Resolução 396 dá fôlego a famigerada indústria das multas.

Quem defende a resolução 396 do CONTRAN, que desobriga a sinalização de vias informando a existência de radares desconhece o quem tem por trás das intenções veladas. Esta medida coloca todo mundo no mesmo balaio dos assassinos do transito. Quem é atento e tem consciência sabe que existe uma indústria da multa trabalhando diuturnamente para arrancar dinheiro de quem já é penalizado por impostos injustos. Mortes no transito sempre existiram e não é radar que vai diminuí-las, mas campanhas e rodovias bem construídas que evitam colisões frontais. Na Alemanha a média de velocidade na Auto Ban é de 170 Km e não há mortes como no Brasil.

 

A maioria das pessoas dirigem com segurança, cumprindo as obrigações ao volante, com domínio da situação sem colocar a vidas de outros cidadãos em risco. Uma minoria não respeita as leis e os limites de velocidade e cometem excessos. Com efeito, os justos estão pagando pelos pecadores e isso é um absurdo. A nova Resolução do CONTRAN vai penalizar todo mundo quando deveria coibir quem abusa. Os que abusam continuarão soltos matando sem que nada ocorra com eles.Todo mundo sabe que os limites de velocidade são incompatíveis com os carros produzidos hoje no País. A maioria com sistemas de freios modernos e seguros.

 

Basta ver que 83% das notificações por "excesso" de velocidade acontecem por uma diferença de 2 a 5km/hs, o que mostra que não há excessos e que tudo é feito para arrancar dinheiro dos motoristas menos avisados. Um descuido e a maquininha "caça níqueis" entra em ação. Vale lembrar que radares não param carros, ele punem depois que a infração foi cometida. Uma coisa é você ser pego por um radar onde o limite é 60 Km, a 120 Km, tornando-se merecedor da punição. Contudo outra coisa é você passar neste mesmo radar a 69Km/hs e ser multado por 2 Km acima do limite. Quem dirige consegue perceber essa pequena diferença.

 

Tal medida causa revolta e não tem nada de pedagógico. O fato é que os limites de tolerância, que hoje é de 8Km/hs, precisam ser revistos, sob pena de milhões de motoristas responsáveis tornarem-se Cidadãos fora da lei com pendências nos seus prontuários nos DETRAN. Está tudo errado e não é por acaso. A intenção velada nesta medida é espoliar o povo, com uma medida que é legal, mas imoral. Nosso governantes incompetentes não conseguem apresentar planos para diminuir acidentes e transferem para os motoristas a solução do problema, sempre aproveitando-se da situação para tirar vantagens financeiras.

 

É o Brasil do 8 ou 80 e do povo mais passivo do mundo. Mais um absurdo que vai punir motoristas cumpridores dos seus deveres e não vai diminuir o numero de mortes, cuja as causas são várias, em especial a má conservação de rodovias e a falta de campanhas eficazes nas cidades Brasileiras cada vez mais entupidas de carros e motos.

 

José Aparecido Ribeiro

Consultor em Assuntos Urbanos e Transito

ONG SOS Mobilidade Urbana

31 9953 7945

CRA MG 0094 94

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.