Associação Comercial de Minas repudia aprovação do Fundo Eleitoral na LOA de 2022

Em decisão colegiada, presidente da Associação Comercial e Empresarial de Minas – ACMinas, protesta contra o Fundo Eleitoral aprovado pelo Congresso Nacional nesta terça-feira (21)

Foto: Acervo – PSDB – Senadores: Antonio Anastasia, Carlos Viana e Rodrigo Pacheco

A ACminas é uma das entidades mais importantes do setor empresarial mineiro e completou neste mês de dezembro 120 anos de existência. A entidade que foi fundada por Teófilo Domingos Alves Ribeiro em 1901, é comandada hoje pelo advogado José Anchieta da Silva, e sempre esteve presente nos momentos decisivos da história da capital, de Minas Gerais e do Brasil.

Segue em primeira mão, a carta aberta de repúdio que será veiculada nos principais jornais do país amanha dia 24 de dezembro de 2021. Carta endereçada ao presidente do Senado Federal, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), ao presidente da Câmara dos Deputados, deputado Federal Arthur Lira (PP-AL), e ao povo brasileiro.

Carta aberta de repúdio da ACMinas contra aprovação do Fundo Eleitoral

A Associação Comercial e Empresarial de Minas (ACMinas) expressa, veementemente, preocupação com a aprovação pelo Congresso Nacional da Lei Orçamentária Anual (LOA) da União para o ano de 2022, nos termos em que foram postos.

Um país em crise sanitária e com economia em extrema dificuldade, ainda fragilizada, não pode aceitar com passividade a destinação de bilhões de reais o Fundo Eleitoral e as Emendas de Relator, enquanto na iniciativa privada perduram os rigores causados pela pandemia.

Tempos difíceis em que empresas e cidadãos foram compelidos a continuar contribuindo para mitigar profundos danos, seja reduzindo despesas, consumo, salários e benefícios, seja eliminando postos de trabalho e, ao mesmo tempo, convivendo com incertezas.

O Setor Privado se debate buscando rumos para sobreviver, tece soluções, inova, promove mútuas colaborações. Inspira e transpira. Nos Três Poderes, que têm por função e mandato o dever guiar, orientar e conduzir, os exemplos são desalentadores: corrupção, desorganização, desentendimentos e desinformações.

É preciso lembrar que “governos não criam riquezas, quem faz isso são o comércio, as indústrias e os serviços”, pontuou Margareth Thatcher.

O Brasil está diante de inédita, injusta e compulsória transferência de renda para os que já têm proteções legais contra o desemprego, as reduções salariais e os benefícios. Derrama contemporânea que ultrapassa limites e traz até nós o ameaçador fantasma da vilania do período barroco da nossa História.

É tempo de cautela e de sacrifícios, mas também de acerto de contas com a ousadia e a temperança. O momento é de vigilância e a ACMinas, enquanto representante de Empresários e Profissionais Liberais, se alinha com a população brasileira para combater quaisquer flexibilizações e privilégios, inaceitáveis, oriundos dos Três Poderes da República”.

Assina a carta aberta o Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Minas, advogado José Anchieta da Silva

Belo Horizonte, 23 de dezembro de 2021

José Aparecido Ribeiro é jornalista e diretor da ACMinas

www.zeaparecido.com.br – WhatsApp: 31-99953-7945 – jaribeirobh@gmail.com

Colabore com a manutenção deste Blog doando, anunciando ou compartilhando!

4 thoughts on “Associação Comercial de Minas repudia aprovação do Fundo Eleitoral na LOA de 2022

  1. Li aqui no Blog do jornalista José Aparecido protesto da Associação Comercial sobre tema importante. E me surpreendi positivamente. Mais uma vez a Representação dos empresários mineiros mostra sua força. Parabéns aos diretores e ao presidente pela firmeza e acertividade da carta de repúdio, que para mim é um escárnio. Neste momento terem coragem de criar um fundo de 5,7 bilhões é inaceitável.
    Gerson Fialho – Uberlândia

  2. Parabéns ao presidente da ACMinas pela iniciativa. Isso sim é responsabilidade associativa. Precisamos de associações que atuam não só em defesa do empresariado, mas da nação brasileira.
    Siley Alves

  3. Deveria fazer um circular com os nomes dos deputados e senadores , por estados, para que o povo dê a resposta nas urnas. Que tirem o poder de voto desses tiranos, corações de gelo e homens sem “DEUS “.

  4. Esses políticos bandidos qdo fazem isso devem ter uma vontade de rir, gozar da nossa cara.
    Vejam a imagem cada safado disfarçando a vontade de rir, por dentro cada um com a sua calculadora vendo qto será distribuído pra cada.
    Já estão em guerra entre eles, cada partido querendo maior parte do bolo.
    Tomara que haja indignação em todo Brasil.
    Três anos de Bolsonaro e três anos sem corrupção.
    Bolsonaro em 2022

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.