Os pichadores tomaram a cidade e o poder público não se move.

A Copa está chegando e o mundo vai conhecer Belo Horizonte. Essa é a oportunidade de mostrar um dos talentos que mais orgulham o povo mineiro: A hospitalidade. A Capital é porta de entrada do Estado, e precisa ficar atenta aos detalhes, pois são eles que fazem a diferença e revelam a civilidade ou não de um povo.

 

Quem passa periodicamente na Av. Amazonas no sentido Cidade Industrial, e não perdeu a sensibilidade, nota a degradação das fachadas de praticamente todas as edificações ao longo deste corredor de trânsito. Os pichadores venceram a guerra contra a ilegalidade e reinam absolutos em cada pedacinho de concreto entre a Praça Raul Soares e a Praça da Cemig em Contagem. Não há se quer uma parede que tenha sido poupada, está tudo emporcalhado.

 

Embora o problema não seja só da Prefeitura, ela precisa assumir sua parcela e ser a catalisadora de medidas capazes de colocar fim a esse disparate que virou um problema de polícia. Os autores assinam sua obras e se o poder publico quiser, eles podem ser identificados, e posteriormente punidos severamente, não sem antes reparar o erro.

 

Exemplos de cidades que conseguiram eliminar as pichações não faltam e Porto Alegre é um dos que se destacam. A cidade é livre de pichadores e parra isso a sociedade se mobilizou através dos seus órgãos de defesa, com a ajuda no Ministério Público e da Justiça. Pichar é crime e quem for pego, além de limpar suas patacas, responde por dano ao patrimônio privado ou coletivo.

 

A boa estética do espaço públicos de uma cidade afeta a auto estima do seu povo e quanto mais organizada, mais próspera é a sociedade. A sensação que fica é a de que os cidadãos e o poder publico já não se incomodam mais com a degradação visual de sua edificações e isso é sinal de que algo está errado. Com efeito, o problema precisa ser encarado urgentemente e resolvido, pois em breve os visitantes irão chegar esperando encontrar uma cidade limpa, organizada, bonita e sobretudo civilizada.  

 

José Aparecido Ribeiro

Consultor em Assuntos Urbanos

Presidente do Conselho de Política Urbana – ACMinas

31 9953 7945

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.