Quanta conversa mole a respeito da “Caixa Preta da BHTrans”.

Quanta conversa mole em relação a “tal abertura da caixa preta da BH Trans”. Alguém precisa contar para o prefeito de BH que, em tese, o dono da “caixa preta” é o próprio presidente da BH Trans. O Prefeito nem sonhava em virar político, e as articulações para a licitação do transporte coletivo já estavam em curso em 2007, construida a 4 mãos pelos que hoje dirigem a autarquia e os próprios empresários do setor. Antes que me acusem de leviano, não estou dizendo que haja algo obscuro com o transporte coletivo em BH.

Empresário de ônibus não é santo, mas também não é capeta, como tentam mostrar. Sao necessários e precisam ter lucro para sobreviver. Não há nada desonesto nisso. Lembro que existe um contrato em andamento, iniciado em 2008, preparado pelo Sr Célio De Freitas Bousada, e que vai durar até 2028, querendo ou não o prefeito e os “xiitas lunaticos” que defendem tarifa zero, como se isso fosse possível no modelo de concessão atual.

Faço um parêntese para lembrar aos desorientados que não existe óleo diesel de graca, pneus, carrocerias, motores, mecânicos, motoristas, trocadores, manutencao e garagens de ônibus de graca. Alguém precisa pagar o custo do transporte coletivo. Não serão os empresários, pois eles  não abrem empresas para servir de instituição filantrópicas, montam para ganhar dinheiro e gerar emprego. Essa são as regras do capitalismo, com ou sem esperneio.

Portanto,  cogitar tarifa zero  é coisa de gente sem noção. Sobretudo quando quem defende, se diz economista. (o líder da proposta estapafúrdias que  propõe tarifa zero é um economista). Com relação ao misancene midiático sobre auditoria nas empresas de ônibus para “inglês” e belo-horizontino desinformado ver, isso só acontece em BH, onde a população está mesmo interessada é na notícia de quem será o próximo contratado pelo galo ou pelo cruzeiro. Ou ainda qual será o vencedor do big brother. Nao é por acaso que a cidade caminha a passos de tartaruga no quesito mobilidade urbana. Se há algo errado no sistema de transporte, Kalil deve ser informado de que tudo que existe em relação ao tema transporte coletivo e trânsito foi construído pelo profissional que ele escalou para dirigir a BH Trans.

O ministério público, que adora posar de santos das causas impossíveis também precisa ser informado de que na última década todas as licitações: ônibus, sinais, radares, detectores de avanço, abrigos, sinalização horizontal e vertical, painéis eletrônicos (inúteis), faixa azul etc, passou pelas mãos do atual presidente, na condição de diretor. Ele foi inclusive um dos homens de “confiança” de Márcio Lacerda. Portanto, se tem algo errado, deve cobrar dele, e não das empresas de ônibus, ou da população que é vítima dos 35 anos em que o mesmo grupo comanda o órgão gestor da i-mobilidade urbana. Entra governo, sai governo e a turma do Carlão, do Mendanha e do Célio segue firme comandando o caos que piora a cada dia.

O buraco da BH Trans é outro: chama se necessidade urgente de mudança de paradigma. Os diretores petistas que lá estão deveriam parar de idealizar a cidade que eles acham que é a certa e passar a enxerga-la como ela é na prática. A frota de veículos aproxima se de 2 milhões de unidades e a BH Trans segue estreitando vias, alargando passeios, instalando sinais, montando uma indústria de arrecadação e perseguindo quem tem carro, ignorando as intervenções de engenharia que a cidade necessita, tentando em vão tirar carros da rua. Continuam teimando que o povo deve deixar o carro em casa para andar de bike ou de BRT.

Se não fosse trágico, a maldade seria cômica. Querem enfiar BRT goela abaixo da população, inclusive quem jamais entrará em um ônibus. A cidade, com efeito,  possui mais de 150 gargalos que esperam por obras (trincheiras, viadutos, túneis, elevados, passarelas). Mais de 1.000 sinais de trânsito que não deixam o trânsito fluir, e meia dúzia de engenheiros que ainda não entenderam que BH não fica na Europa, mas no Brasil.

