Mesmo com crise após demissão de Maurício do Volei, Minas Tênis Clube recebe prêmio por excelência

Oscar clubístico é do Minas Tênis Clube apesar da crise institucional após demissão de Maurício do Volei

Foto: Montagem FENASCLUBES

Fenasclube é a entidade que representa os Clubes Esportivos Sociais de prática desportiva formal e não-formal em todo o Brasil. A Associação é responsável pela promoção anual da “Semana Nacional dos Clubes”, do Seminário de Formação Esportiva, além do Congresso Brasileiro de Clubes.

Ela busca, por meio de fóruns, cursos, palestras técnicas e motivacionais, feiras, exposições, concursos e outras formas de difusão de conhecimento voltadas para a capacitação de gestores, a excelência e o bom desempenho dos seus associados.

Premiação

O “Clube Esportivo” 2020/21 do Prêmio FENACLUBES, “O Oscar do segmento clubístico” foi para o Minas Tênis Clube de Belo Horizonte. A vitória não foi por acaso, pois apesar da crise, o Clube é destaque no planejamento e nas boas práticas administrativas, alcançando visibilidade e excelência que lhe renderam reconhecimento dos seus pares em nível nacional.

A infraestrutura do Minas é uma das melhores do país, e sua equipe de gestores virou referências em formação de atletas renomados em nível internacional. Do seu elenco, 12  destaques participaram dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, além de três técnicos. A equipe que representou o Minas e o Brasil foi medalhista de bronze na natação masculina e ganhou duas pratas no vôlei feminino.

Recentemente o clube recebeu da FENACLUBES além de reconhecimento, vários troféus durante a 1ª Semana Nacional dos Clubes. O Minas foi representado pelo presidente, Ricardo Vieira Santiago, e pelo vice-presidente Carlos Henrique Martins Teixeira. Carlos já esteve no meu programa #Conexão BH no Canal Noticioso, atualmente suspenso por falta de patrocinadores.

Embora abalados pelos últimos acontecimentos envolvendo a saída do atleta Maurício de Souza, a diretoria do Minas tenta passar uma borracha em cima do episódio que mexeu com os brios dos associados. A estratégia é transferir para os patrocinadores, Fiat e Gerdau, a responsabilidade pelo estrago causado com a demissão do atleta.

Demissão de Maurício do Volei

Foto: Internet

No episódio ficou clara a necessidade de bons administradores de crise, e, sobretudo compromisso com os princípios que norteiam a instituição, mais do que caprichos de patrocinadores circunstanciais adeptos do politicamente correto, alguns inclusive compromissados com ideologias esquerdistas simpáticas à libertinagem.

Maurício foi demitido por emitir opinião a respeito de comportamento que é contrário ao que o clube mais presa, a família. Lacrado ao dizer em sua rede social que não concordava com imagem forçada de personagem (filho do Superman) beijando outro homem, foi defenestrado, teve seu contrato rompido por exigência da Fiat e da Gerdau, abrindo crise sem precedentes na história do quase centenário Minas Tênis Clube. A maioria dos associados não aprovaram a saída do atleta, sobretudo em virtude da motivação.

José Aparecido Ribeiro é jornalista

www.zeaparecido.clm.br  WhatsApp 31-99953-7945 – jaribeirobh@gmail.com

Colabore com a manutenção deste Blog, doando ou anunciando!

6 thoughts on “Mesmo com crise após demissão de Maurício do Volei, Minas Tênis Clube recebe prêmio por excelência

  1. A Gerdau junto com a Fiat exigiu do Minas a demissão do Maurício.

    Desde então ambas as empresas estão banidas do meu círculo.

    Não compro carros e outros produtos da Fiat e, como engenheiro, não específico mais aço e outros produtos da Gerdau.

    Empresas cuja gerência tem tal tipo atitude não são confiáveis e, tampouco, seus produtos. Se a preocupação com perda de lucro gera tais atitudes, que atitudes pode se esperar em suas linhas de produção. A qualidade do produto fica comprometida!

    Também não participo de nada que tenha relação com tais empresas, mesmo no campo cultural !

  2. O Minas Tenis Clube com seus mais ou pouco menos 60 mil sócios é uma enorme empresa e com muito recurso econômico. Então gerir a empresa que tem abundância de caixa facilitou para chegar nesta premiação. Mas vejo um movimento dos sócios que discordam de muitas atitudes que os gestores subliminarmente estão tomando.

  3. Não sou de Minas, mas admiro essa terra. Estou com os sócios que se indignaram com a demissão de um dos seus melhores jogadores: Maurício de Souza. Ele se posicionou em defesa da família. Sem dúvida o Sr Gladstone Amorim está com a razão: Esse prêmio deveria ser para o Maurício que teve a coragem de emitir sua opinião em defesa da família.

    1. Pelo amor de Deus, o atleta ser demitido por expor sua opinião foi demais!!! Cadê que o Douglas Souza foi demitido,por também expressar sua opinião. Sou de Recife, mas é admirável o cuidado que o Minas Tênis Clube tenta passar ter com atletas proficionais e principalmente com os da base… Mas acho que erraram feio no caso Maurício Souza. Amo o Minas!!!! Mesmo morando em outro Estado!!!

  4. O Brasil tá cheio de gozações, o caso Maurício é de um absurdo gigante.
    O que é Super homem entende se ser macho de verdade, aí me apresentam um gay beijando outro super debochado.
    Para enrolação dão prêmio ao clube.
    Hoje quem erra é premiado, me desculpem a franqueza isso me parece coisa arranjada.
    Negrão de Lima revirou no túmulo.
    Não que o Clube deixa de merecer, mas premia lo agora é deboche sim.
    81 mil associados indignados, esse prêmio não apaga o papelão da Gerdau e Fiat.
    Minha opinião, meu prêmio vai para o Maurício.

    1. Excelente análise do Sr.Gladstone, sem meias palavras, foi direto aos fatos. Faço das suas as minhas palavras. O Minas estou feio ao ceder as pressões de patrocinadores. Aposto que deve ser um petista de carteirinha ocupando cargo importante nestas empresas. Tirei os carros da Fiat da minha lista de preferências depois deste episódio lamentável. Há a Gerdau não sou usuária dos seus produtos, e se fosse, seria também boicotada.
      Ana Paula Soto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.