Mobilidade não existe na agenda do Prefeito e tem gente mudando de BH por isso

 Edgard Daniel Utsch, Administrador de Empresa, cidadão atuante e conhecedor dos problemas da cidade enviou mensagem para o blog dizendo que está cansado de esperar por atitudes dos nossos governantes em relação ao tema infraestrutura e mobilidade.

Ele literalmente está desistindo de viver em BH, assim como dezenas de outros leitores que se manifestaram no ultimo post  (Trânsito em BH, ninguém aguenta mais tanta mediocridade na sua gestão).

A cidade parou novamente na véspera do último feriado dia 14/11. O fenômeno tem nome na linguagem dos especialistas em I-MOBILIDADE URBANA: Deadlock-traficc, e é cada vez mais comum, sem que ninguém se manifeste oficialmente. Não agenda do prefeito mobilidade urbana é assunto que não existe. 

Na integra, POR Edgar Daniel Utsch

“Eu estou concluindo meu processo de mudança, saindo de BH. E eu já declarei aqui, que considero Belo Horizonte um autêntico inferno. Nasci aqui e me entristeço ao ver a cidade onde tinha prazer em crescer, andar, estudar, passear, trabalhar, viver, se perder, em todos os sentidos. Uma verdadeira lástima.

Mas ainda sim vou opinar. A questão da carência da infraestrutura de Belo Horizonte é fato notório, e indolente. É engraçado, a capital mineira tem idade de pouco mais de 120 anos e problemas de uma cidade de 2000 anos…3000? Problemas que passam pela política, mas também passam pela cultura, pelos costumes, as tradições, rotinas…(muita gente se dizendo especialista e prestando um desserviço para a cidade, a turma do deixa disso)

É percebível quando uma administração está agarrada em uma ideologia cujo principal objetivo é controlar a vida das pessoas. É isso que a Prefeitura faz. Ela quer direcionar o indivíduo para o que ela (administração atual) acha ser melhor para ele mesmo. Parece que Santo Agostinho e o instituto do livre arbítrio passaram longe do conhecimento dessa Prefeitura. (curioso é que se dizem democratas, mas na prática não ouvem e nem respeitam ninguém, vale a opinião deles, que na maioria das vezes é equivocada)

O que ela faz para o trânsito e mobilidade? Quer direcionar o indivíduo para usar um sistema de transporte coletivo incompleto, desintegrado, caro, sujo. Quer direcionar o cidadão para o uso de bicicletas, sem ao menos realizar a infraestrutura necessária e dinâmica para convencer o cidadão a usar realmente a bicicleta.
Quer direcionar o cidadão forçando-o a deixar o seu automóvel em casa com aquela velha desculpa de poluição, modernidade e o mimimi ambiental, causando artifícios burros, Zona 30, Mobicentro e por aí vai.

O Detran-MG publicou no último dia 12, um estudo estatístico onde verifica-se que, se Belo Horizonte  mantiver, nos próximos três anos, o ritmo médio de crescimento da frota de veículos registrado desde 2015, a capital deverá ter mais veículos do que pessoas em 2022. A cidade tem, hoje, uma frota de 2.199.069 veículos, o que representa expansão de 7,7% em relação aos pouco mais de 2 milhões contabilizados em 2018. Temos uma população aproximada atual de 2.512.070 habitantes, e conforme o próprio Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), deverá alcançar o número de 2.560.611 moradores em 3 anos.

O volume de veículos em Belo Horizonte cresceu 1 milhão em 10 anos, passando de 1,2 milhão em 2009 para quase 2,2 milhões neste ano, um aumento de 80%. Segundo dados do Mapa de Motorização Individual 2019, do Observatório das Metrópoles, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Região Metropolitana de BH teve o maior aumento da frota de veículos entre as metrópoles do país. A região teve um aumento de 7,3% de 2017 para 2018, enquanto a média nacional foi de 3,7%, quase metade do índice da Grande BH. Mas a prefeitura segue fazendo vista grossa para o fato e agindo como se carros não existissem ou fossem conduzidos por Et,s como salienta o autor do texto.

Conforme orientação do Coordenador Geral de Graduação e Coordenador do curso de Ciências Econômicas do Ibmec-MG, Márcio Salvato, em estudo feito para o Jornal Hoje em Dia, se o ritmo de crescimento vertiginoso de frota for mantido, a cidade terá, em 2022, aproximadamente 2.669.105 veículos. Ou seja, em três anos, BH poderá ter cerca de 100 mil carros a mais do que moradores, algo em torno de 1,04 carro por morador. Sinal claro de que a política de transporte público está equivocada e no caminho oposto ao desejo da população.

E daí? Daí que se tenha, pelo menos, no que diz a essência da Constituição Federal de 1988, somos livres, temos o direito de ir e vir, sem restrições. Cada um no seu automóvel, e mais e mais automóveis. Já! E mais CNH! No dia em que fui aprovado no exame de direção, eram mais de 600 candidatos. 639 exames de direção, para ser mais exato! Só em um local, Alípio de Melo. Imaginem nas outras áreas de exame: Pampulha, Barreiro e Gameleira… Nem todo mundo é aprovado, é o fato, porém a procura é muito grande. E mesmo assim, provavelmente aquele que não foi será em uma outra oportunidade. O que eu quero dizer? Tem que ter habilitação mesmo, e tem que ter carro mesmo! Muito carro nas ruas, afinal vivemos em uma democracia!

Ninguém é obrigado a pagar R$ 4,50 por uma tortura, pelo sofrimento, um transporte como já disse aqui, coletivo incompleto, desintegrado, caro, sujo, e inseguro. Quem está sendo queimado politicamente por isso, pela inércia administrativa e muitas outras coisas, trabalha na Afonso Pena, 1212, e nem precisamos dizer o nome.”

jaribeirobh@gmail.com – WhatsApp: 31-99953-7945

12 thoughts on “Mobilidade não existe na agenda do Prefeito e tem gente mudando de BH por isso

  1. BH há uns 15 anos atrás mais ou menos esboçou uma melhora no transporte coletivo não porque os empresários se dispuseram a fazê-lo mas sim por imposição do então prefeito à época com ônibus maiores e em chassis feito pra eles e não para caminhões como os atuais.O que seria melhor metro ou bondes modernos a prefeitura não tem como oferecer pra cidade então fica nas mãos dos empresários que não se dispõe a investir em melhoras no setor apoiados às vezes por prefeitos e vereadores que são financiados por eles.Resumindo,não teremos melhorias tão cedo em termos de transporte público.Agora isso está sendo um verdadeiro tiro no pé dos próprios empresários que veem a cada dia seus lucros diminuírem com um maior número de carros nas ruas sejam eles particulares ou de aplicativos e de eventual perda de passageiros.

  2. BH terra de ninguém. Veja o que a BHTRANS fez com o Santa Inês, conseguiu bagunçar o trânsito de um bairro tranquilo. A cidade deve ter o maior índice de invasões do país. O bem público é tratado com descaso. A Via 710, obra da Copa de 2014, não é terminada nunca, estão aguardando a chegada da eleição. BH consegue ter todos os problemas de uma cidade pequena e de uma grande, sem ter a tranquilidade de um município menor ou oferecer as oportunidades de uma metrópole. Realmente, falar em reeleição desse incompetente é piada de mau gosto!

  3. Belo Horizonte está abandonada pelo poder público municipal!!!! Nossa câmara dos vereadores é pequena, corrupta e não pensa no futuro da cidade, ali o que se vê são indivíduos querendo enriquecer.
    A cidade vive uma degradação insana, mendigos e pedintes por todos os lados, favelas crescendo em barrancos e debaixo de viadutos – Como exemplo cito a área do Padre Eustáquio e Gameleira, onde há cavalos passando na via expressa, entulho jogado pelas ruas, FERRO velho utilizando espaço público e cheio de objetos de metais roubados de áreas públicas e ninguém faz nada!!!!
    Nossa lei de utilização de solo é arcaica, punitiva e pouco ajuda no desenvolvimento da cidade.
    No quesito mobilidade, não sei se perceberam, mas os PERUEIROS voltaram a todo vapor com seus carros mau conservados, desobedecendo as leis de trânsito e pondo me risco passageiros e outros carros.
    A cidade tem em seu comando dos “the four hundred” de Belo Horizonte, grupo de poderosos que querem a cidade do jeito que está, pequena, feia, suja e com desigualdade cada vez maior.

  4. Não há solução fácil, sob o ponto de vista de engenharia, para esse problema. Devemos ter bom senso e informações concretas sobre o crescimento da frota, haja vista BH ser sede de 3 das maiores locadoras do país e todos os carros serem emplacados aqui. O que estou querendo dizer é que não há, em hipótese nenhuma, chances de existirem mais carros do que moradores em Belo Horizonte. Fora isso, precisamos de um metrô subterrâneo para uma metrópole com 5 milhões de pessoas. A PBH tem dinheiro para isso? Não. Então não há mágica…ou o cidadão deixa o carro em casa, pega uma carona, usa um app de mobilidade ou vai passar raiva no trânsito, na Nossa Senhora do Carmo, na Cristiano Machado, na Antônio Carlos, etc.

  5. Reconheço que a prefeitura pegou uma cidade com acumulo de obras a serem feitas. Kalil declarou que não faria obras. Então a população não pode reclamar. O problema é que ele não falou que ia manter o mesmo staff na BHTrans. Esse pessoal que administra a empresa de trânsito é acomodado. Eles correm de trabalho como o diabo corre da cruz. Neste sentido, os recursos que a prefeitura tem não estão sendo bem administrados.
    Estou pensando também em me mudar de BH por isso.

  6. Quando preciso ir a Confins pela Av. Cristiano Machado e passo pelo bairro União, Waldomiro Lobo, e em frente ao shopping Estação a unica certeza que tenho é que o prefeito de BH não conhece a cidade que ele governa. É impossível que um politico responsável passe por ali e não consiga enxergar que é preciso fazer obras nestes pontos. Não vejo a prefeitura fazer obras. Será que eles acham que carros serão arrebatados?

  7. Lí o post que deu origem a essa carta do leitor e realmente as coisas estão piorando em BH. Essa BHTrans só sabe fechar quarteirão. Eles não conseguem fazer nada que preste no transito. Alguem viu a propaganda oficial? É patetico fazer propaganda para mostrar que a Guarda Municipal está nos onibus e que a prefeitura está asfaltando 200 km. Isso é rotina, não motivo de propaganda. O que mostra que essa administração vai entrar para a história como a que não conseguiu fazer nada para BH. Esse prefeito é um aloprado desorientado, inseguro e bobo.

  8. Tento mas não consigo compreender que estorinha é essa contada pela cidade que diz que esse prefeito é bem avaliado e que poderia até ser reeleito. Me apontem uma única obra que ele tenha feito. Basta apenas uma. A cidade está o caos, nunca esteve tão suja, mal cuidada e feia. Se isso é razão para ser bem avaliado, eu devo estar ficando maluco ou velho.

  9. Não se preocupe com o mandatário do nº 1212 da Av. Afonso Pena. Nem ele nem nenhum outro se preocupou com isso. O que fez alguma coisa nesse sentido tampouco foi com o objetivo de melhorar a cidade por ela mesma, mas para agradar a FIFA por ocasião da Copa do Mundo de 2014. O resultado conhecemos: vários viadutos inúteis e um que caiu matando, salvo engano, duas pessoas. Antes dele, um governador tucano, ave de rapina, construiu sua sede no bairro Serra Verde e “melhorou” o caminho entre sua residência na zona Sul de BH, seu trabalho na zona Norte e sua casa de veraneio no Rio, da qual partia de Confins. Não satisfeito com o resultado, decidiu que o melhor era mesmo trabalhar de helicóptero. E só!
    A patuléia, assim como os pobres de Justo Veríssimo, que se danem!

  10. Infelizmente, o que vemos em Belo Horizonte são as Artes e Oficios de um Prefeito populista,chegado em uma desorganização urbana patrocinando uma empresa de trânsito pública, cuja única atividade parece se resumir em pintar faixas no chão,colocar placas de sinalização proibindo tudo o que for possível,colocar placas de contra-mão em todas as ruas que enxergar pela frente,radares de todos os tipos,tamanhos e cores,sempre arrumando mais um cantinho para instala-los,passando por aqueles que multam veículos acima de 30 KM/h,aqueles que garantem o luxo desses coletivos,que a população detesta,de terem seus espaços de reis para trafegarem sem serem incomodados pela massa de trabalhadores que,por falta de alternativas decentes de transporte público que atendam suas necessidades, e se utilizam de seus veículos para ganharem a vida e sustentarem suas famílias,ou, simplesmente como lazer, porque afinal ninguém é de ferro.E o pior, sempre que questionados, seus agentes (do prefeito),tem uma desculpa técnica aparentemente perfeita para nos enganar, bobos que somos, e as aceitamos mansamente, como se esse fosse mesmo nosso destino e nada mais nos resta a fazer.Mas como dizia Guimarães Rosa, seria bom que alguém avisasse esse camarada,ora prefeito,que velhacaria,quando é demais, vira bicho e come o dono.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.