Portanto, chega de conversa mole pra boi dormir e pra inglês ver. Chega de prosa politicamente correta. Se quer de fato abrir a caixa preta da BH Trans, Kalil precisa fazer uma faxina, de cabo a rabo, na autarquia que ele entregou de mão beijada para o seu vice, colocando gente nova e com visão progressista. De xiitas viciados e incompententes, que já provaram que não dão conta, a BH Trans está cheia, parte deles fumcionarios de carreira catequizados que tem demostrado ódio pelo carro, mesmo a população dando sinais inequívocos de que é de carro e não de ônibus que ela gosta.

Jose Aparecido Ribeiro
Consultor em Assuntos Urbanos
Membro da Comissão Técnica de Transporte da SME
Diretor da ACMinas
Autor do Blog SOS Mobilidade URBANA
CRA MG 08.0094/D
31-99953-7945

32 thoughts on “Quanta conversa mole a respeito da “Caixa Preta da BHTrans”.

  1. a BHTrans é uma Empresa em regime de Sociedade Anônima, cujos acionista são os donos de empresas de ônibus. Dizer mais o quê? Esse é o legado da administração PT….

  2. Metrô, abrir licitação para empresas nacionais e internacionais investirem em transporte de massa. O metrô oferece segurança para os passageiros, velocidade, comodidade, pontualidade. Não se trata de obras e mais obras de infra-estrutura. Esse é o ponto.

  3. Muito bom o texto, direto e objetivo. Sem empresas solidas e com regras claras e transparentes não conseguiremos ter um transporte coletivo que atenda aos anseios e necessidades da população, seja aqui na RMBH ou em qualquer lugar.

  4. Falou tudo Zé!!! Não tem como grupos se iludirem e venderem a ideia de tarifa zero à população.
    Outro ponto bem citado é quando você diz sobre os gargalos do nosso trânsito. É praticamente impossível rodar de carro no hiper centro de BH. São sinais mal sincronizados e uma sinalização bem confusa. Querem que deixemos nosso carro em casa, ora bolas, como que sugerem uma coisa e em contrapartida não nos oferecem algo digno em troca?

  5. “Toda unanimidade é burra,”essa população que só se interesa por bbb e futebol deve ser do seu cotidiano,expressar sua opinião,bato palmas,mais com relação a minha opinião voce não sabe de nada.

  6. “Lembro que existe um contrato em andamento, iniciado em 2008, preparado pelo Sr Célio De Freitas Bousada, e que vai durar até 2028, querendo ou não o prefeito e os “xiitas lunaticos” que defendem tarifa zero, como se isso fosse possível no modelo de concessão atual.”

    E se o contrato for contrário aos interesses do povo?

  7. Muito lúcido seu comentário, na minha opinião de leigo, que sofre no dia a dia do trânsito, mas que enxerga as mazelas da mobilidade em nossa capital, como usuário de transporte público, motorista e pedestre.

  8. Que bela matéria! Parece que nossos governantes vivem noutro mundo diferente do bem colocado pelo artigo! A oportunidade de mudança está aí com a eleição do novo Prefeito. Espero, como cidadão, que ela se realize!

  9. Interessante comentário no que tange às questões da BHTrans. Realmente acho que ali esta a imobilidade que nos amarra em relação ao planejamento de tráfego e outras questões. Acho também que as “coisas” dentro da BHTrans tenham sim um algo de obscuro. E também acho que, independente da bandeira, da sopa de letrinhas ou da predisposição comportamental, fosse quem fosse, as coisas não seriam muito diferente do que são pois o quadro que se nos apresenta, hoje em dia, dos “administradores” públicos é de pura podridão ética e moral. Mas, devo aqui discordar do José Aparecido quando ele fala em prestigiar o carro em detrimento ao transporte público. É preciso sim investir no transporte público. Esse e o caminho para a solução de uma serie de problemas urbanos que temos hoje em BH e em muitas outras cidades. Imagine se o nosso “metro” tivesse evoluído nesses mais de 25 anos de existência. Detalhe, não evoluiu exatamente pela questões éticas e morais de nossos “administradores” públicos, ai sim culiados com aqueles que têm interesse em manter esse estado de coisas. Quanto ao povo, é, esse ai é de doer. Pão e circo é o que lhe basta. Esta país é realmente para Inglês ver.

