PENA DE MORTE JÁ para os monstros que assassinaram Cinthya Magaly Moutinho de Souza

Enjaular os monstros medievais que assassinaram covardemente e cruelmente uma Mulher indefesa, que estava trabalhando para pagar impostos que irão bancar a safadeza de políticos e  agentes públicos incompetentes, em um pais de justiça que não funciona é um prêmio, INADMISSIVEL. Esses animais bestiais precisam ser queimados vivos em praça publica, se queremos deste crime hediondo e monstruoso contra a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, tirar lições e dar exemplos de reparação com equidade. A única reparação capaz de ser justa é a morte e ela precisa vir com muito sofrimento.

 

Na cadeia, protegidos, comendo e bebendo as custas do meu e do seu dinheiro é um deboche, um absurdo descabido, inaceitável que a sociedade não pode mais concordar. Sou voluntário para amarrar as bestas, jogar gasolina e atear fogo, sem o menor remorso ou receio de ficar em débito com a divina providência.  Ao contrario, tenho certeza absoluta de que estarei prestando um serviço para o povo e para Deus, pois este tipo de animal cruel e sanguinário precisa ser eliminado da face da terra.

 

Vermes como esses devem ser banidos com fogo, para não sobrar nem rastro, amarrados. Devem morrer devagar, contorcendo para sentirem na pele, o que provocaram para uma cidadã que teve a infelicidade de nascer em um país de medíocres chamado Brasil, e cuja injustiça impera de cabo a rabo. Antes que os xiitas defensores dos direitos humanos venham com conversa mole pra boi dormir, defender sanguinários, para bichos animais e monstros, não existe direitos humanos. Esses devem ser tratados com a régua que eles medem as suas vítimas.

 

José Aparecido Ribeiro

Administrador e Filósofo

Belo Horizonte – MG

31 9953 7945

CRA MG 0094 94

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.