Cientista brasileiro chamado de negacionista pela imprensa é eleito o melhor do mundo nos EUA

Dr. Flavio Adsuara Cadegiani MD, MsC, PhD, fundador e CEO da Corpometria Institute, é eleito o melhor do mundo pela FLCCC 

Foto: Reprodução Médicos pela Vida – Dr. Flávio Adsuara Cadegiani 

Cientista brasileiro que teve seu apartamento em Brasília invadido indevidamente pela Polícia Federal, tendo seus equipamentos eletrônicos confiscados, é eleito nos Estados Unidos como o melhor do mundo pelas “Contribuições para a Pesquisa Cientifica de Excelência”. Dr. Flávio Cadegiani foi estrela no Congresso da FLCCC –  Front Line Covid-19 Critical Care, em Phoenix no Arizona, na semana do dia 2 de fevereiro.

O médico que é pesquisador, formou-se pela Universidade de Brasília – UNB, é Doutor pela USP em Endocrinologia, está entre os cientistas com o maior número de estudos clínicos conduzidos em Covid no mundo. Inexplicavelmente foi um dos mais atacados pela imprensa brasileira, (leia-se consórcio), chamado de “negacionista”. Ele recebeu o prêmio de excelência pela academia internacional em virtude da maneira como conduziu de forma ética e transparente seus estudos, pela segurança e eficácia dos resultados.

O cientista publicou 2 grandes estudo sobre os efeitos do uso de Ivermectina como profilaxia para COVID-19 realizado em Itajaí-SC. Veja no Link: https://www.cureus.com/articles/111851-regular-use-of-ivermectin-as-prophylaxis-for-covid-19-led-up-to-a-92-reduction-in-covid-19-mortality-rate-in-a-dose-response-manner-results-of-a-prospective-observational-study-of-a-strictly-controlled-population-of-88012-subjects?email_share=true&expedited_modal=true

No 1º estudo foi feita a avaliação de como a molécula da Ivermectina poderia impactar na taxa de infecção e mortalidade. Nele avaliou-se o uso regular e como a quantidade total usada da droga que sua parceira de estudo, a respeitada Professora Doutora Lucy Kerr chama de “molécula da vida” por combater 200 doenças, poderia trazer benefícios adicionais para quem faz uso regular.

“Nós observamos que dentre os que usaram Ivermectina, aqueles que usaram regularmente a cada 15 dias na dose de 1cp de 6mg a cada 30kg de peso corporal por 2 dias seguidos por pelo menos 6 a 8 semanas tiveram redução de até 92% na mortalidade em comparação com quem não utilizou. Mostramos um efeito dose-resposta, ou seja, quanto mais usou, mais proteção teve, o que reforça a relação de eficácia”, relata o cientista.

No 2º estudo, Dr. Flávio atuou como pesquisador sênior, em trabalho liderado pela colega, Dra. Lucy Kerr e pelo Estatístico Fernando Baldy. Vale destacar que o cientista arcou pessoalmente com todos os custos editoriais deste estudo, sem receber um centavo adicional, fez por compromisso com a causa, contra tudo e todos, enfrentando a multimilionária indústria farmacêutica, a OMS, a Anvisa, e claro a tropa de choque da ciência militante que repete o que a imprensa ativista manda. Os mesmos que aterrorizaram a população durante a pandemia e ajudaram a assinar reputações de médicos que usaram o tratamento precoce para salvar milhares de vidas inocentes, que receberam como alento e orientação, o “fique em casa e só procure um médico quando faltar ar nos pulmões”, um genocídio com carimbo oficial.

Mais de 200 mil pessoas participaram da experiências que revelaram os efeitos preventivos da Ivermectina, droga demonizada e que agora é reconhecida como uma das mais eficazes contra o vírus da Covid, se usada precocemente. O estudo de Itajaí serviu para mostrar que se administrada adequadamente tem efeito profilático, fazendo o vírus que provoca a Covid perder potência evitando a 3a fase, inflamatória, cujo resultado via de regra é a intubação, que em boa parte dos casos termina em óbito.

Surpreendido com a própria fama nos EUA, com o assédio de cientistas europeus, americanos e asiáticos que estavam no Congresso, Dr. Cadegiani não esperava ser recebido como uma estrela da ciência e nem sonhava que seria chamado para receber o prêmio de maior cientista da atualidade em um país que respeita a ciência e os pesquisadores. Estava jantando quando ouviu seu nome ser chamado no palco do Congresso da FLCCC em Phoenix para receber o prêmio de MELHOR DO MUNDO.