  10. O problema não é tarifa zero e sim tarifa alta. Precisamos de uma solução em que não paguemos duas vezes pelo mesmo serviço.

  11. Concordo plenamente com o comentário, tem que fazer mudanças na administração desta BHtrans a qual todo mineiro detesta.

  12. Fui morar em BH no final dos anos 70. Acho que era a Metrobel que “cuidava” do transporte público. Nessa época já enfrentava problemas com o transporte. Ônibus lotados, atrasados, não paravam nos pontos etc, etc. BH já era cheia de pontos de retenção… sabe quanto tempo isso tem? Qual a diferença de hoje? Não precisam responder.
    Excelente artigo!

  13. O outro fator que deixa as passagens caras nenhum político quer falar: IMPOSTOS. E um absurdo que uma concessão pública destinada a servir majoritariamente a camada mais pobre da sociedade seja “infestada” de todo o tipo de impostos. Se o Kalil quiser mesmo brigar por um transporte público mais justo pode começar na luta por uma carga tributária menor nos itens que constituem o serviço.

  14. Sem julgar o mérito das asseverações prolatadas neste artigo e esvaziando-se das convicções políticas e filosóficas, resta indisfarçável e, portanto, indefensável a postura direta em defesa dos empresários, para um problema coletivo que abarca erros e acertos de todo o sistema em comento. Assim, esvazia-se a matéria por suspeição de advocacia per si.

  15. Parabéns pelo texto bem estruturado. Você tem excelente forma de persuasão.
    Continue a nós presentear com seua textos bem estruturados.

  16. Artigo com argumentos convincentes. Texto muito bem elaborado por alguém que sabe redigir um artigo de opinião de muita qualidade. Parabéns!

  17. Descutimos . Mobilidade de Onibus. Basta liberar o ramal deMetro do Barreiro. Retiramos 500.000 carros das nossas avenidas. Somente este ramal ate o calafate. Nade de tunel ou obras faraonicas. O povo merece .

  18. Sabemos que toda empresa pública tem seus problemas, mas passar a mão na cabeça de condutor infrator se passando por vitimas, e dureza.Acho que o colunista não mora em BH,cidade onde ninguém respeita nada nem ninguém.Alias isto e tipico do Brasil, pais bom com povo medíocre, basta ver no Espirito Santo,onde o próprio povo que e refém da criminalidade passou a ser os próprios autores de crimes.

  19. Realmente….muito bem explanado….objetivo e claro….por aqui….soment uma empresa…..faz o que quer e eleva o preço como deseja….o povo….simplesmente paga…..aff

  20. E o muro do trem?
    Ninguém fala deste idiota muro do trem para proteger a linha, que foi subaproveitado para implantar um metrô que nada mais é do que um trem de quinta categoria.
    Se fizermos uma análise fria nos bloqueios que este muro faz nas vias da cidade e avaliar que são apenas 210 mil passageiros transportados por dia, frente aos 2.300 milhões de habitantes, vamos concluír que o metrô atende a somente 9% da população. É válido? E os 91% restantes que se prejudicam por outros meios de transporte, dando voltas e mais voltas para traspassar os viadutos e as barreiras do metrô?
    Pense… imagine… Belo Horizonte sem este muro cortando toda cidade, tenho dúvidas que teríamos tanta dificuldade de locomoção seja a pé, de carro ou de bike.

  21. A pergunta q faço é a real necessidade da Bhtrans?
    Cabide de empregos que irão onerar todas as tarifas de usuários de transporte público, aqui e em todo o Brasil
    Função do DETRAN, um braço, concurso, técnicos e por aí…
    Motoristas de táxi brigando com o uber, total despreparo, basta destrinchar a planilha de custos das tarifas …
    Tarifa zero? sim. pagamos vários impostos e taxas para esta finalidade.
    Reservas de mercado, Confins, regulamentações inócuas, criando dificuldades para justificar ….
    Stress

  22. Muitoooo bommmm ! A verdade precisa ser dita , e o povo acordar para tantas conversas moles ! As mudanças precisam ocorrer dentro da real necessidade urbana da cidade e das condições de implementação . Não adianta fazer viagens sem lógica ou noção. Diga se de passagem que em tantos outros setores ocorrem os mesmos erros . Pessoas inventam ou tiram as ideias sem terem vivência dá realidade. Vide problemas na educação .

