mundo afora.O que falta em Belo Horizonte é capacidade de gestão,o que essa BHtrans aparelhada por essa “cumpanheirada gente boa”,não tem de jeito nenhum.Por falar nisso se se extinguisse esse órgão perdulário e incompetente já seria um grande passo.Se por aqui não houver gente competente para assumir o planejamento e controle do transporte e transito da Capital que se procure onde houver,até no exterior,se for o caso.O que não se pode admitir é essa inercia e falta de iniciativa que estamos vendo e que somos obrigados a tolerar.

    2. Caro João de Barro. Você pode dizer que é teoria da conspiração, é seu direito. Mas nós sabemos que existe um cartel de empresas de transporte, que mandam na prefeitura desde o dia em que o primeiro prefeito de esquerda a tomou. Sabemos que esse é o verdadeiro motivo, que impede a conclusão do Metrô. Sabemos também que, sempre a BHTrans que já teve vários nomes, sempre procura prejudicar a circulação de veículos particulares, com o intuito de forçar a populaçã a usar o transporte da organização criminosa. Nós ficamos no limbo entre a Europa que favorece o transporte público, mas o fornece com qualidade e os Estados Unidos, que não visa o transporte público mas oferece condições excepcionais para quem deseja circular com seu veículo. Nosso transporte público é uma bosta e as vias são péssimas.

  11. Ele podia parar de querer assumir mais responsabilidade e cuidar das que ele já possui. Saneamento básico, ruas esburacadas, mato tomando conta da cidade pra todo lado. Assoreamento de córregos da capital. Quando resolver tudo isso, pensa em assumir mais responsabilidades.

  12. Esse cara entende bastante de mobilidade urbana e voces do jornal deveriam aproveita-lo mais. Criticar é é muito fácil, mas ele está sempre dando opnioes importantes e factíveis sobre mobilidade. Parabéns ao jornal.

  13. Concordo na integra com o texto.Só espero que não existam outros interesses por traz desta municipalização.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.