Anel Rodoviário de BH, um caso de polícia, já que não existem políticos por aqui…

Manhã de segunda feira 30 de Abril de 2012 e o Anel Rodoviário de Belo Horizonte está o verdadeiro caos, tudo parado nos dois sentidos. Em qualquer outro lugar do mundo, os responsáveis por essa acinte estariam presos sem direito a fiança, incluindo governantes, ministros, deputados corruptos e ‘aspones’ indicados por partidos que são donos de Ministérios. Mas aqui, tudo segue como se nada estivesse acontecendo, numa demonstração inequívoca de que vivemos na mediocridade e estamos nos acostumando com ela. Planos de emergência não existem, administração do problema, muito menos. Não se vê atitudes pró ativas.

 

Obras que deveriam ficar prontas em alguns dias, arrastam-se por meses ou anos sem planejamento a deriva da própria sorte. Os japoneses nos dão exemplos de como fazer viadutos em 7 dias e nós gastamos 7 meses para tapar um buraco. Ninguém tem compromisso com o que é público, nossos políticos não se manifestam e quem precisa usar essa importante via que corta a cidade ao meio, encurtando caminho, segue sem ter para onde correr. Políticos aparecem por aqui para fazer promessas e em seguida desaparecem. Nossa memória é curta e está ocupada com o futebol, com o espetáculo midiático, com futilidades. Vivemos de aparências, sendo governados por homens comprometidos com os seus projetos pessoais, longe da realidade, encastelados.

 

O Ministério Público, que deveria fazer valer a Lei, possivelmente emendou o feriado e de plantão está para registrar roubos de galinha, não se manifesta sobre o que de fato tem importância, está perdido na frente do espelho, encantado com ‘Édipo’… A sensação de impotência toma conta de quem ainda consegue pensar nesse universo incompreensível. A única esperança é que a imprensa não desista e que mesmo de dentro das redações, os jornalistas que ainda tem coragem e não perderam a sensibilidade, gritem contra esse bando de incompetentes que tomaram de assalto o poder. As palavras já não valem mais para qualificar o disparate que virou o Anel Rodoviário da capital dos mineiros. Isso aqui me dá vergonha de ser Brasileiro, me faz sentir um cidadão inútil, menor e incompetente.

 

José Aparecido Ribeiro

Consultor em Assuntos Urbanos e Transito

ONG SOS Rodovias Federais

31-9953-7945

CRA MG 0094/94

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.