Overdose marxista: a universidade brasileira forma militantes de esquerda e analfabetos funcionais

POR: Luiz Andrada – luizandradabh@gmail.com – é leitor do Blog

O juízo não se aplica, obviamente, à inteireza dos cursos universitários brasileiros. O inferno marxista não é tão evidente nas engenharias, agronomia, informática, turismo. O pior cenário se encontra na área de de humanas e suas irmãs: Filosofia, psicologia, letras, história, geografia, jornalismo, pedagogia, direito, antropologia, sociologia, teologia, artes, entre outras. Essas áreas rastejam numa decadência ideológica de esquerda que se prolonga por décadas, sem que se vislumbre qualquer possibilidade de desinfecção dessa moléstia.

A esquerda brasileira, essa que saqueou e obstruiu o desenvolvimento do Brasil por anos, nasceu e mamou nas tetas tóxicas da universidade. E prossegue sendo assim. O Partido dos Trabalhadores (PT), para citar um caso apenas, nada mais é do que o feto maldito parido entre padres e religiosos da teologia da libertação (da igreja católica), sindicalistas e acadêmicos marxistas. Em todos os partidos políticos de esquerda do Brasil encontramos líderes e militantes que vieram do universo acadêmico, e desses tais a maior parte é oriunda dos cursos elencados acima.

Essa instituição que, em tese, se dedica à construção do conhecimento, mas na prática se empenha mesmo em sessões de lavagem cerebral cotidiana para a formação de militantes fanáticos de esquerda, está amargando a sua própria ruína em um fenômeno vasto e sem retorno: as toxinas do seu veneno marxista estão lhe infligindo uma espécie de imenso auto castigo, por todo o país, através do qual se percebe o franco desaparecimento de muitos desses cursos. Todos sabem que esses cursos produzem apenas uma multidão de profissionais desempregados e aflitos, cuja imensa maioria nunca trabalhou ou sequer trabalhará nas suas áreas de formação, e acabam virando ativista em partidos e sindicatos.

Proposta para desintoxicação da educação brasileira

Proponho a criação da Antimarx, a Associação Brasileira de Acadêmicos Prejudicados pela Ditadura Marxista nas Instituições de Ensino Superior. Um grupo como esse, bem fundamentado no plano jurídico, incluindo aí o Código de Defesa do Consumidor, bem fundamentado para orientar os acadêmicos na apresentação de provas e de evidências pode, sim, transformar-se num meio para exigir melhores disciplinas, melhores professores e para esfregar na cara imunda do marxismo docente que já estamos no século XXI, e a universidade brasileira necessita urgentemente ser modificada, se não quiser transformar-se em uma múmia comunista.

O espaço acadêmico tornou-se território para a disseminação de todas as ideologias histéricas próprias da esquerda. Abortistas, feministas radicais, gayzistas, progressistas, de modo que há cursos como, por exemplo, o de psicologia, que se tornaram novelas homossexuais que duram quatro anos. Não há outro assunto, outro tema, outro interesse, apenas histeria LGBT. Uma amiga, ex-aluna de psicologia, testemunhou e me confidenciou que são comuns orgias homossexuais entre alunos e professores dos cursos de psicologia. A decadência domina junto com as drogas e a libertinagem.

A ideologia de gênero nasce no universo acadêmico, e se espalha pelas escolas de todo o Brasil. Especialmente os pedagogos e os psicólogos estão se empenhando por doutrinar os alunos em direção ao homossexualismo. Esse processo é irreversível, infelizmente. Não espanta que muitas famílias estejam retirando seus filhos das escolas, e adotando o homeschooling. Nada contra os homossexuais, os bi e nem contra os heteros. Tudo contra a imposição de suas preferências em um país livre como se fossem o caminho da redenção.

A universidade brasileira tem o mérito de ser a formadora de uma multidão de profissionais incompetentes na escrita, na interpretação. Bacharel, licenciado, tecnólogo, especialista, mestre, doutor, pós-doutor, enfim, em meio a todos esses níveis de formação encontramos pessoas que demonstram falhas grotescas no domínio do vernáculo. Algo espantoso. Eu o digo com a experiência de quem atuou como revisor de texto por anos, pois testemunhei o nível dramático de escrita dos egressos do ensino superior brasileiro. Certamente, a culpa não recai apenas sobre a universidade, haja vista que o analfabetismo funcional no Brasil é fruto de um processo de decadência em todas as etapas do ensino.

Essa incompetência linguística é mérito do marxismo acadêmico que amaldiçoa a gramática, condenando-a como um instrumento de poder, opressor, elitista. Antes se dizia que a gramática ensina, mas hoje a gramática oprime. Se uma pessoa passa anos ruminando esse tipo de conceito é evidente que, para ela, escrever mal é um mérito, e escrever bem é um crime.

