Flagrante de desrespeito recorrente em pontos de táxi da capital

Foto: José Aparecido Ribeiro – Ponto de Táxi Rua Bernardo Guimarães em frente ao Diamond Mall

Taxistas ocupam vagas destinadas ao Rotativo em flagrante desrespeito às leis de trânsito e ao regulamento da BHTrans. O fato é comum na maioria dos pontos de táxi espalhados pela cidade. Na manhã deste sábado (19), no ponto de táxi da Rua Bernardo Guimarães em frente ao Shopping Diamond Mall, flagrei taxista ocupando vaga destinada ao Rotativo, sem necessidade.

Como mostra a foto, o taxista não estava com o dispositivo recolhido e esperava passageiros em local destinado a veículos particulares na categoria Rotativo.  A BHtrans, que é o órgão que regula o serviço público de transporte por táxi no município de Belo Horizonte, por concessão, também é responsável pela demarcação dos locais onde eles podem fazer pontos.

Foto: José Aparecido Ribeiro – Vagas do faixa azul sendo ocupadas por táxi

O espaço para estacionamento Rotativo cobrado pela prefeitura através de aplicativos divide igualitariamente vagas públicas em quatro ruas no entorno do Shopping Diamond, com os taxistas ocupando duas delas, a Av. Olegário Maciel e a Rua Bernardo Guimarães, cada uma com ¾ do quarteirão. Mesmo assim o número de vagas não parece ser suficiente para que motoristas de táxi respeitem o restante das vagas destinadas a veículos particulares. Eles se acham os donos do pedaço e fazem o que querem.

O Flagrante mostra que não era por falta de vagas destinadas aos táxi que o profissional desrespeitava a lei, mas por mau comportamento e a certeza da impunidade.  O táxi, como mostra a foto, esperava passageiros em local destinado ao Rotativo, quando deveria estar no local destinado a embarque. Por 30 minutos parei em fila dupla e propositadamente, com o alerta ligado, esperai o taxista retirar seu veículo do Rotativo. Mas ele fingiu não ver e permaneceu ocupando a vaga que tem outro fim.

Foto: José Aparecido Ribeiro – Táxi parado em vaga de faixa azul sem necessidade e em serviço

A ausência de fiscalização por parte da BHTrans e da Policia Militar deixa os profissionais da praça, ainda que sejam as exceções e não a regra, com a sensação da impunidade. A prática é comum em vários locais da cidade onde a oferta de vagas para o Rotativo já são escassas. Fora de serviço, os taxistas devem retirar do teto o sinalizador e se sujeitarem as regras impostas aos veículos particulares pagando pelo tempo de uso.

Reações agressivas são comuns quando veículos particulares ocupam vaga de táxi

O contrário costuma não ser recebido com a mesma paciência. A presença de veículos de passeio nas vagas de taxi acaba normalmente em conflitos e BO, ainda que o ato ocorra por desatenção de quem comete a infração. Não é por acaso que o táxi convencional perde espaço para os serviços de aplicativos, pois além de desrespeito ao código de trânsito e ao que manda a regulamentação da BHTrans, alguns profissionais da praça se acham donos das ruas e ainda costumam agir com agressividade.

José Aparecido Ribeiro é Jornalista em BH e escreve sobre assuntos urbanos, mobilidade e trânsito.

Contato: jaribeirobh@gmail.com – WhatsApp: 31-99953-7945

9 thoughts on “Flagrante de desrespeito recorrente em pontos de táxi da capital

  1. Pra fiscalizar esse tipo de comportamento de taxistas não existe agentes da BHTrans. Eles são folgados mesmo em sua maioria. O contrário, ou seja, se usarmos o espaço destinado a eles o bicho pega.

  2. Educação é o que mais falta em todo nosso país. Assim deveriam fazer todos que vissem coisas erradas acontecendo. Respeito é bom e todos merecem.
    Parabéns José Aparecido,!

  3. Você quer ver um taxista ficar bravo e com muita agressividade é só estacionar seu carro no ponto de taxi.
    Eles não aceitam mas eles não respeitam nada e ninguém, se vc atrasar no sinaleiro pra passar a marcha ficam cheio de nervosismo.
    Dois pesos e duas medidas, todos se transformam no trânsito.
    A BH trans deveria promover palestras para motoristas de Uber, taxi, ônibus e outros.
    A paciência já é um bom sinal do início da educação.

  4. Somente jornalistas serios e cidadaos ,podem contribuir com denuncias desta ordem.Por onde andam os orgaos fiscalizadores da prefeitura?

  5. Infelizmente vivemos em um pais onde a impunidade predomina em todos os setores talvez um dia quando os órgãos responsáveis e me refiro a todos respeitarem o direito de todos a coisa muda mas minhas esperanças são poucas. Abração Bjs

    1. Caro amigo, este fato e sinal de a população começa a ser
      influenciada pelos exemplos que recebem de nossos dirigentes, ou seja: governadores, senadores deputados e até ministros de estâncias superiores ou seja STF.

  6. Congratulações, Comandante! A cada publicação, uma aulinha de Cidadania! A Educação de um povo depende muito da insistência do anúncio de modelos exemplares e da denúncia corretiva, educadora e fraterna de gente do próprio povo.

  7. Coragem e determinação. Parabéns José Aparecido, a sua voz aparece como poucas a serviço da cidadania e dos direitos individuais. Estou contigo! ????

    1. Esses somos nós, seres nos achando humanos!
      Quando nossos chamados direitos sao ultrapassados agredidos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.