O que está acontecendo com aviação no brasileira?

O que está acontecendo com a aviação brasileira? Essa pergunta precisa ser feita para os políticos e para os profissionais de imprensa que viajam pouco de avião, pois se for feita para os executivos das 3 únicas companhias aéreas que monopolizam o mercado brasileiro, eles dirão que vai bem obrigado. A realidade, no entanto, não é bem essa. Tenho ouvido relatos que seriam cômicos, se não fossem trágicos: Veja as histórias a seguir, que não são estórias, mas fatos. Um amigo relatou que em um voo da TAM que saiu de Fortaleza com destino ao Rio, na ultima quinta, havia um pequeno viajante e que na hora do serviço de bordo ele abriu todo animado a bandeja do almoço e encontrou apenas um biscoito, um pedaço de bolo mixuruca e um queijo sem graça. Decepcionado, reclamou com o comissário da empresa chileno-brasileira e ouviu como resposta um lamento: “Desculpe, meu amiguinho, eu mesmo, acredite, estou trazendo minha marmita de casa.”

 

Presenciei recentemente algumas situações que merecem ser contadas, pois revelam a que ponto chegou a mesquinharia das cias aéreas: Ao ser abordado por um comissário da Gol em um voo de Belém para Brasília há duas semanas, que vendia lanchinhos parecidos com aqueles do nosso tempo de jardim de infância, por R$25,00, brinquei com ele dizendo que a minha religião não permitia comprar lanches, pois eu era de um tempo em que o serviço de bordo era motivo de orgulho das cias aéreas. Ele não titubeou, e me respondeu sem perder a pose: “Se o Sr quiser caviar, compre uma primeira classe na Emirates”, aqui as coisas mudaram e vão piorar ainda mais. Fico pensando, o que pode piorar se até os assentos de emergência, que deveriam ser obrigatoriamente ocupados, por questões de segurança, hoje custa R$40,00.

 

Em outro voo da TAM de Brasília para São Paulo, na semana passada, enquanto esperada o banheiro vagar presenciei a comissária da, traçar seu almoço ali mesmo, sentadinha no seu banquinho. Tudo certo, se o banquete não fosse uma matula (marmita) que cheirava frango de ontem. Sem a menor cerimônia degustando o seu menu, ela até que foi bastante educada e perguntou se eu estava servido. Pergunto então aos burocratas que comandam empresas pela lógica pura e simples do lucro, se isso é normal, ou se estou  ficando velho? Antes que me digam que as coisas mudaram e que as passagens ficaram mais baratas, eu digo que eles precisam rever seus conceitos, pois na semana passada, paguei R$1.700,00 por uma ida e volta BH/São Paulo/BH. A reserva foi feita com 5 dias de antecedência e os preços das duas maiores cias, (TAM e GOL) era o mesmo até nos centavos. Traduzindo: MONOPÓLIO explicito. Minha alternativa seria voar por Campinas pagando R$700,00, o que também é absurdo.

 

José Aparecido Ribeiro

Consultor de Empresas

Profissional de Turismo há 25 anos

CRA-MG 0094/94

31-9953-7945

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.