Pedro I fechada até hoje, por que?

Na tentativa de encontrar uma resposta razoável para a manutenção do fechamento da Av. Pedro I, esbarramos em perguntas sem respostas: Como pode um corredor de transito importante como este ficar fechado por tanto tempo sem que ninguém venha a publico apresentar uma justificativa plausível? Se não encontramos na lógica uma resposta, no bom senso nem adianta procurar. É inacreditável e inadmissível que a Av. Pedro I permaneça fechada por quase 2 meses por capricho ou por incompetência de agentes públicos que falharam antes e depois da tragédia.

 

Fica a sensação de que os homens que dirigem essa cidade, incluindo vereadores, prefeito, promotores de justiça, procuradores, diretores de autarquias e membros do judiciário que se embrulham na burocracia e nos ritos, vivem eu uma outra dimensão. A verdade é que muitos estão aqui, mas com a cabeça em Miami, Escarpas do Lago ou em alguma praia paradisíaca onde seus veleiros encontram-se ancorados. Se não fosse trágico, o episódio seria cômico, tamanho absurdo da omissão. Em qualquer outro lugar do mundo, 5 dias após o desabamento que mostrou a face dos homens públicos de BH e expôs a engenharia de Minas Gerais para o mundo de forma negativa, já estaria aberta e atendendo ao povo.

 

Aqui, simplesmente mudam o tráfego entupindo uma via que já esta saturada há 30 anos (Avenida Cristiano Machado) e tudo segue como se nada estivesse acontecendo. Cabe a população encontrar meios para se adequar e que se dane o resto… Parece casa de “mãe joana” onde não há ordem e nem regras claras. O caso é de polícia, mas nem ela se deu conta da urgência do assunto. Com efeito, o correto seria liberar a via e depois achar culpados, até por que, se bem conhecemos nosso país e a justiça dos homens de toga, tudo terminará em pizza, ficando o ônus do vexame e da tragédia apenas para a população e os que tiveram perdas diretas como as famílias das vítimas.  

 

Imagine quantas ambulâncias ficam presas naquela região a caminho do Pronto Socorro Rizoleta Neves? Imagine quanto de combustível e monóxido de carbono é lançado na atmosfera por causa dos engarrafamentos provocados por esse fechamento desnecessário? Imagine quantos compromissos são perdidos gerando estresse e danos materiais à população daquela região que não tem outra alternativa? Enquanto isso as autoridades discutem os sexos dos anjos e a mediocridade impera mais uma vez em Belo Horizonte. Aqui tudo pode acontecer.

 

José Aparecido Ribeiro

Consultor em assuntos urbanos 

Presidente da ONG SOS Mobilidade Urbana

CRA MG 08.0094/D 

31 9953 7945

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.