Modesto e fiel aos seus princípios, não se achava digno de tamanha honraria, mas agradeceu a direção do congresso e compartilhou com a academia seu trunfo, fruto de muita disciplina e vocação para a ciência, um médico comprometido com a vida. O cientista que é paulista mas mora em Brasília, acorda as 4h e divide sua rotina entre a pesquisa, os atendimentos clínicos, e a academia, pois é um atleta de alta performance, além de uma das maiores autoridades do planeta em Covid seus efeitos adversos, e as síndrome pós vacinas que seguem fazendo vítimas sob silêncio da mídia. Ele também é um profundo conhecedor das causas da obesidade e dos tratamentos para combatê-la.

“Os prêmios são apenas uma forma de a FLCCC reconhecer o bom trabalho de outras pessoas e agradecer. Eles não foram feitos para ser como um Nobel ou um Grammy, mas tem um grande grau de importância para boa parte da comunidade médica e científica,”, relatou para o Blog Steven Christensen, relações públicas e assessor de imprensa da FLCCC.

Dr. Cadegiani participou como palestrante nos dois Congressos Mundiais sobre Covid que aconteceram no Brasil em dezembro de 2021 em Brasília – DF, e em julho de 2022 em Foz do Iguaçu – PR, organizado pelos Médicos pela Vida, quando estiveram reunidos mais de 1.500 profissionais da medicina e cientistas de 22 países para discutir os avanços no tratamento da Covid, e cuja cobertura da imprensa nacional, foi, pasmem, ZERO. O jornalismo ativista do “consórcio” simplesmente deu de ombros para os dois eventos ignorando as contribuições que a ciência apartidária havia conseguido durante e depois da pandemia.

Passei anos sem que eu conseguisse ser ouvido, sofrendo com as milhares de mortes que poderiam ter sido evitadas se estivessem realmente em busca da verdade e na luta pelas vidas. Eis que começo a aparecer em destaque em grandes rankings mundiais, e agora esse prêmio, que, embora venham de uma grande associação médica da qual eu faço parte e cuja admiração é mútua, foi destaque entre centenas de médicos e cientistas do mundo inteiro – ou seja, esse prêmio poderia ter ido para qualquer outra pessoa. O reconhecimento, cada vez maior, não tem preço. E é só o começo.” desabafou o jovem cientista que foi estrela no Congresso da FLCCC.

Dr. Flávio Adsuara Cadegiani é um apaixonado pela ciência, vem contribuindo de forma expressiva para o entendimento dos efeitos da Covid e das “vacinas” de mRNA, mas como não se curvou aos ditames da indústria farmacêutica e da mídia, foi ignorado pela a academia de ciência brasileira, majoritariamente, salvo raras e honrosas exceções, dominada por profissionais envolvidos até o pescoço com conflitos de interesse. Algumas inclusive, presididas por ex-executivos da indústria farmacêutica ou com vínculos escandalosos.

A maioria deles falando em nome de sociedades médicas atoladas em desvios éticos, acostumados ao holofotes da grandes redes de tv e jornais esquerdistas que esquecem de pesquisar a fundo as ligações promiscuas que existem entre dirigentes destas sociedades e laboratórios que bancam viagens e participação deles em congressos internacionais, devorando a moral de vários que aparecem como donos da verdade para os leigos e são alçados à fama repentina, sem o devido lastro cientifico por um jornalismo desviado a serviço de ideologias e não da verdade.

O renomado médico que foi crucificado e não se curvou ao sistema, lavou a alma e merece um pedido de desculpas por parte daqueles que o trataram sem o devido respeito. Na sua opinião caríssimo leitor, a imprensa e os lacradores de plantão, incluindo aqueles que falam em nome da ciência sem a devida autorização, qualificação moral e autoridade, terão a grandeza de reconhecer este feito do cientista brasileiro admirado pela comunidade científica internacional? Ou fingirão de desentendidos?

José Aparecido Ribeiro é jornalista e Assessor de Comunicação do MPV

Wpp: 31-99953-7945 – www.conexaominas.com

Colabore com a manutenção deste Blog anunciando, compartilhando seu conteúdo e doando pelo pix: 31-99953-7945

By zeaparecido

José Aparecido Ribeiro é Jornalista, Bacharel em Turismo, Licenciado em Filosofia e MBA em Marketing - Pós Graduado em Gestão de Recurso de Defesa

37 Comments

  • Eu tomei Ivermectina e dei Vovid, mas bem fraquinho, parabéns Doutor pela percistencia.
    Vou voltar a tomar Ivermectina.

