Se paliativo é possível, por que fazer definitivo? Este é o lema da PBH. Alguém duvida?

O lema ta PBH parece ser o de fazer mal feito, para ter que fazer novamente. Quem duvidar, é só dar uma passada no cruzamento de Av. Sebastião de Brito, no bairro Dona Clara, no cruzamento com a Av. Cristiano Machado, bem em frente a Estação do Metrô, 1º de Maio. É inacreditável o que estão fazendo ali. Explico: Trata-se de um dos mais de 100 gargalos que a cidade possui, e está entre os 50 mais urgentes, cujo bom senso sugere obras definitivas e não mais um PUXADINHO. O acesso à Av. Sebastião de Brito, que deveria ser feito por 2 viadutos, agora será feito por conversão à esquerda e não mais pelo balão à direita, aumentando um tempo de sinal, onde os segundos são preciosos. Sorte dos autores deste absurdo é que o povo está se acostumando com a falta de fluidez e já não se importa mais em passar horas preso no tráfego.

 

A gosto dos técnicos da BH Trans e da SUDECAP para a instalação de sinais, onde sinais jamais poderiam existir é algo que sugere teste vocacional ou investigação do MP… Nenhum engenheiro minimamente sensato é a favor de sinais em um corredor como a Av. Cristiano Machado. Ao contrário, qualquer um sabe que eles deveriam ser eliminados urgentemente. Trata-se de uma das vias mais saturadas da Capital, pois é acesso ao Vetor Norte, incluindo os 8 municípios que fazem parte do colar metropolitano, além do Aeroporto de Confins. A sensação é que eles ainda não perceberam que a cidade cresceu e que não suporta mais obrinhas pra “inglês ver”. Com efeito, o despautério está acontecendo debaixo do queixo de políticos e administradores públicos que acessam a cidade administrativa e o Aeroporto Internacional.

 

Cabe ainda ressaltar que o arranjo não vai resolver o problema, e corre-se o risco de piorar o que já está saturado. No trecho onde o puxadinho está sendo feito, os passeios foram alargados, para enfeite e as pistas estreitadas, por puro capricho. Se o autor tiver juízo, ao invés de projetar por mapas sentado no escritório, deveria tirar traseiro da cadeira, pegar a direção de um carro e transitar pelo local nos horários de pico, para perceber o tamanho do seu equivoco. Caso não consiga, seria melhor devolver seu CREA ou mudar para o interior, pois BH cresceu e não pode mais aceitar medidas paliativas onde o correto seria a construção de viadutos de pistas largas, capazes de receber a frota de carros que só vai  aumentar a cada dia. Sr. Prefeito, tome providencias enquanto é tempo e não permita desperdício de dinheiro público em obras mal projetadas.

 

José Aparecido Ribeiro

Presidente da ONG SOS Mobilidade Urbana

Consultor em Assuntos Urbanos e Mobilidade

CRA MG – 08.00094/D

31-9953-7945

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.