A homenagem neste dia internacional da Mulher é para dona Naná, aos 84 anos

Neste dia internacional da mulher não posso deixar passar em branco a mulher que é responsável pela minha existência e que hoje, seguindo a ordem natural das coisas, eu cuido,  a dona Naná minha querida Mãe .

Aos 84 anos e em processo acelerado de perda das faculdades, lutando bravamente contra o Alzheimer, minha homenagem é para ela e em nome dela presto às mulheres que lutam diariamente por sobrevivência, por emancipação, direitos e que deveriam governar o mundo usando o que elas têm de mais precioso, a sensibilidade e a intuição feminina. Destaco a luta das mulheres que estão no front da pandemia direta ou indiretamente.

O dia internacional da Mulher surgiu no imaginário coletivo graças a uma tragédia ocorrida em 8 de março de 1857 em fábrica têxtil na cidade de Nova York, quando supostamente 129 operárias cruzaram os braços por melhores condições de trabalho e lá, prezas, agonizaram queimadas em incêndio provocado por represália às justas reivindicações. De acordo com a história, elas morreram carbonizadas.

O fato ocorreu, mas não foi ele a inspiração para a criação do dia internacional das Mulheres. 

Foi na verdade durante a I Conferência Internacional de Mulheres em Copenhague, na Dinamarca, no ano de 1910 que a feminista alemã Clara Zetkin, propôs que mulheres trabalhadoras fossem lembradas em um dia especial. A razão, o direito ao voto feminino.

A reivindicação era a mesma de mulheres em todo mundo. No Brasil a primeira mulher a votar foi Celina Guimaraes Viana em 5 de abril de 1928 na cidade de Mossoró no RN. Ela nasceu em Natal em 15 de novembro de 1890 e morreu na cidade de Belo Horizonte aos 81 anos em 11 de julho de 1972.

O que ocorreu na fábrica Triangle Shirtwaist, em Nova York, quando 146 pessoas foram assassinadas, 129 mulheres, em sua maioria imigrantes judias e italianas, entre 13 e 23 anos, não foi a razão do dia internacional das mulheres, mas serviu de inspiração para que o mundo prestasse atenção nas mulheres, as que trabalhavam em condições indignas.

A tragédia fez com que a luta das mulheres operárias estadunidenses, coordenada pelo International Ladies’ Garment Workers’ Union (Sindicato – União Internacional de Mulheres da Indústria Têxtil), crescesse e aparecesse, em defesa de condições dignas de trabalho para mulheres em todo mundo, em que pese o fato de muitas ainda serem subjugadas em virtude de religião, crenças, cor e gênero, sobretudo nos países islâmicos.

As mulheres russas tiveram papel decisivo para emancipação das mulheres

Vale lembrar que a mulheres russas tiveram também papel decisivo para que a data de 8 de março fosse marcada como dia de luta a favor de direitos das mulheres. Por “Pão e paz”, no dia 8 de março de 1917, no calendário ocidental, e 23 de fevereiro no calendário russo, mulheres tecelãs e familiares de soldados do exército tomaram as ruas de Petrogrado (hoje São Petersburgo).

De fábrica em fábrica, elas convocaram os trabalhadores russos contra a monarquia e pediram a saída da Rússia arrasada da I Guerra Mundial. Começaria naquele dia também o fim da família imperial russa e da dinastia Romanov depois de 500 anos. O czar Nicolau II, suas esposa a czarina Alexandra e seus cinco filhos, Tatiana, Olga, Alexei e Maria, Anastásia, bem como todos serviçais que os acompanhavam em Ecaterimburgo, foram assassinados a tiro de pistola em porão da residência onde estiveram exilados no dia 17 de julho de 1918 por determinação do Soviete Regional do Ural, seguindo ordens de Yakov Sverdlov e Vladimir Lenin.

Encerro esta homenagem lembrando que metade da população mundial é de Mulheres, a outras metade é de filhos delas… Elas representam 70% da força de trabalho no combate a pandemia do Coronavírus. 

