Pesquisa Origem Destino mostrando o que o povo deseja…

Os dados revelados na pesquisa Origem Destino, divulgados recentemente pela Secretaria de Estado de Gestão Metropolitana, mostram o que as autoridades municipais insistem em não enxergar: A população de BH fez uma opção para o seu deslocamento diário que precisa ser respeitada. O modal de transporte preferido pela maioria das pessoas é o individual. Ou seja, mais do que um meio de transporte o carro é definitivamente o preferido do povo. Embora o espaço da cidade seja limitado, o desejo explicitado na pesquisa exige mudanças radicais no comportamento de quem é responsável pela gestão do trânsito e das obras na Capital e das cidades vizinhas. Desculpas e transferência de responsabilidades para que é vítima, já não servem mais para explicar o caos.

 

Os planos apresentados pelas duas instituições (BH Trans e Sudecap) caminham diametralmente ao desejo da população. Ao fechar vias; alargar passeios; afunilar cruzamentos; implantar ciclovias, deixando menos espaço para carros onde eles já não cabem mais; usar arranjos provisórios no lugar de obras definitivas, (os famosos puxadinhos), na tentativa de dificultar a vida de quem tem carro, esperando com isso que a população mude o comportamento, já está comprovado que não é o caminho. O uso racional do carro é uma falácia para justificar a incapacidade das autoridades de apresentar soluções para o trânsito que se arrasta. Com ou sem transporte coletivo de boa qualidade, o carro não sai de cena. O belo-horizontino, assim como o brasileiro é e continuará sendo apaixonado por carro…

 

Com efeito, BH espera por um pacote de obras capazes de eliminar mais de 100 gargalos crônicos, que se agravam a cada dia, em uma cidade que emplaca 280 veículos diariamente. Não adianta mais tentar exorcizar o carro. É preciso, com criatividade e uma dose de ousadia fazer o trânsito fluir. E isso só é possível com a transformação dos principais corredores em VIAS EXPRESSAS, eliminando sinais e cruzamentos, por cima ou por baixo. É inevitável e urgente a construção de viadutos, tuneis, trincheiras, elevados, alargamento de vias e eliminação de sinais. Obras caras, complicadas e que exigem a participação dos Governos, Estadual e Federal. Cabe a municipalidade reconhecer a necessidade e a urgência disso e promover as articulações necessárias para que tais obras aconteçam, o quanto antes.

 

José Aparecido Ribeiro

Consultor em Assuntos Urbanos

Presidente do CEPU-ACMinas

ONG SOS Mobilidade Urbana

CRA 08.00084/D

31-9953-7945

One thought on “Pesquisa Origem Destino mostrando o que o povo deseja…

  1. Caro, José, entendo seu texto e seu posicionamento. Entretanto, estamos em uma nova a fase, em um novo tipo de progresso, A necessidade de hoje é lutarmos por melhor condições de transporte público de qualidade. Gostaria de indicar algumas leituras para de fato termos uma melhora na mobilidade urbana: pesquise sobre os trabalho de Jaime Lerner, há ainda o site http://cidadesparapessoas.com/, hoje um dos exemplos de sistemas de mobilidade urbana do mundo é o de Cingapura, leia sobre e verás que transporte individual (carro) é a contramão da mobilidade urbana. Abraços, na esperança de contribuir para a discussão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.