  • Dando uma investigada aqui….
    A história não é BEEEEM essa…
    Ele recebeu um Prêmio de excelência da FLCCC, uma sociedade médica, da qual é membro.
    O tal estudo com ivermectina foi criticado por ter muitas falhas.
    Mas o que o levou a ser investigado, foi um estudo com proxalutamida, que foi enfiado no meio da famigerada cpi da covid e politizado.
    Flavio foi inocentado nos CRMs AM e RS, onde os estudos foram desenvolvidos e ficou provado que a proxalutamida é realmente eficaz no tratamento de covid.

    • Com certeza a pesquisa verdade é a Proxalutamida! Reportagem tendenciosa ,pois nem cita a pesquisa corretamente.

    • Parabéns ao Dr Flávio pela persistência e pelo prêmio! Maravilhosa reportagem! Tomo Ivermectina ,desde antes da pandemia ,para evitar piolhos na escola. Quando foi divulgado sua eficácia continuei,e até hoje,tomo como orientado regulamente.

  • Durante todo o período da COVID 19, eu estava aí da no Exército e era o chefe da Seção FUSEX, responsável pela parte de convênios de Saúde do meu quartel, na época a ESA, em Três Corações, MG.
    Acompanhei toda a luta dos médicos tentando salvar vidas com o que tínhamos na época, ivermectina, dentre outros. Nosso saldo foi positivo, com pouquíssimas perdas dentre os mais velhos e já na reserva ou dependentes, inclusive com zero perdas com os ativos.
    Nosso pessoal de saúde, e os conveniados foram heróis, lutando contra todo um sistema corrupto e castrador. Fomos calados, mas continuamos o nosso trabalho em silêncio.
    Agora, a verdade está vindo a tona.

  • Tenho 70 anos , nenhuma comorbidade , boa saúde física e mental, não acredito nestas vacinas e nos seus efeitos publicados pela imprensa marrom, porém tomei a ivermectina vitaminas C D e Zinco , pouco usei máscara , apenas onde era obrigatório e não tive qualquer sintoma desta covide que milagrosamente deixou de existir após o dia 01 de janeiro de 2023.

  • Há um adagio que diz: ” Santo de casa não faz milagres “.Parabéns Dr. Flávio. A sua persistência e amor à pesquisa , deram um tapa de luva nesses que entrometem numa área que não lhes pertencem. O senhor merece um pedido de desculpas em nível nacional. Parabéns!

  • Parabéns Dr Flávio , sempre soube dos benefícios da Ivermectina e sempre acompanhei seus estudos , parabéns pelo tapa na cara da imprensa brasileira é essa militância de esquerda que esses realmente foram os verdadeiros negacionistas .

  • Grato pela confirmação do efeito benéfico da Ivermectina, tantas vidas seriam salvas se não existisse a manipulação genocida da esquerdalha podre. Não sei quando, nem como, mas pagarão muito caro pelas vidas perdidas. Parabéns doutor, a vida agradece!!! E essa publicação merece o prêmio do maior compartilhamento, para conhecimento do maior número possível de cidadãos brasileiros e do mundo.

  • Parabéns ao Dr. Flavio Adsuara Cadegiani, esse brasileiro que fez de sua vocação, um evangelho vivo e materializou o agir de Deus, por meio de sua perseverança em atender tantos irmãos, que seria tragados, como foram tantos, por esses, que em troca de um punhado de moedas, destroem vidas e famílias. Que Deus lhe ilumine e recompense em vida por tão grande obra realizada. Parabéns ao Instituto que reconheceu o trabalho desse grande profissional.

  • Parabéns, dr Flávio Asuara Cadegiani, pelo prêmio da FLCCC!!! Que Deus faça você merecedor de muitos outros reconhecimentos internacionais !!! Sinto-me orgulhosa por seu talento e árduo trabalho !!! Registro ainda que voce e a dra.Lucy Kerr são exemplos de persistência, valores cristãos, ética e protagonismo em prol do bem maior: a saúde da humanidade!!! Bençãos de Deus sempre! Shalom!!!

  • Parabéns, dr Flávio Asuara Cadegiani, pelo prêmio da FLCCC!!! Que Deus faça você merecedor de muitos outros reconhecimentos internacionais !!! Sinto-me orgulhosa por seu talento e árduo trabalho !!! Registro ainda que voce e a dra.Lucy Kerr são exemplos de persistência, valores cristãos, combate ideológico, ética e protagonismo em prol do bem maior: a saúde da humanidade!!! Bençãos de Deus sempre! Shalom!!!

