Fiat e Gerdau empurram Minas Tênis Clube para uma crise institucional sem precedentes

O Minas teria sido poupado da crise se não fosse a turma do deixa disso e o fogo amigo alimentando jornalistas oportunistas

Foto: Montagem Site Minas 1

O episódio envolvendo o atleta Maurício Souza do time de voleibol do Minas Tênis Clube poderia ter sido encerrado dentro do próprio clube, sem prejuízos para qualquer uma das partes, se não fosse a precipitação de uma colaboradora, a vaidade de patrocinadores estrelas simpatizantes da causa socialista, e o desatino da imprensa marrom em busca de audiência a qualquer preço. Flagrante incompetência no gerenciamento de crises.

Uma crise que parece estar longe de encerrar. Para atender aos caprichos do marketing AMADOR da Fiat e da Gerdau, mesmo sabendo que Maurício não cometeu qualquer infração que merecesse ser desligado, a diretoria do Minas colocou a prova sua credibilidade e autonomia, desencadeando uma crise sem precedentes na história do clube. Alienação de princípios em defesa de patrocinadores sugestionáveis, inseguros, vacilantes e defensores da algazarra esquerdista.

Fiat e da Gerdau não são dirigidas por Et´s, e nem por semideuses

Foto: Minas Tênis Clube Arena

É como se não houvesse domínio dos atos internos e que os princípios da instituição fundada em 1935, defendidos pelos seus 81 mil sócios estivessem à venda ou fossem alienáveis a interesses de patrocinadores circunstanciais, homens e mulheres sujeitos a falhas. O departamento de marketing dos dois patrocinadores não são ocupados por ET`s, mas por gente como a gente, que falham e não são portadores da verdade. Ao contrário, comprovaram inabilidade na condução do problema.

O fato é a que a família Minas Tênis, que é a síntese da tradicional família mineira segue não sabendo explicar para as futuras gerações o porquê de um ídolo ter sido demitido por manifestar opinião contrária a dois homens beijarem na boca em público.

Dois homens beijando na boca na intimidade é assunto de fórum íntimo, que merece respeito e distanciamento dos que não concordam. O filho do “superman bissexual” beijar na boca e virar propaganda deixa de ser ato privativo e vira imposição aos costumes, queira ou não a famigerada “turma do deixa disso”.

Que história é essa de impor à sociedade o que eles querem, na marra? Querem respeito, deem o respeito mantendo suas  intimidades entre quatro paredes como fazem as pessoas normais. Mas fica claro que o desejo é chocar a sociedade. 

A vítima não é o filho do superman bissexual, mas o atleta Maurício Souza e os sócios do Minas

O que Maurício fez não foi homofobia como insistem os oportunistas a serviço do politicamente correto, a turma da lacração tresloucada, em especial a velha imprensa desatinada. Trata se de opinião que foi desrespeitada. Ou seja, a direção do clube e os patrocinadores sim foram preconceituosos, escolheram o lado errado, desconsiderando o direito de opinião que é garantido na Constituição Federal. O ato pode ser considerado de cerceamento de liberdade de expressão e xenofobia contra Maurício.

Toda está celeuma poderia ter sido evitada se uma conhecida colaboradora interna do clube, que a fonte pediu para não ser citada, e que é filha de dirigente graduado, não tivesse dado com a língua nos dentes chamando os xiitas oportunistas do jornalismo esportivo para dar publicidade ao caso. A hipocrisia poderia ter sido resolvida com uma medida muito mais simples e objetiva, dentro de casa.

Nunca houve no clube qualquer discriminação ou manifestação de homofobia, até por que, o homossexualismo está presente no seio da maioria das famílias, em qualquer lugar do planeta, inclusive no elenco de atletas do Minas Tênis Clube, sem nunca ter registrado preconceitos. Ou seja, o que querem na verdade é criar polêmica, e não combater a homofobia que só eles enxergam e alimentam pelos diferentes.

A ditadura do politicamente correto superando o bom senso e a razão

A ditadura do politicamente correto está levando a sociedade ao confronto, aos extremismos e, sobretudo ao ódio. O que vale no Minas não é a opção sexual do atleta, mas o mérito em quadra. Ou seja, é inacreditável que uma bobagem insignificante faça o clube perder um atleta de nível internacional, desnecessariamente, por capricho de burocratas querendo mostrar poder e seguir padrões impostos por pura hipocrisia.

