Mais uma árvore vem abaixo em BH e o poder público segue inerte.

Virou rotina as notícias de árvores caindo sobre a cabeça de pessoas em varios pontos da cidade de Belo Horizonte. Mês passado foi na rua Timbiras, e em menos de dois quarteirões com pouca diferença de datas, duas árvores despencaram deixando uma vítima fatal e danos materiais significativos.

Hoje mais uma árvore acaba de cair sobre a rede elétrica provocando incêndios de grandes proporções que atingiu 6 veículos na Rua São Paulo esquina com Av Álvares Cabral, deixando parte da região central da cidade às escuras e consequente caos no transito que já é complicado no final da tarde. O incidente aconteceu por volta de 16:50hs e deve se estender pela noite a dentro.

Arvores tem tempo de vida, morrem, e ainda que isso seja sabido, e que tragédias possam ser evitadas, cortar uma árvore é missão quase impossível. A burocracia desanima qualquer cidadão a agir em defesa própria ou do bem público nos logradouros da cidade. Segundo informações de moradores e comerciantes, as raizes da árvore que veio abaixo estavam prenunciando a sua queda.

A legislação tem sido por demais rigorosa e os “xiitas” do meio ambiente, por de menos sensatos na aplicação do princípio da razoabilidade. Há de se criar um meio termo que possibilite agilidade nos processos de poda de árvores, afim de evitar que elas despenquem sobre cabeças alheias ceifando vidas e causando prejuizos. Elas são importantes, não se discute, mas vidas humanas ainda são, ou deveriam ser prioridade antes das causas ambientais.

Embora as árvores deem sinais de exaustão, o poder público não consegue evitar que elas venham abaixo. Portanto, torna se urgente medidas capazes de traçar um mapa de riscos. A medida é inevitabel e necessária para evitar acidentes como os que aconteceram hoje na Rua São Paulo, e outros que virão sempre com repercussões sobre a rotina da cidade, em especial a segurança de pessoas e sobre o trânsito.

José Aparecido Ribeiro
Jornalista e blogueiro nos portais uai.com.br e osnovosinconfidentes.com.br
Colunista nas Revistas Exclusive, Minas em Cena e Mercado Comum.
jaribeirobh@gmail.com.br
31-99953-7945

4 thoughts on “Mais uma árvore vem abaixo em BH e o poder público segue inerte.

  1. A maioria das árvores em Belo Horizonte estão agonizando. Será preciso criar uma Lei que lhes dêem o direito à eutanásia, lembrando que a hora que elas sucumbirem naturalmente poderão fazer, e estão fazendo, estragos e perdas irreparáveis como a vida humana!

  2. Um absurdo, e como você citou José Aparecido, não é um caso isolado, está virando rotina. Em dias de chuva, ouvimos nos noticiários “que as árvores caíram após temporal”. Quando sabemos que este fenômeno natural não é a verdadeira causa. Solicitamos que os ii (responsáveis) acordem e tomem atitudes em relação a mais este problema gravíssimo que a cidade enfrenta.

  3. Se depender de algum órgão da prefeitura administrada pelo maluco fanático e sua trupe de abobados vindo de clube de futebol , não vai dar em nada. a não ser que vc seja como eles e acreditam (eles adoram esse termo ridículo), em papai noel, mula sem cabeça, anelka..
    Essa gestão da prefeitura de Bh está transformando a cidade em uma imensa favela suja, e descuidada. Passando pelo complexo da lagoinha dá para ver as centenas de vagabundos que habitam por lá, gerando sujeira, assaltos, porcaria, e muito muito perigo. Mas la dentro da tal sede da prefeitura o tal prefeito se lá ele for ,o que duvido, deve estar esperneando, pq o seu time esta horrível, e a cidade.. que se dane.

  4. Kalil, durante a campanha eleitoral criticou a administração passada por não conseguir resolver o problema das Capivaras no entorno da Lagoa da Pampulha. Agora, não está dando conta das árvores da cidade. Pior, elas são inertes. A boca fala e o .. paga.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.