Não por acaso elas devem governar o mundo e promover a paz, ameaçada pela falta de empatia e pela intolerância.

José Aparecido Ribeiro é jornalista em Belo Horizonte

Contato: jaribeirobh@gmail.com – WhatsApp: 31-99953-7945 – www.zeaparecido.com.br

Este blog não recebe verbas publicas e aceita anúncios ou doações.

9 thoughts on “A homenagem neste dia internacional da Mulher é para dona Naná, aos 84 anos

  1. Parabéns a todas nós mulheres e em especial a dona Nana ,pois sabemos das nossas lutas a cada dia .Mais qdo reconhecem nossos valores sentimos mais fortalecidas.A minha mãe também debilitada na sua mente e fisicamente mais que na sua geração teve sabedoria de águia para nos educar .👏👏

    1. Parabéns pela homenagem às mulheres. Merecemos, apesar de achar injusta esse discurso muito atual de um grupo de mulheres, que tenta gerar um antagonismo entre nós e os homens. A existência de harmonia deve existir sem que haja necessidade de prevalência de um sobre o outro. É uma luta histórica pela igualdade de direitos que deve sim continuar, apesar do bom caminho já percorrido. Minha admiração irrestrita tb a minha mãe querida, falecida a mais de 50 anos, a quem devo todos
      os princípios arraigados a minha personalidade, por ser já naquela época, a representação da mulher empoderada de hoje, muito antes do modismo da palavra.

  2. José Aparecido, é uma grande honra, voltar a comentar neste espaço, onde me sinto em casa. Especialmente no dia de hoje, quando me sinto privilegiada por ser representada pela Dona Naná.
    Obrigada e Parabéns por mais um belo artigo.
    Deus continue abençoando você e sua mãe. Saúde e muito Amor a esta grande Mulher!

  3. Acho que nós mulheres devemos todos os dias agradecer a Deus por sermos mulher. Cada uma é única dentro do seu universo. Um universo único com muitas facetas, a mulher que luta, sente, cuida, briga defende o que é seu por direito ou por conquistas, que chora de alegria e de tristeza, reconhece seu erro e sabe pedir perdão quando precisa, carinhosa e caridosa, batalhadora, amável, amorosa, mas que espera a hora certa do troco e que vive sem medo de ser feliz, porque tem fé e finca seus pés na Rocha que é Cristo.
    A mulher é aquele sobre a qual disse Clarice Lispector : “Decifra-me, mas não me conclua, eu posso te surpreender”. Sempre uma caixinha de surpresas.
    Penso que a homenagem feita a dona Nana, sua mãe, está dentro de todos esses dizeres, desse universo único que é a mulher . Feliz dia da mulher dona Nana com todos os sonhos e segredos, parabéns a todas nós mulheres que gostam de ser mulher. Parabéns a você José por todo esse carinho pela mulher que é sua mãe. Bela homenagem!

  4. Parabéns para dona Nana representando todas mulheres da geração que cuidou, educou e amou seus filhos. Nesta tabela incluo minha mãe e várias outras queridas da geração de aço. Parabéns José por ser um filho que está podendo retribuir e cuidar da Dona Naná. Sabemos que o caminho não é fácil mas a paz que vai ter em seu coração será enorme.

  5. Parabéns Zé Aparecido pela linda homenagem a sua mãe em especial neste dia de todas mulheres.

  6. Meus cumprimentos pela data do dia Da MULHER, em especial a Dona Naná.

    PARABÉNS também pelo filho e Mestre José Aparecido, uma Safira como pessoa.

    Deus abençoe sempre vcs

    Alexandre

    1. Parabens a minha tia Naná e minha madrinha de casamento No dia 08 de fevereiro de 1975 ela subiu noaltar juntamente com o meu tio jose pedro e juntos participaram do meu casamento obrigado e parabens tia NANÁ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.