  23. Vivemos em uma cidade que caminha a passos largos para o caos total.
    Nosso BRT é uma piada de péssimo gosto assim como nosso Metrô. Viadutos que ligam nada a lugar algum, estreitamentos de pistas importantes, mantendo divisórias de pistas extremamente largas e operações de recapeamentos de péssima qualidade, são uma constante em toda nossa cidade. Não existe um plano decente para uma melhoria verdadeira no trânsito belo horizontino. Somente a ampliação da industria de multas com radares em locais absurdos, completamente ineficientes.
    BHTrans sempre foi o símbolo da incompetência na capital do estado.

  24. “Os diretores petistas que lá estão deveriam parar de idealizar a cidade que eles acham que é a certa e passar a enxerga-la como ela é na prática.” É, a BHTrans sempre foi do PT mesmo… é brincadeira esse comentário acima. Se não temos metrô decente em BH até hoje, é culpa dos donos das empresas de ônibus que não querem perder a boquinha fácil transportando o povo como gado há anos. Se temos esse trânsito caótico, não é culpa do financiamento fácil pra comprar carros, mas da desorganização em gerenciar o trânsito causada pela incompetência da BHTrans.

  25. José, nós, a população, apenas questionamos o poder mafioso das garagens de ônibus em Belo Horizonte. A população mesmo, não é contra que eles (a mafia das garagens), tenham lucro, paguem os custos que você citou, e diluam esse custo nas passagens, o que venho defendendo nos últimos 3 anos, é o fim do direcionamento dos investimentos públicos apenas no modal “ônibus”.
    Porque todo o recurso da Copa foi direcionado para o BRT?
    Você bem disse eu eu grito aqui: “O BRT é uma farsa! O Serviço é péssimo e o tempo vai revelar que houve sim, desvios de verbas a mando das garagens!
    Porque Belo Horizonte não consegue desenvolver o metrô, se São Paulo consegue?
    Porque o Rio, Salvador e até mesmo Brasília, conseguiram modais de transporte sobre trilhos, seja metrô, seja VLT?
    Não adianta transferirmos a responsabilidade apenas para a BHtrans (empresa que sempre defendi a extinção), pois sabemos que ela, é apenas uma “extensão das garagens de ônibus”.
    Não estou “demonizando” empresário das garagens, nem sendo xiita, mas como parte da população, e sendo obrigado, repito, obrigado a usar o transporte por ônibus, me sinto humilhado toda vez que entro nessas porcarias de chassis de caminhão, adaptados para ônibus!
    Basta!
    Quando vemos as garagens dando ordens na BHtrans, impedindo linhas de ônibus abastecerem o metrô, como ocorre em Venda Nova, fica muito claro que quem manda em Belo Horizonte, são sim as tais 5 famílias, donas das garagens!
    Enquanto essa máfia não for desmantelada, BHZ não irá avançar!Não basta tirar os parasitas petistas da BHtrans, se a máfia continuar a mandar!

  26. Meu amigo, tudo promessa de campanha para enganar a população carente de políticos honestos ! Eu não cai nessa ! afinal de contas não passa de balelas essa promessa de abrir a caixa preta ! Deveria sim, ser revisto o aumento salarial dos vereadores, prefeito, secretários e diretores de autarquias e administração indireta ! Não acredito que vai mudar nada ! O povo que se dane ! Agora é aproveitar os 04 quatro anos de governo pra sair do miserê !

  27. Eu trocaria meu carro com o maior prazer pelo transporte público, mas precisa de algumas reformas. Se for manter ônibus, esse tem que ter ar condicionado e limitaç~cao de passageiroa ao que for possível sentado. Ou metrô. Não tem meio termo… Se o metrô é inviável, entregue o mesmo a iniciativa privada que está louquinha pra investir e expandir esse sistema “falido” que “não dá lucro”. Bando de gente burra ná?

  28. Falou tudo. Os engenheiros de trânsito da BHTRANS, não andam pela cidade, não tem base, a cada dia conseguem piorar o trânsito de BH.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.