Imprensa tenta desqualificar manifestações contra lockdown em frente a prefeitura de BH. Protestos continuam amanhã às 10h

Foto: José Aparecido Ribeiro

Parte da imprensa belo-horizontina tenta desqualificar as manifestações que ocorreram na manhã desta segunda-feira (11) na porta da prefeitura de Belo Horizonte. Repórteres que cobriram a manifestação chamaram o evento de “aglomeração em protesto” e usaram fotos que não foram tiradas na mesma data, fazendo parecer esvaziada a manifestação que teve a participação de cinco mil manifestantes.

Outro site de rádio conhecida da capital informou que a manifestação abrangeu duas categorias, quando na verdade pelo menos 20 representantes de diversos segmentos fizeram uso da palavra. Na matéria o repórter informa que apenas uma das pistas da Av. Afonso Pena fora interditada, quando na verdade as duas pistas tiveram o trânsito interrompido desde as 10h30.

Outra rádio que “só toca notícias” se quer incluiu no seu site oficial noticias sobre a manifestação. Ao contrário, estampa propaganda falando dos feitos do prefeito com a seguinte frase: “O segundo mandato do prefeito Alexandre Kalil terá 12 metas de investimentos em obras na capital mineira”. Propaganda no lugar de notícias verdadeiras.

Cheguei às 10h35 na manifestação e registrei a saída de repórteres de uma das rádios citadas e de emissora do mesmo grupo de comunicação. Usando carro e microfones disfarçados, emissora e a rádio que pertencem ao maior conglomerado de comunicação do país, basearam-se em 15 minutos de cobertura de uma manifestação para informar seus telespectadores e ouvintes do que estava acontecendo. Na matéria veiculada só a prefeitura fala.

Informaram também, a exemplo de outras rádios que a manifestação representava duas categorias, bares e academias, desconsiderando dezenas de outras que usaram o carro de som para protestar. Na matéria a emissora e a rádio deram a palavra apenas a prefeitura de Belo Horizonte, fazendo uma autêntica assessoria de imprensa. Nenhum manifestante ou representante de entidades presentes na manifestação foi ouvido. Jornalismo sem contraditório é ativismo político ou no linguajar da classe, feito em troca de JABÁ.

Protestos continuam amanha no mesmo local e prometem o dobro de participantes

Os protestos continuam amanha terça-feira (12) no mesmo horário, começando às 10h e em seguida os manifestantes seguem em passeata até a porta do prédio onde mora o prefeito Alexandre Kalil, na Rua Curitiba, próximo a Praça Marília de Dirceu no bairro de Lourdes. A reivindicação é única, o direito de trabalhar.

Para isso é necessário que os 170 leitos destinados ao tratamento da Covid-19 que foram retirados do sistema público de saúde, sejam reintegrados, fazendo a taxa de ocupação cair de 80 para 50% na capital, acabando com a justificativa que sustenta o ato do prefeito.

Ou seja, caso os leitos destinados a pacientes do Covid-19 não tivessem sido fechados, o prefeito não teria argumentos para decretar o fechamento da cidade. Participaram do ato na manha desta segunda-feira (11) mais de 20 entidades do comércio e dos serviços, incluindo comerciantes, comerciários, garçons, faxineiras, profissionais liberais, donos de hotéis e lojistas de vários seguimentos .

Estima-se que compareceram à manifestação, entre 10h e 12h30, cerca de cinco mil pessoas, informações da Cel-PM reformada, ex-comandante do Policiamento da Capital – CPC, uma das líderes do protesto, Cláudia Romualdo. Ela que pediu um minuto de silencio em homenagem ao Jornalista Stanley Gusman da TV Alterosa, morto de embolia pulmonar na tarde deste domingo (10).

José Aparecido Ribeiro – Jornalista

Contato: jaribeirobh@gmail.com – WhtasApp 31-99953-7945 – www.zeaparecido.com.br

  • *Ajude a manter esse blog doando qualquer quantia ou sendo um patrocinador, é fácil e barato!

10 thoughts on “Imprensa tenta desqualificar manifestações contra lockdown em frente a prefeitura de BH. Protestos continuam amanhã às 10h

  1. ESTÁ MAIS QUE NA HORA DE HAVER EXEMPLARES PUNIÇÕES A JORNALISTAS E SEUS RESPECTIVOS VEICULOS DE COMUNICAÇÃO,RESPONSAVEL PELA DESINFORMAÇÃO.
    A ÉTICA TEM QUE PREVALECER.

  2. A imprensa, mais uma vez, deixa o povo nas mãos, e isso não é privilégio de BH. Até parece que estão imbuídos em ver a sua cidade, onde vivem e ganham seus salários, ir por água a baixo.
    Uma pena! Mas tenho certeza que o povo não desistirá. Já sentiu na pele as perdas e ganhos desse lockdown desmedido, e vai lutar pelo que acredita.

  3. Está mídia asquerosa que leva à desinformação, deveria ser julgada e condenada pelo mal que fazem à população. É nojento ver emissoras de rádios e tvs mostrarem e entrevistarem só quem está afiado ao mesmo perfil ideológico deles. Nunca existe um debate com opiniões diferentes. Para as pessoas de pouco acesso financeiro, que são instruídas por estes tipos de comunicação, se tornam presas fáceis e massa de manobra para reelegeram um perturbado mental. Já que gostam tanto da ciência deveriam provar a ciência que utilizam para fechar comércio e diminuir número de coletivos.’

  4. Tem que fazer rebelião mesmo com esse prefeito de nada só quer aparecer para de reeleição para governador nas próximas dições ,ele é uma besta porque acabou com Belo Horizonte

  5. Esse vírus veio para punir quem não deve.
    Agora vai morrer quem é viciado em cigarros, bebidas e drogas, juntamente com pessoas com diversas comorbidades e em especial pessoas com Aids.
    Era novo ou nova e não tinha nada e morreu o vírus levou, será?
    Será que nem mesmo a pessoa sabia que tinha Aids, essa doença pega pessoa com baixa resistência.
    Pode parar o mundo inteiro que vai morrer sim.
    Não buscaram a Deus ficaram com piadas no carnaval agora aguenta.
    Ninguém é contra lgbt cada um faz suas escolhas mas aguenta agora.
    Como diz a bíblia tudo posso mas nem tudo me convém.

    1. O problema real é a má fé! A incompetência é questionável visto que nunca tivemos um quadro assim na história de BH. O problema é má fé mesmo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.