Ciclovias: Comentário oportuno do Colunista Mario Fontana – Jornal Estado de Minas de domingo

O Colunista Mario Fontana fez comentários pertinentes sobre as ciclovias de BH, chamando atenção para o fato de que o clima, a topografia e a cultura da cidade não contribui para o sucesso deste projeto. Só não vê quem não quer ou tenta imitar o modelo europeu ou mesmo colombiano, onde o clima e a topografia são completamente diferentes de BH. Sorte seria se fosse apenas esse erro o passível de correções quando o tema é a mobilidade. Mas infelizmente são vários e a empresa municipal de transito não acerta. Tudo que coloca as mãos, piora, ao invés de melhorar. Bate recordes de antipatia. Perde apenas para o DNIT em inoperância e impopularidade.

 

Para agravar, não dá o braço a torcer, parece dona da verdade, não volta atrás em suas decisões, permanece cometendo equívocos graves, sem que o Prefeito se dê conta de que é hora de mudanças radicais no seu comando. A empresa tem um acervo de informações importantíssimo, rico, mas é mal utilizado por pura teimosia ou vaidade. Há quem diga que pode ser até por birra, motivada pela perda do direito de multar. Um desejo inconsciente de ver o circo pegar fogo para ser chamada novamente como salvadora da pátria. Enquanto isso a cidade está caos, quando esse poderia ser mitigado com planos e atitudes. A soluções existem, são factíveis e salta aos olhos do cidadão comum que desloca pela cidade.

 

Sr Prefeito, acorda, antes que seja tarde.

 

José Aparecido Ribeiro

Consultor em Mobilidade

ONG SOS Mobilidade Urbana

CRA MG 0094 94

31 9953 7945

 

One thought on “Ciclovias: Comentário oportuno do Colunista Mario Fontana – Jornal Estado de Minas de domingo

  1. Caro José Aparecido,
    com toda humildade e respeito, indago:
    nunca consegui entender a pertinência destas colocações, "clima, a topografia e a cultura da cidade não contribui".
    Clima? Se se está com frio, coloque uma blusa, se for calor, uma camiseta e bermuda!
    Topografia? BH é tão acidentada que até os morros são irregulares! E isto, para o ciclismo, é uma ótima coisa, pois existem bordos que são menos íngremes que outros. Ou seja, sobe-se por um lado e desce-se por outro! E com as marchas, tudo fica muito mais fácil.
    Com a "cultura" eu concordo. Frise-se que dentre vários artigos importantes e esclarecedores postados por você, neste específico, tive que ponderar e abrir o debate. Temos uma divergência cultural.
    Felizmente, cultura se muda. Eu mudei a minha!
    Era uma pessoa que reclamava do transito de BH e dos transportes coletivos. Parei de queixar e comecei a trabalhar de bicicleta, pedalo todos os dias, atitude que costumo chamar de "hora feliz do dia".
    Eu moro a 8 KM de onde eu trabalho, sou advogado (troco de roupa no escritório) e membro fundador da comissão de direito urbanístico da OAB/MG, a qual lhe convido a participar.

    Seu blog é cheio de conteúdo importante, o que faz você ser uma pessoa formadora de opinião. Por isso, precisamos de você para debater e apoiar a utilização de bicicletas em BH!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.