A reação da torcida e da opinião pública deixa uma mensagem que deve servir de exemplo para a direção do Minas e de qualquer clube esportivo: Não é a Fiat ou a Gerdau, tampouco a opinião de jornalistas que podem dizer o que é bom ou ruim para o clube, são seus sócios e os dirigentes que foram eleitos para manter o clima de harmonia. Patrocinadores passam, jornalistas estão sempre criando versões, por vezes equivocadas. Já os princípios do clube devem permanecer independentes, e inalienáveis.

José Aparecido Ribeiro é jornalista

www.zeaparecido.com.br – WhatsApp: 31-99953-7945 – jaribeirobh@gmail.com

Ajude a manter este Blog doando ou anunciando!

27 thoughts on “Fiat e Gerdau empurram Minas Tênis Clube para uma crise institucional sem precedentes

  1. A Gerdau já está conhecendo o preço de se sujeitar ao marketing da lacração para agradar a essa horda de zumbis politicamente correta. Sou apenas um dos construtores aqui da cidade que está preterindo material dela. Acabou de jogar centenas de toneladas de pedido de aço nas mãos dos concorrentes.

  2. Da pena ver pessoas tão vazias como este povo da esquerda.Boicote neles !Ai vão sentir na pele o que é uma sociedade de princípios morais .Moralidade é tbm saber respeitar o outro .Coisa que desconhecem

  3. Agora liberdade de expressão virou sinônimo de homofobia quando contraria a turma da lacração e o poder do dinheiro.

  4. Lamentável. Minas que é exemplo de ética, profissionalismo, tomar uma atitude , não típica do Clube , me pareceu precipitada, desnecessária , que não condiz com sua história. Tenho orgulho do Clube, espero que reverta a situação do atleta que apenas exerceu seu direito constitucional de emitir sua opinião sobre um assunto de conhecimento publico que não denigre nem sua carreira, muito menos desrespeito ao clube .

  5. Durante toda vida,Lula fez o discurso,dividindo ricos e pobres,pretos e brancos…
    Com a democratização da informação e o acesso rápido através da internet,as narrativas foram caindo rapidamente e o poder dos mandatários que não andarem corretamente foi ficando em risco .
    A própria igreja católica perdeu o poder a partir do momento que ler,se tornou acessível a mais pessoas.
    O mais incrível nessa história é como está cristalino que o objetivo é dividir as pessoas.
    Essa minoria da ideologia de gênero não está preocupada com as liberdades,defender o homossexualismo,etc.
    Não querem saber da inclusão.
    Com o acesso à informação pela população,a única maneira de parecerem ser maioria do que são,é dividir a força contrária que é a infinitamente maior.
    Será que não percebem que estão sendo usados?
    Parece que a vaidade e arrogância de quem tomou a decisão exdrúxula contra os sócios do Minas,falaram mais alto

  6. Lamentável o ocorrido. Não se trata de ofender este ou aquele lado. Estão ofendendo uma geração que foi criada lendo gibis e assistindo os filmes de super heróis. Que tenham criatividade para lançar outros personagens e não fazer puxadinho dos nossos. Um politicamente correto que agride a maioria não cabe no meu entendimento. Os diretores não são donos do clube, são os sócios. Por isto concordo que vacilaram na comunicação por algo que poderia ser resolvido internamente.

  7. A justificativa do Eloy,foi uma confissão de vários crimes.
    Se não tem competência para tomar a decisão correta,por esperar algum tipo de manifestação dos sócios ,em cima do que não precisa ser discutido (óbvio demais),saia da sua função no clube.
    Não tem competência.Só vaidade.

  8. Não há solução para essa inquisição , que não passe pelo boicote financeiro de todos que utilizarem desse método coercitivo de impor comportamentos ! Contra coerção cultural, coerção financeira !

  9. Uma vergonha que podia ter sido evitado. Pelo visto a tradicional família cristã, conservadora mineira foi por água abaixo, diante do ocorrido e defendido pelo tradicional clube de Minas.

  10. Todo meu apoio ao Maurício, que me representa quanto a este assunto. Da mesma forma, meu REPÚDIO ao clube e às empresas, cujos produtos passarei a não escolher na hora de consumir.
    Todos tem o direito de ser o que bem entenderem, mas tem a obrigação de aceitar a existência de pensamento divergente. Respeitem a idade, respeitem os costumes, e principalmente, respeitem as opiniões. Não se achem obrigados a concordar, mas respeitem quem pensa diferente.