  • Parabéns, dr Flávio Asuara Cadegianni, ainda que pelo reconhecimento um tanto tardio!!! Que Deus faça você merecedor de muitos outros prêmios internacionais além de reconhecido e respeitado em nosso país!!! Sinto-me orgulhosa do reconhecimento internacional de seu trabalho e registro que voce e a dra.Lucy Kerr são exemplos de persistência, valores cristãos, combate ideológico, ética e protagonismo em prol do bem maior: a saúde da humanidade!!! Bençãos de Deus sempre! Shalom!!!

  • Parabéns dr e fica minha indignação dessa mídia maldita esquerdista que na maioria das vezes é só sujar imagens de pessoas do bens p a si próprio se beneficiarem e obrigado por ainda ter vc e outros preocupados com vidas

    • Deus lhe proteja em sua linda missão em favor da vida e da verdade! Tenho 67 anos, aprendi a admirar o excelente trabalho da Dra Lucy Kerr, pois meu sogro fora aluno de apicultura,do grande e fiel naturalista pai Estevão Kerr. Ao acompanhar e confiar em vosso trabalho, adquiri, e insistindo distribui mais de 10 mil cápsulas da droga X, pois ficamos proibidos de falar a palavra milagrosa IVERMECTINA. Graças a Deus, o resultado foi maravilhoso. Dr Flávio,e Dra Lucy Kerr, desejo que o criador vos proteja da maldade das BigPharmas, e quando vosso livro for fechado, que Deus tenham junto DELE,os lugares reservados para os Justos que aqui bravamente combateram!

  • Prezado Senhor,
    Perdoe-me o comentário, justamente porque o conteúdo é importantíssimo e de “lavar a alma” de quem sempre acreditou no tratamento preventivo.
    Sugiro, apenas, um cuidado maior com a revisão do português, antes de publicar. Todo cuidado é pouco com os corretores automáticos e um post bem redigido aumenta a credibilidade do seu autor/conteúdo.
    Atenciosamente,
    MC

  • Parabéns ao pesquisador não somento pelos resultados obtidos mas principalmente por não ter se curvado aos genocidas produtores de “vacinas”

  • Parabéns ao pesquisador não somento pelos resultados obtidos mas principalmente por não ter se curvado aos genocidas produtores de “vacinas”

  • Sim, a ivermectina poderia ter salvo milhares de vidas. Em casa tomamos desde o início da fraudemia, apesar das dificuldades, uma hora sumiu das farmácias, aí eu comprava em petshops. Aí queria mandar manipular para diminuir custos, arrumaram a exigência de receita médica e não haviam médicos dispostos a colocar seu nome nisso. Mas, consegui e até hoje mando manipular para todos de casa, seguindo o protocolo da Dra. Lucy Kerr, tomamos a dose recomenda a cada 15 dias.

  • Este Sim é um profissional que cumpriu com seu juramento e trabalhou com excelência independentemente da lavagem cerebral que ocorreu.
    Não fechou os olhos, mas enfrentou com coragem e dedicação os verdadeiros negacionistas, ganhando essa honroso e muito merecido prêmio! Desejo que esta informação chegue para o máximo número de pessoas e divulgarei também. Obrigada José Aparecido Ribeiro por trabalhar em prol da informação verdadeira de grande relevância!

  • Não sei o que dizer
    Peço desculpas ao Doutor por tantos brasileiros não terem compreendido seu trabalho
    Então obrigado Doutor e Zé Aparecido
    Por me informar tamanha grandeza de informações
    Um abraço

    • Assim como tenho orgulho em dizer que minha geração é privilegiada por testemunhar tantos avanços nas ciências médicas, sinto uma tristeza muito grande ao ver ignorada á pesquisa do Dr Cadegianni e equipe.
      Quantas vidas.teriam sido poupadas…

      • Parabéns Dr. Flavio Cadegianni, Parabens Dra. Lucy Kerr, vocês merecem todo o apoio dos brasileiros que não se sujeitaram a podridão da política imunda que deixou morrer muitos brasileiros, omitindo todas as informações verdadeiras das suas pesquisas, estava até então muito triste e revoltado por ver tantas pessoas sendo levadas pela imprensa podre e corrupta, agora pelo menos está aí, não é fake News, pena que a imprensa não vai divulgar, então temos que fazer nossa parte, temos que divulgar ao máximo, pois estão querendo explicar uma nova “onda” de uma nova cepa do covid e a mídia vai bater pesado novamente

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas