Por onde andam os planos de emergência e os profissionais treinados para enfrentar catástrofes em BH?

Belo Horizonte está derretendo por causa das chuvas e nossas autoridades ainda não entenderam que treinamento e planejamento é essencial para lidar com situações de emergência. Recentemente foi anunciado a criação de um comitê de crises, liderado pelo Presidente da BH Trans. Nada contra o executivo burocrata que comanda a empresa municipal de transito, mas ele não foi treinado para vestir uniforme de campanha e botar a mão na massa. Isso é tarefa para pessoas devidamente treinadas e vocacionadas para o oficio. Mesmo com todas as oportunidades de aprendizado que a natureza tem nos proporcionado ano após ano, continuamos no improviso, sempre atrasados e combatendo os efeitos e não as causas.

Passou da hora do assunto ser tratado com a atenção e o respeito que ele merece, pois na medida que os anos vão passando, com impermeabilização do solo e a ocupação desordenada, os riscos aumentam. Falta manutenção em viadutos, tubulões de drenagem, nas redes pluviais, encostas e toda sorte de equipamentos e obras que não vemos, mas que sao usadas em epocas de chuvas fortes.

Evidente que não podemos prever catástrofes ainda, mas podemos estar melhor preparados para lidar com elas. Será que precisamos criar Comitês especiais? Ou isso deve ser o oficio de uma Defesa Civil preparada, bem comandada e devidamente bem equipada para coordenar emergências?

A pratica nos diz que estamos vivendo no improviso.

Com efeito, que características e perfil devem ter os Comandantes da Defesa Civil, e dos órgãos responsáveis pela defesa da sociedade em momentos turbulentos como os que estamos vivendo? Com a palavra o Prefeito, o Governador e os Políticos que se dizem preocupados com a segurança do povo.

José Aparecido Ribeiro

Consultor em Assuntos Urbanos e Transito

31 9953 7945

ONG SOS Mobilidade Urbana.

Enviado pelo meu aparelho BlackBerry® da Vivo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.