Procuradora-geral do MPC-MG comanda projeto de estruturação de centros de inteligência dos MPCs estaduais

Um passo à frente dos criminosos, Ministério Público de Contas dos estados agem em parceria com a Escola Superior de Defesa para coibir crimes contra o Estado Brasileiro

Foto: ESD-BSB – Grupo que participou do Curso em Brasília na ESD

O Ministério Público de Contas brasileiro – MPCN, promoveu em Brasília, entre os dias 23 e 25 de novembro, com colaboração da Escola Superior de Defesa – ESD, curso de imersão para implantação do projeto nacional de estruturação de centros de inteligência em todos os Ministérios Públicos de Contas do Brasil. Foram 49 participantes entre procuradores-gerais e assessores dos Ministérios Públicos de Contas de 18 estados.

O objetivo é capacitar os MPCs dos estados para atuar de forma estratégica no combate a corrupção, às fraudes, a responsabilidade fiscal e a boa gestão dos recursos públicos, tudo isso em benefício da sociedade, combatendo a improbidade administrativa e protegendo a democracia dos que não respeitam a coisa pública e querem levar vantagens.

A responsável pela organização do projeto em todas as unidades dos MPCs é a Procuradora do Ministério Público de Contas de Minas Gerais, Elke Andrade Soares de Moura, que está no seu segundo mandato à frente do MPC-MG e que já presidiu o Conselho Nacional dos Procuradores Gerais de Contas – CNPGC, hoje coordenado pela Procuradora do MPC de Santa Catarina, Cibelly Farias.

Foto: ESD – Sala de aula na ESD

Dra. Elke foi a responsável pela articulação que permitiu a parceria com a Escola Superior de Defesa, em Brasília, cujo comando é de responsabilidade de um Almirante da Armada brasileira, Rohwer Santos. A ESP é referência na disseminação do conhecimento e possui expertise na área de inteligência e customização de cursos específicos de defesa dos interesses nacionais.

O curso foi um sucesso e nos mostrou desafios, mas também as possibilidades de fortalecimento institucional. Precisamos estar sempre um passo à frente para cumprirmos o nosso papel de guardiões da Constituição e dos interesses da sociedade no combate a corrupção e à má gestão dos recursos públicos”, relata a procuradora. Ela lembrou ainda que o projeto faz parte do Planejamento Estratégico do Ministério Público de Contas brasileiro: “Não é só do CNGC, mas de toda a carreira”, enfatiza.

Elke destaca que o trabalho de implantação da Inteligência de Controle nos MPCs nacionalmente é de grande repercussão futura no combate às más práticas administrativas. No Brasil os crimes contra a estrutura do Estado, tornaram-se endêmicos e devem ser combatidos com inteligência, de preferência evitando que eles aconteçam e que sejam severamente punidos quando ocorrerem.

Foto: Almirante Flávio Rocha e a Procuradora do MPC-MG Dra. Elke Andrade Soares de Moura

Encontro com o Secretário Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência

Dra Elke é de Belo Horizonte e membro atuante da Sociedade Amigos da Marinha – SOAMAR.  Ela aproveitou a estada na capital Federal para um encontro com o amigo, Almirante Flávio Rocha que é o Secretário Especial de Assuntos Estratégicos do Palácio do Planalto.

Rocha comandou o 1º Distrito Naval e foi na sua gestão que a Capitania Fluvial de Minas Gerais se concretizou na capital do estado que é a caixa d´gua do Brasil, onde Elke atua voluntariamente nas horas vagas em defesa das causas de interesse da Marinha do Brasil através SOAMAR, entidade comandada pelo Professor Paulo Roberto Cardoso.

José Aparecido Ribeiro é jornalista e membro da SOAMAR – BH

www.zeaparecido.com.br – WhatsApp: 31-99953-7945 – jaribeirobh@gmail.com

 

Colabore com a manutenção do Blog com anúncios ou doações!

4 thoughts on “Procuradora-geral do MPC-MG comanda projeto de estruturação de centros de inteligência dos MPCs estaduais

  1. Aí dra Elke parabéns pela atuação. E que o TC não fique só com politicagem e exerça com rigor sua função de fiscalizar contas, aplicar e rever leis que não funcionam.

  2. A Procuradora Elke é um exemplo de profissional e de pessoa. Muito merecido! Só elogios e desejo de sucesso sempre.

  3. Os governadores reuniram e inventaram a impunidade agora querem cercar, a tal audiência de custódia.
    Alegaram não terem recursos pra construção de novos presídios e funcionários, mas o custo desses bandidos soltos fica muito mais caro e doloroso pra sociedade.
    Os que cometem crimes seja qualquer um como de contas com a União são os mesmos de sempre.
    Já virou deboche, não ficam presos.
    Passou da hora dos governadores se reunirem de novo para mudarem as leis, caso contrário é nadar contra a correnteza.
    Quem dá o primeiro passo, sugiro o Zema.
    Pessoas de bem como Elke lutam sozinhas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.