Nota: este artigo é uma versão reduzida do texto original, disponível no blog:

https://andradaluiz.blogspot.com/2020/10/overdose-marquissista-universidade.html

Contato: jaribeirobh@gmail.com – WhatsApp: 31-99953-7945

15 thoughts on “Overdose marxista: a universidade brasileira forma militantes de esquerda e analfabetos funcionais

  1. Todos os prefeitos de todas as cidades deste Brasil tem responsabilidade direta sobre a Educação, ele deve cobrar sua secretaria, e fiscalizar, acompanhar suas diretorias, seus professores e alunos. Se o prefeito de uma cidade é rigoroso com seu trabalho tudo vai ser dentro das normas e com bom senso, é matemático, portanto novas oportunidades estão aí.

  2. Universidade pública brasileira = uma múmia comunista. Adorei a exata definição. Dá náuseas e vergonha só de pensar.

  3. Por falar em escrever mal, deveria ser criada uma lei que vise salvar a língua portuguesa escrita e falada. Todos os meios de comunicação, TV, Imprensa, revistas, etc, deveriam ser enquadrados. Escrevem: (Agente tá querendo) ao invés de Nós estamos querendo. Ninguém sabe mais conjugar os verbos nem tampouco
    os pronomes. Hoje, principalmente as
    agências de publicidade, ocupadas pelos
    acadêmicos citados no texto Overdose
    Marxista, por não terem estudado o Português, são os principais autores das aberrações da língua escrita e falada. Cada vez mais triste.

  4. O maior propagador do ideário da esquerda são os “revoltados” de direita, que insistem em mencionar o putrefato tema e seus imundos seguidores! Em insensata ação divulgam e trazem à baila a podridão da tese comunista, permitindo que imbecis insepulcros ganhem notoriedade. Infelizmente ou desgraçadamente a solução em colocá-los na clandestinidade, como tentado no século passado, não surtiu efeito. Então, parece que algo mais operacional, mais eficiente precisa ser feito! Infelizmente!

    1. Infelizmente a cúpula de praticamente todas universidades públicas está na mão da turma da esquerda. Torço pra que mudanças sejam feitas, pois a faculdade que um dia frequentei não reconheço mais. Torço tb pra que seja ampliado a rede de ensino militar. Que não percamos a esperança e façamos valer nosso voto já na próxima eleição.

      1. Antes que as escolas militares sejam corrompidas também. O próprio sistema das forças armadas já foi mudado, e infelizmente está caminhando para o mesmo destino das faculdades.

    1. Para se ter uma ideia basta observar o que muitos jornalistas escrevem. Todos eles não conhecem nada de concordância.

  5. É infelizmente temos que assistir essa porcaria toda, teoria que nasceu em Medellín depois do Vaticano 2, com apoio de Leonardo Boff, Frei Beto, Helder Câmara que foi Bispo no Rio de Janeiro e depois Arcebispo Recife-Olinda.
    Depois com o apoio do comunismo e marxicismo e PT, etc…
    O resto da história tá aí pra todos verem.
    Mas a juventude não se revoltou porque as portas estavam abertas pra todo tipo de promiscuidade e orgia.
    E com isso foram acelerando abortos, trocas e quadrilhas como PCC dentro das universidades.
    Aí daquele que levantar bandeira diferente.
    Agora tem que começar tudo de novo, aulas de educação cívica, cantar o hino Nacional e demais cuidados com conteúdos de aulas.
    E fé em Deus

  6. Excelente texto. Se o autor escrevesse hoje, certamente diria sobre o 11 de novembro 2020, quando o STF estará votando sobre o ensino da ideologia de gênero na Educação, e que o Papa e alguns pastores estão querendo atualizar a Bíblia, que para estes,claro, não é mais a palavra de Deus e talvez até citasse Romanos 12.1-2 onde o apóstolo Paulo “roga” aos irmãos (incluindo todos nós) que não devemos tomar a forma do mundo, mas renovar a nossa mente, para experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.
    Na realidade o que falta no mundo é Deus, mas estão tirando Deus do mundo.

  7. Parabéns ao autor. Descreve com muita lucidez a situação nas universidades federais e estaduais que são verdadeiras montadoras de lavagem cerebral e esquerdização de mentes fracas.
    Alguma ação tem que ser realizada para desmontar essa máquina antes que seja impossível.

    1. Parabenizo o autor do texto pelas verdades aqui inseridas no que se refere à formação de profissionais das diversas áreas do ensino superior, principalmente nas áreas de humanas. As ementas e metodologias implantadas são pílulas diárias que vão aos poucos plantando ideias engessadas e/ou ultrapassadas, ditadas muitas vezes como inovadoras, corroendo aos poucos o senso crítico e a individualidade do estudante, contribuindo muito pouco para sua evolução como ser social capaz de alterar a realidade já existente. É preciso foco em programas para gestar uma educação mais eficiente e sobretudo que leve a construção de uma sociedade mais consciente de si mesma.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.