Moradores da Rua Magnólia no bairro Pedro II estão sendo sacrificados pelo trânsito caótico.

Centenas de veículos que precisam atravessar a Av. Pedro II, em direção ao Padre Eustáquio ou a Via Expressa, procedentes da Av. Carlos Luz, são obrigados a usar a Rua Magnólia á direita  cortando as Ruas Manga e Fornaciari, entrando a esquerda na Rua Lunard. Neste trajeto de apenas 2 quarteirões da Rua Lunard, que corta a Av. Pedro II, é comum encontrar carros de moradores e comerciantes estacionados dos dois lados da via, impedindo assim que o transito possa fluir normalmente já que todo o fluxo se afunila em apenas uma faixa completamente saturada.

 

A permissão para estacionar nos dois lados desta rua, cujo volume de veículos é maior do que a sua capacidade tem reflexos desastrosos no transito que praticamente não anda até o cruzamento com a Av. Carlos Luz. Alguns moradores, que moram na Rua Magnólia esperam as vezes mais 30 minutos para conseguir sair de suas garagens. A desorganização somada a falta de educação no transito agrava o problema e sugere intervenções neste importante corredor que cumpre a tarefa de captar o transito e permitir o acesso ao bairro Padre Eustáquio e a Via Express.

 

O correto seria que pelo menos nos dois quarteirões da Rua Lunard os estacionamentos fossem eliminados para permitir fluidez, desafogando a Rua Magnólia. Enquanto um túnel ligando a Av. Carlos Luz à Via Expressa, passando por debaixo do bairro Padre Eustáquio, antes cortando a Av. Pedro II, não acontece, paliativos podem minimizar o caos e permitir a fluidez naquela região, especialmente para os moradores da Ruas Magnólia que estão sendo sacrificados diuturnamente. Fica a dica para a BHTrans, salientando que o problema se agrava a cada dia, na medida que a frota de veículos aumenta.

 

José Aparecido Ribeiro

Consultor em Assuntos Urbanos

Presidente do Conselho de Política Urbana da ACMinas

CRA MG 08.00094/D

31-9953-7945

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.