  11. Infelizmente o politicamente correto tomou conta do público, que se deixa levar pela maré de novas ondas.
    E quem opta pelo conservador sofre as consequências , das determinações, que um grupo muito menor mas, que grita mais alto e o faz com maldade, impondo regras, querendo impor seus pensamentos, sem dar o direito do outro grupo, maior, estável e bem resolvido na sociedade, com famílias estruturadas ou não, mas com uma diferença gritante que é o respeito que tem pelo ser humano, sendo este ou não diferente sexualmente. Porque no geral somos todos diferentes uns dos outros, graças a Deus! Que chatice seria, se todos nós fôssemos iguais. Infelizmente a burrice do politicamente correto tem que ser rebatida com muita sabedoria, e muitos desenhos, porque não entenderiam, se dependesse apenas do raciocínio lógico.
    Infelizmente muitos emburreceram. Uma pena ter acontecido essa desatenção com um dos nossos heróis do wolley, mas tenho certeza que ele fará carreira em clubes maiores. Minas perde, mas com certeza não só Mauricio ganhará, mas algum outro clube grande e, tomara que seja no Brasil, senão teremos nosso atleta no exterior por pura burrice. Maurício, talvez essa seja a maneira de conquistar sua liberdade. Deus o abençoe!

  12. Eu estava lá no momento desta MANIFESTAÇÃO e o mais triste foi ver pessoas (pela região, pessoas esclarecidas e ricas) nas janelas nos prédios do lado e também passando na rua de carro e a pé e nos criticando, dizendo que também somos como o nosso PRESIDENTE BOLSONARO, HOMOFÓBICOS.

    Todos sabemos que não se trata de HOMOFOBIA e sim do lado que nos posicionamos.

    MAURÍCIO SOUZA foi criticado e dispensado por ser APOIADOR DO BOLSONARO, SIMPLES ASSIM.

    Essa filha do dirigente do clube, soltou a pérola pra eles do jornalismo que são verdadeiros militantes das narrativas da NOVA ORDEM MUNDIAL.

    Nós estávamos lá para dar APOIO ao MAURÍCIO e repudiar a infeliz decisão da DIREÇÃO do MINAS TÊNIS e pressionado pelos patrocinadores, mas isso somente após o post do mesmo ganhar publicidade.

    Ainda bem que o MAURÍCIO SOUZA saiu por cima nesse episódio, pois saiu de uma REDE SOCIAL com menos de 200 mil seguidores para mais de 2 Milhões, por enquanto.

    Se quiser pode vir candidato até a SENADOR ou a DEPUTADO FEDERAL, mas bem capaz de ser contratado por algum clube do exterior e viver feliz da vida e longe das polêmicas pautadas pela nossa mídia escrota que milita contra o nosso PRESIDENTE BOLSONARO.

  13. Parabéns Maurício pelo seu posicionamento de pensar livremente. Parabéns acionistas do Minas. Que vergonha dirigentes deste grande clube brasileiro.

  14. Excelente!!
    Ditadura e oportunismo misturados no triste episódio!!!
    E a liberdade de pensamento e expressão?

  15. Ser um homem é ter características masculinas, pensem num Super homem características muito masculina criada por Deus.
    Que deboche ou ironia é essa super homem bicha beijando outro homem.
    Aonde querem chegar com.essa depravação? O Maurício apenas postou o Super homem beijando sim a mulher Maravilha, o que está muito certo.
    Querem destruir a família e eu leio a bíblia, a palavra de Deus.
    Acaso não sabeis q os efeminados não herdarão o reino de Deus?
    1 coríntios 9
    Lêem tbm.levitico 13 20
    Em romanos 1 18 32
    Estão loucos, trocando a verdade de Deus pela mentira, são aborrecedores de Deus e pecam tbm todos que consentem e praticam tais aberrações.
    Essa agenda da ONU 2030, ou seja com meta até 2030 cheia de cristofobia e podridão tá aí de novo, o vírus acabou a bagunça tá liberada, carnaval, etc.
    Parece que a mão pesada de Deus não adiantou em nada.
    A depravação vai correr frouxa, maldito aquele que apoiar.
    Maurício vc merece o meu respeito.

  16. Muito bom.
    Infelizmente, a galera da lacração, os impostores, juntamente com os inquisitores, conseguiram o que queriam, isto é, a discussão explodiu. Muitos, patrocinados, não farão manifestação alguma, afinal precisam trabalhar e o mais importante, do dinheiro.

    Felipe Andreoli, por alguns reais, não entregou a “sua alma ao diabo”? Quantos não fizeram e quantos ainda farão a mesma coisa. Farão porque não vêem guarida após o enfrentamento. Sei como é isso, a diferença é que eu já estou aposentado e estou “c… e andando” para o que acham de mim. Não deixo de me manifestar, sem o menor temor, participo do debate e durmo muito bem.
    A maioria pensa como o Maurício, com eu, como nós, a diferença é que não age.

  17. O Minas é muito maior que essa minoria barulhenta que quer transformar na força a excessão em regra. O Maurício, como todos nós, temos direito a expor nosso pensamento. Infeliz decisão da Fiat e da Gerdau, e prova de fraqueza dos dirigentes do Minas. Penso como você Maurício.

  18. Esse mimimi ridículo veio para matar, roubar e destruir. Falam de preconceito e agem como tal. Falam de direitos humanos retirando o direito das pessoas de pensar diferente. Essa agenda progressista e nojenta. Querem destruir todos os valores familiares e religiosos.

    Eu sou contra essa agenda e estou apoiando o Maurício nas redes sociais. Ele tinha um pouco mais de 200 mil seguidores e agora, uma semana depois de sua demissão injusta, já passou de 2milhoes de apoiadores e só vai aumentar.

    1. E um vergonha um clube da tradição e estória do Minas se render a esta ditadura da Fiat, Gerdau e Melita.Fora ditadores de plantão.Nao aceitamos este cerseamento de liberdade

    2. Não a produtos Fiat,Gerdau e Melita.Público zero nos jogos de vôlei do clube que tem estes ditadores como patrocinadores.

  19. É fácil estas duas empresas patrocinadoras receberem o troco do soco que deram no clube. Nada de comprar materiais delas, carros, e tudo que a Gerdau tem. Existem muitos concorrentes. Afinal de 200 mil seguidores ele passou para mais de 2 milhões. Bora ficar cegos para elas.E o clube vai pagar sem precisar fazer nada. Ñ tem um excelente jogador. Vamos ver como vão se sair no campeonato.

  20. Exatamente JA!
    O risco é permitir uma minoria barulhenta que adora se vitimizar, impor regras de comportamento que não combinam na formação de crianças e adolescentes.
    O tema sexualidade é Divino, não se faz necessário vulgarizar e, nem dar salto na linha do tempo. Na educação infantil há o tempo certo para tudo.
    Nem tão pouco, a sugestão perigosa e desrespeitosa de se permitir a utilização de banheiros e vestuários femininos por pessoa do sexo oposto que diz se sentir feminino.
    Um caso particular, ou minoritário inexpressivo, deve ser tratado com o cuidado que merece e, não ser imposto para todos de um mesmo grupo de convivência.
    Na minha leiga opinião, alguém que se entitula transgênero, não operado, não tem o direito de frequentar o mesmo sanitário do sexo oposto.
    E ainda, em caso de dúvida, os estudiosos de Carl Gustav Jung e Sigmund Freud podem auxiliar, caso a caso.

  21. Enquanto a ex-grande- imprensa insistir em ignorar a voz das ruas, esse tipo de insanidade vai prevalecer. Os jornazistas Ignoram qualquer manifestação, qualquer vontade popular que contrarie sua ideologia macabra, vendem isso para os incautos, e os empresários compram a narrativa… Só pode dar m… Esqueceram os negócios, embarcaramn numa barca furada… vão dançar!!!

  22. A Internet gerou esse livre acesso à privacidade de todos e os indivíduos com maior destaque sofrem o julgamento desse tribunal de vaidades, amparado pela imprensa voraz, por qualquer deslize em sua fala. Um comentário minúsculo e inofensivo se torna um tsunami, não importa os malefícios que essa agressão cause ao protagonista. Nosso Brasil está a mercê da falta de liberdade e escancara os propósitos sombrios de quem acha que quanto pior, melhor.

  23. No momento, desatino e desrespeito ao direito de pensar diferente está sendo criminalizado indevida e inconstitucionalmente nesses atos praticados contra o triatleta olímpico Mauricio Souza. Liberdade de pensamento e liberdade de expressar o que pensa parece crime ( determinado pela tirania com características insanas). Que a Liberdade prevaleça. Eu

  24. Acho que os torcedores do Minas devem boicotar os jogos de volley do club, assim como os consumidores, os produtos da FIAT.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.